terça-feira, 13 de março de 2018

Compartilhe

O que até então era impensável aos torcedores, aconteceu. O rosto de uma forte rivalidade mudando de lado. Uma das grandes estrelas da Liga nos últimos anos, e pivô de várias polêmicas no período, está de casa nova. Na noite do último sábado, o San Francisco 49ers assinou com o então recém dispensado, Richard Sherman. O cornerback de 29 anos foi a segunda estrela de Seattle a dar adeus a equipe nesta offseason. Depois de Michael Bennett sendo trocado para Philadelphia, os torcedores do Seahawks vão ter que se acostumar a ver o seu antigo porta voz da franquia vestindo vermelho e dourado.

A NFL é cruel, e apesar da emoção do esporte, segue sendo um grande negócio. Não vou entrar no mérito de possíveis problemas de vestiário da equipe. Apesar dos fortes rumores de brigas internas, nada foi provado. O meu ponto aqui será a emoção contra razão.

O torcedor do Seahawks não pode reclamar do jogador. Sempre passional, vestiu as cores da equipe e deu seu máximo em campo. Dificilmente perdia jogos por lesão. Fazia cada gota de suor derramado no campo valer a pena, e era um dos líderes do vestiário e de uma grande defesa que assombrava a Liga ano após ano.

A idade chegou, a primeira grave lesão bateu e um peso de aproximadamente 11 milhões de quilos fez com que a balança pesasse pro lado do fim. O jogador foi liberado pela equipe e seguiria seu caminho em outro lugar.

No entanto, para o mais absoluto desespero de grande parte da torcida, Sherman foi parar no grande rival. Aquele em que ele estampava a face de uma rivalidade, o San Franciso 49ers. Muitos torcedores não acreditaram, tanto de um lado, quanto do outro. O Twitter explodiu! Xingamentos de um lado, acusações de outro, muitas perguntas e poucas respostas. O fato está feito, e agora precisamos digerir o que aconteceu.

Em primeiro lugar, do ponto de vista técnico, a contratação do cornerback é pra ser comemorada. Richard Sherman, desde 2011, lidera a NFL em interceptações (32), passes defendidos (99), percentual de passes completos (47,4) e rating de passe (50,9). Sabemos também que depois da lesão sofrida no Tendão de Aquiles, ele pode nunca mais voltar ser o mesmo, no entanto, o jogador não mostrou qualquer sinal de declínio enquanto em campo na última temporada. Além do histórico de jogadores voltando desta mesma lesão ser positivo.

Seria besteira discutir a vinda de um jogador renomado para a sua equipe por pertencer o rival, ou vocês acham que o Real Madrid ficaria triste de contar com Lionel Messi em seu elenco? O fato da Liga seguir seus próprios caminhos faz com que coisas assim aconteçam. Um jogador em alta em um ano, pode estar em decadência no ano seguinte, e o salary cap apressa essas mudanças.

Dinastias nascem e morrem todos os anos. Apesar da sempre constante crescente do teto salarial, o mecanismo ainda funciona. É impossível ter excelência em todas as posições, quando você chega perto de tal feito, renovações embargam seu negócio e você pode ver seu elenco se desmanchar rapidamente. Ou o pior, ser obrigado a se despedir de grandes jogadores pela idade avançada. A NFL é cruel com os veteranos.

Por fim, resta aos torcedores dos dois times esperar. Esse ano Richard Sherman enfrentará seus ex companheiros vestindo um novo uniforme. Aos torcedores do 49ers, torçam para que o jogador faça uma boa temporada e ajude essa jovem defesa a crescer, uma vez que há muito talento envolvido. Já para os torcedores do Seahawks, resta torcer para que o seu ex camisa 25 não faça com que a diretoria se arrependa da decisão.

Compartilhe

Leave A Reply