Série Tática – A defesa 30 Stack

2 de maio de 2016
Tags: 32 por 32, tiago araruna,

 

Obs: Essa formação defensiva se baseia muito no esquema Zone Blitz, sendo assim é extremamente importante que você leia o texto a respeito dessa espécie de Blitz para compreender bem a 30 Stack. O link para o post sobre a Zone Blitz está disponível no texto.

Falaremos um pouco sobre a defesa 30 Stack ou também conhecida como 3-3-5, criada por Charlie Strong e Lou Holtz para combater os poderosos ataques da SEC (forte conferência da NCAA). É uma formação que continua sendo bastante utilizada no College Football e que levou à valorização dos jogadores versáteis por parte dos times da NFL, que fazem uso do esquema em situações ocasionais. Ela é composta por 3 jogadores na linha defensiva, 3 linebackers e 5 defensive backs (jogadores da secundária, sejam cornerbacks ou safeties). Normalmente, desses 5 defensive backs, 3 são tradicionais e 2 são híbridos: parte strong safeties, parte outside linebackers, responsáveis por cobrir o flat (saiba que região é essa lendo aqui), perseguir o quarterback em blitz, marcar o recebedor no slot ou até mesmo o tight end adversário.

Leia Mais: Índice com todos os posts da Série Tática

A 30 Stack força os ataques dos oponentes a usar o esquema Zone Blocking (entenda aqui), pois fica bastante complicado – e compromete as jogadas terrestres – pedir a cada atleta da linha ofensiva que bloqueie um jogador pré-definido antes do snap porque a Zone Blitz (explicamos o tema aqui), muito utilizada nessa formação defensiva, tem como ponto forte confundir quem segue por esse caminho. Então, logo de cara percebemos uma qualidade importante dessa espécie de defesa, que força o ataque a se ajustar.

É válido entender que entre as formações 3-4 e 4-3 (falamos delas aqui), a mais propícia a se adaptar e desempenhar melhor quando modificada – seja em definitivo ou em alguns snaps – para a 3-3-5 (30 Stack) é claramente a 3-4, isso porque como são três os jogadores na linha defensiva, um não precisa recuar na cobertura (como acontece na Zone Blitz). Mas não fica por aí, pois outra vantagem é que a 3-4 conta com jogadores mais rápidos para atacar o quarterback e, quando for o caso, cobrir um passe. Na 4-3, um atleta mais pesado vai recuar da DL para marcar alguém, o que cria um duelo altamente favorável para que o QB possa explorar.

Em uma defesa 3-4, cada jogador de linha defensiva fica responsável por dois Gaps (saiba mais sobre Gaps e Techniques no fim desse texto aqui) e os linebackers estão livres para seguir seus instintos, enquanto que na 30 Stack, pelo menos um linebacker virá na blitz, então cada jogador na linha de frente cuida de um Gap determinado e não de dois como na 3-4. Outro ponto digno de nota é que o Gap que irá ser atacado por cada um pode mudar dependendo do que o coordenador defensivo imagine que o adversário possa fazer naquela situação específica de distância e descida. Por exemplo, se em 68,5% das vezes que aquele oponente está em terceira descida para duas jardas e utilizando tal formação ofensiva optam por correr para a direita, a defesa poderá focar em povoar aquela região para protegê-la melhor.

Já falamos que a 30 Stack faz muito uso da Zone Blitz e, por isso, vamos abordar de que forma isso se dá na prática. Historicamente, em situações de Blitz, fazia-se uso de marcação homem a homem na secundária por acreditar que não haviam jogadores suficientes para cobrir o campo por zona e dar conta de todas as suas regiões. Com a Zone Blitz que isso passou a acontecer, pois nela as defesas mandam a Blitz com normalmente cinco (nunca mais que seis) defensores e a secundária se posiciona cobrindo por zona do campo. Esse tipo de marcação, quando em situações de Blitz surgiu porque, quando optavam pelo homem a homem, os adversários abusavam das shallow cross e slants (leia sobre rotas dos recebedores aquie isso matava a defesa aos poucos, já que não tinha tempo de chegar para fazer pressão no quarterback. Sem contar que quando o recebedor batia a marcação homem a homem, aconteciam jogadas de grandes ganhos já que os demais defensores estavam de olho naqueles que iriam cobrir individualmente. Daí a importância da Zone Blitz e seu encaixe na 30 Stack, mandando blitzes inteligentes e agressivas, mas marcando por zona ou região do campo atrás, sem deixar de ter o devido cuidado com o jogo aéreo e a possibilidade da pressão ser queimada pelo QB.

Quando passa-se a cobrir em Zona (Zone Blitz), esses tipos de passes curtos para combater a pressão advinda do front seven – e safeties – se tornam bem perigosos porque o recebedor pode sair aparentemente desmarcado da linha de scrimmage e ver um defensor surgir “do nada” cortando a linha de passe e se antecipando para fazer a interceptação. Justamente por não ser homem a homem, é algo que a marcação em zona torna possível. A espécie mais utilizada de Zone Blitz é a Fire Zone Blitz, que coloca três jogadores marcando as zonas intermediárias do campo e três dividindo a região mais em profundidade, como podemos ver no desenho abaixo. Claro que nenhum esquema é perfeito e o ponto fraco da 30 Stack quando em Zone Blitz é visível a partir do momento que a linha ofensiva segura a blitz e o QB explora as regiões entre as zonas do campo sendo vigiadas. A 3-3-5 (30 Stack) é utilizada na NFL em situações específicas e snaps ocasionais.

zone blitz

Legenda:

E = Edge Rusher
N = Nose Tackle
S = Strong Safety (no caso, um dos “S” pode ser mais um CB também)
C = Cornerback
B = Linebacker
FS = Free Safety 

Na figura acima fica bem clara a cobertura em zona com dois linebackers e um safety na zona intermediária e dois cornerbacks e um free safety em profundidade. Tudo isso para dar proteção à secundária caso a blitz com 5 rushers não funcione. Esse posicionamento oferece infinitas possibilidades e outra opção que podemos apontar como exemplo é o “E” do lado direito da imagem recuar e o “S” próximo a ele avançar pelo meio entre o Guard e o Tackle em blitz, surpreendendo a linha ofensiva e o quarterback. Outra vantagem é que essa formação coloca 8 homens no box constantemente, o que faz dela eficiente também contra as corridas. Observem bem 3 jogadores na linha defensiva, 3 linebackers e 5 atletas de secundária: 3-3-5 ou 30 Stack.

Postagens Relacionadas









Tiago Araruna acompanha a NFL desde 2006 e é o idealizador do projeto Liga dos 32. Como Editor-Chefe do Portal, está à frente da coluna semanal 32 por 32, toda quinta no ar. Co-apresentador do Podcast Liga dos 32 que vai ao ar às quartas . No twitter: @tiagoararuna