Série Tática – Zone Blocking: Outside e Inside Zone

18 de abril de 2016
Tags: 32 por 32, tiago araruna,

tatica

A série tática de hoje aborda o esquema Zone Blocking, adotado com muito sucesso por alguns dos melhores ataques da história da liga. Provavelmente você já ouviu ou leu alguém que acompanha a NFL há mais tempo usar esse termo e ficou sem entender nada. É chegada a hora, portanto, de conhecer melhor esse tema e se aprofundar em mais um aspecto tático do futebol americano.

Leia Mais: Índice com todos os posts da Série Tática

Antes de explicar de forma objetiva, é necessário entender tal esquema historicamente, quem costuma utilizá-lo e de onde vem a influencia. A West Coast Offense, tratada na última série tática, fez uso do Zone Blocking através do trabalho de Alex Gibbs, treinador da linha ofensiva, que desenvolveu o monstro para o formato como conhecemos hoje. Quem teve ligação com a West Coast Offense, como Mike Shanahan, Gary Kubiak e Andy Reid acabaram incorporando esse estilo de bloquear aos seus playbooks, o que fez com que esses ensinamentos atravessassem gerações de times dentro do esporte da bola oval. Mike McCarthy (Packers) e Tom Cable (Seahawks) são alguns outros que adotam a “criação” de Gibbs.

O detalhe é que o Denver Broncos – que tinha Shanahan como técnico principal e Alex Gibbs no staff – muito se valeu do Zone Blocking para vencer dois Super Bowls nos dois últimos anos de John Elway como quarterback na NFL. Outra demonstração de força foi quando Gibbs instalou o método no ataque do Falcons por três anos quando esteve por lá e a franquia de Atlanta conseguiu 8.100 jardas terrestres naquele período, além de ter sido a única com mais de 5 jardas por carregada em toda a liga. Tom Cable, hoje no Seahawks, estava como assistente técnico da equipe na época e foi lá que aprendeu muito do que aplica hoje em Seattle. É comum ver os adeptos desse esquema falarem que qualquer running back consegue ter uma boa temporada quando tem à sua frente uma linha ofensiva bem treinada em todos os aspectos exigidos para uma Outside Zone Run, especialmente.

Falando nos running backs que se consagraram com a ajuda do Zone Blocking podemos citar Terrell Davis (o mais lembrado e associado a Alex Gibbs); Alfred Morris, modesta escolha de sexta rodada, que teve bons números quando o Redskins implantou o esquema com eficiência por lá em 2012 e 2013; Arian Foster, RB que nem sequer foi draftado, teve uma excelente carreira nos anos de Gary Kubiak – discípulo de Gibbs – no Texans; Marshawn Lynch, que atingiu um patamar de um dos melhores da posição no Seahawks após chegar desacreditado do Bills e muitos outros nomes.

O Zone Blocking consiste no seguinte: O atleta da linha ofensiva analisa antes do snap se tem algum jogador de defesa imediatamente à sua frente. Caso a resposta seja positiva, ele deverá bloquear esse cara. Porém, se for negativa, ele irá auxiliar o companheiro que está ao seu lado na direção que a jogada está desenhada para ir. Por exemplo, se o RB vai correr para a direita e o Center não tem ninguém na frente dele, é preciso que ele bloqueie o defensor à frente do right guard. Após ajudar no bloqueio, percebendo que seu colega de equipe já tem o controle da situação, tal jogador seguirá para o segundo nível da defesa com a finalidade de neutralizar um linebacker ou safety, a depender de quem estiver por lá. Essa regra geral se aplica tanto para a Inside Zone Run como para a Outside Zone Run, que fique claro.

O referido esquema de Zone Blocking é obviamente colocado em prática com o objetivo de proporcionar espaços para as corridas dos running backs. Para tanto, ele se divide em Inside Zone e Outside Zone.

INSIDE ZONE RUN (IZR)

A Inside Zone Run (IZR) é muito parecida com o Man Blocking tão comum de ver em todo domingo de NFL, onde cada jogador de linha ofensiva deve bloquear um defensor específico, designado antes do snap e o running back já sabe antes da jogada acontecer qual Gap deverá atacar (leia sobre gaps e techniques aqui – último tópico do texto).

Na Inside Zone, por outro lado, o atleta da OL está preparado para bloquear a sua área e quem quer que apareça naquela região que ele ocupa. Nas situações em que nenhum defensor invade aquele espaço, ele terá que ajudar o companheiro ao lado para, em seguida, subir para bloquear no segundo nível da defesa (assim como na outside zone run). Em uma IZR, o running back vai tentar passar pelo A-Gap na maioria das vezes.

Diferente da Outside Zone Run, aqui a linha ofensiva não se movimenta correndo em conjunto para a lateral. Há uma movimentação vertical buscando empurrar os defensores para trás, bem diferente da Outside Zone.

OUTSIDE ZONE RUN (OZR)

É a espécie mais legal de Zone Blocking, sem dúvidas. A linha ofensiva se movimenta toda lateralmente com o objetivo de conter o front seven da defesa empurrando-a e assim abrindo corredores para serem atacados pelo running back em um corte para depois imprimir alta velocidade rumo à end zone.

O mais interessante na Outside Zone é que ela não depende de jogadores de grande porte ou de exímios bloqueadores dotados de grande técnica, mas sim de muito treino, dedicação e estudo. Mesmo uma linha ofensiva sem tanto destaque conseguirá abrir espaços na defesa se bem treinada e é por isso que diz-se que a Inside Zone demanda grandes e talentosos jogadores, enquanto que a Outside Zone precisa de grandes técnicos. Outra coisa que vale destacar na OZR é o fato de o QB normalmente fazer bootleg para o lado oposto para puxar o defensive end, outside linebacker ou o safety a depender da jogada.

Muito legal na teoria, mas nem tudo são flores. É extremamente difícil implantar o Zone Blocking, e mais ainda em sua espécie Outside Zone, já que todos os atletas da OL, RB e até wide receivers precisam se comprometer nos treinos e realizar em campo um trabalho de equipe e de muita doação. Exige-se ainda muito estudo de vídeo do adversário e leituras bem feitas com o lance em andamento. Outro ponto é que normalmente os WRs não gostam de bloquear e meio que descansam nesse tipo de jogada, o que simplesmente não pode acontecer na Outside Zone.

Explicarei mais detalhadamente a Outside Zone Run no vídeo e imagens abaixo:

zone blocking 1

Jogada executada pelo Seattle Seahawks – que tem Tom Cable como técnico da linha ofensiva – contra o Denver Broncos no Super Bowl XLVIII.

Observe que acontece exatamente como foi explicado ao longo do texto introdutório. Estamos diante de uma Outside Zone Run, onde a linha ofensiva está se deslocando toda para a lateral – no caso em questão para a direita. Os tackles e Guards estão prontos para fazer a parte deles, enquanto o center (traço amarelo mais longo) já observa que não tem ninguém à sua frente para bloquear e vai para o segundo nível da defesa para neutralizar algum linebacker. Veja que antes de avançar ele deve ajudar algum companheiro, mas nesse caso não há necessidade porque o atleta que está em frente ao #77 já está facilitando o trabalho por se encontrar mais para o lado direito dele, em 1-tech. O outro jogador ao lado do center (#64) já conta com o auxílio do #68 que não tem ninguém à sua frente, então por isso o center vai direto para o segundo nível da defesa.

É possível perceber também que o right tackle #68 primeiro ajuda o #64 a neutralizar o defensor e, em seguida, já sai para bloquear outro jogador mais ao fundo. Entendimento perfeito de como o esquema deve funcionar. Para fechar com chave de ouro, Russell Wilson ameaça um bootleg para a esquerda, o suficiente para anular da jogada um atleta do Broncos (vermelho).

zone blocking 2

Na parte decisiva do lance, vemos Russell Wilson anulando um defensor ao ameaçar um bootleg (em vermelho ambos), o #78 (laranja) segue seu caminho após auxiliar o companheiro e bloqueia outro atleta e Marshawn Lynch (azul) achando o espaço para correr na direção oposta à movimentação da linha ofensiva.

Em amarelo está o center que avançou ao segundo nível da defesa e está pronto para bloquear qualquer safety ou linebacker que apareça por ali. No vídeo abaixo, observe a jogada percebendo bem todos os detalhes agora que você tem mais conhecimento sobre Zone Blocking e irá ver os jogos da NFL com outros olhos a cada texto tático que lê aqui (repita o vídeo quantas vezes quiser para observar a ação de cada atleta do Seahawks):

 

 

Postagens Relacionadas









Tiago Araruna acompanha a NFL desde 2006 e é o idealizador do projeto Liga dos 32. Como Editor-Chefe do Portal, está à frente da coluna semanal 32 por 32, toda quinta no ar. Co-apresentador do Podcast Liga dos 32 que vai ao ar às quartas . No twitter: @tiagoararuna