Temporada do Dolphins pode ter acabado antes de começar

4 de agosto de 2017
Tags: carlos massari, dolphins, Notícias do Dia,

Uma notícia muito importante dominou a NFL nessa quinta-feira: o quarterback do Miami Dolphins, Ryan Tannehill, deixou o treino da equipe com uma lesão no joelho esquerdo, o mesmo que o fez ficar fora dos últimos jogos de 2016. Os desdobramentos precisam ficar mais claros e ainda não há um diagnóstico decisivo – muitas idas e vindas foram apresentadas durante o dia – mas a informação atual é de que é grande a possibilidade de uma cirurgia.

Tannehill fazia a melhor temporada da sua carreira em 2016 até se lesionar. Tinha o décimo segundo melhor rating da liga e vinha demonstrando sinais de evolução em vários aspectos do seu jogo. Já fiz aqui uma análise sobre porque os torcedores do Dolphins devem confiar mais nele, e a perspectiva para esse novo ano era de que essa melhora continuasse ainda mais, principalmente sob a tutela de Adam Gase.

Com o entorse nos ligamentos do joelho esquerdo sofrido em dezembro, a equipe médica da franquia decidiu junto com o quarterback que não seria feita uma cirurgia. Houve muita fisioterapia, descanso e até tratamento com células-tronco. Enquanto isso, com Matt Moore no comando, a equipe não foi páreo para o Pittsburgh Steelers na rodada de wildcard dos playoffs.

O quarterback parecia plenamente recuperado da lesão, mas o fato é que a não cirurgia deixou seu joelho enfraquecido. Já na primeira semana do training camp, parece que ele pode ter cedido. E mesmo sem danos estruturais, como mostraram os primeiros exames, é reportado por nomes como Adam Schefter e Jeff Darlington que a probabilidade de Tannehill não escapar da mesa de operação dessa vez é alta.

Se a cirurgia tivesse sido feita em dezembro, Tannehill estaria em processo final de recuperação e provavelmente perderia o começo da temporada de 2017. Agora, porém, não há tempo hábil para um retorno antes de 2018 se a reconstrução cirúrgica dos ligamentos for a opção escolhida.

Enquanto não há uma palavra final sobre por quanto tempo o Miami Dolphins ficará sem o seu franchise quarterback, já existe um começo de pensamentos sobre o que pode ser feito em cada cenário. Caso Tannehill tenha condições de voltar durante a temporada regular, nem tudo está perdido. Matt Moore é competente o bastante para segurar as pontas por algumas partidas e provavelmente alguém experiente como Christian Ponder ou Jimmy Clausen seria contratado para ser o reserva imediato (Brandon Doughty e David Fales são atualmente os outros jogadores da posição sob contrato).

Por outro lado, se a pior hipótese se confirmar, a temporada provavelmente estará perdida para a equipe da Florida. Quarterbacks são importantes demais na NFL de hoje, que é basicamente movida pelo jogo aéreo, e torna-se quase impossível chegar à pós-temporada sem um atleta pelo menos acima da média na posição. Moore, como dito acima, é competente para segurar as pontas por algumas partidas, mas não para conduzir um time que é mediano na maioria das partes de seu elenco aos playoffs.

As opções no mercado também não são das melhores: dentre os desempregados, Colin Kaepernick é o jogador de mais qualidade, mas todos sabemos da queda livre que sua carreira vive. Pode ser que se daria bem com Adam Gase? Sim, pode. Mas seria uma recuperação digna de comeback player of the year se conseguisse conduzir o Dolphins a uma nova campanha vitoriosa. Fora ele, talvez trazer Jay Cutler de volta da aposentadoria? Sinceramente, acho Moore melhor que o ex-Chicago Bears.

Nos próximos dias, teremos a definição sobre o real estado de Tannehill e, com ele, sobre as pretensões do Dolphins na temporada. Alcançar a pós-temporada com Matt Moore ou com alguma das opções disponíveis no mercado será muito difícil, o que é triste para uma franquia que tem atletas de alto nível de talento como Ndamukong Suh e Reshad Jones.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Carlos Massari é o setorista da AFC LESTE. Analisa Patriots, Jets, Bills e Dolphins às quartas e sextas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @massaricarlos