Qual o ponto fraco da cada franquia da AFC Oeste em 2017?

13 de julho de 2017
Tags: broncos, chargers, chiefs, Giovani Natal, Notícias do Dia, raiders,

Aproveitando esse momento de baixa na offseason, daremos sequência a nossa série de textos com análises sobre as franquias da AFC Oeste. No texto de hoje, vamos abordar qual é o ponto fraco de cada uma das franquias da divisão. Numa divisão extremamente parelha, é importante saber identificar suas fraquezas e tentar minimizá-las. Cada vitória é valiosa na busca pelos playoffs. Vamos aos pontos:

  • Denver Broncos: Quarterbacks

Como já abordado aqui em outros textos, a principal lacuna hoje existente no Broncos é a definição de seu Quarterback titular. Desde a saída de Peyton Manning, a franquia não tem um grande nome como seu signal caller. Nas duas últimas offseasons, dois rumores de troca foram ventilados no Broncos, sendo que não foram para frente: Colin Kaepernick em 2016 e Tony Romo em 2017.

Pois bem, atualmente temos dois nomes brigando pela posição: Trevor Siemian (titular da temporada passada) e Paxton Lynch. Nenhum dos dois nomes causam enormes alegrias nos torcedores, mas são as opções disponíveis. Siemian saiu da temporada como o titular, mas não empolgou muito. E como novos técnicos trazem novos sistemas, Vance Joseph (novo HC) deixou claro que a posição está aberta.

Mais do que nunca, é importante que o Broncos defina o quanto antes quem será o titular. A franquia investiu em peças de suporte ao QB, melhorando a linha ofensiva, adicionando mais um WR ao elenco (via draft), além de ter mais opções para o jogo corrido. Pelo que tem sido reportado nos treinos, Paxton Lynch tem se destacado, ficando um pouco a frente na briga pela posição. E mais do que nunca, as chances de playoffs passam pela decisão de quem será o titular.

  • Kansas City Chiefs: Cornerbacks

Ao ler isso rápido, o leitor pode estranhar essa fraqueza num primeiro momento, Muitos se lembraram que o Chiefs tem Marcus Peters como Cornerback, que é insdiscutivelmente um dos melhores na posição na liga. Mas fica a pergunta: quem é o jogador que joga em lado oposto?  Se você não olhar em site ou aplicativo, dificilmente saberá responder isso de imediato.

Peters foi um tiro certeiro do Chiefs no Draft. O jogador selecionado no Draft de 2015, chegou na franquia e assumiu a posição. Foi All Pro 2x, 2x indo ao Pro Bowl, calouro defensor do ano, etc. O jogador domina o lado do campo em que joga, mas sofre a carência de não te rum grande nome ao seu lado, que possa trazer uma maior segurança defensiva.e no que isso resulta? Muitas bolas lançadas em seu lado oposto, e uma defesa exposta.

Pensava-se que o Chiefs fosse resolver esse problema no Draft, mas isso não ocorreu. Numa divisão com Wide Receivers muito físicos e altos, além do próprio esquema defensivo d Chiefs, faz-se necessário a presença de um Corner alto e forte. No próprio draft tinhamos bons nomes nos primeiros rounds: Tre’Davious White, Gareon Conley, Sidney Jones, etc. Como esses nomes não vieram resta trabalhar com as opções disponíveis. Atualmente, Phillip Gaines é o titular com Corner #2, mas sem maiores destaques. Uma opção a ser trabalhada, é uma melhor cobertura dos Safeties, tentando não deicar Gaines muito exposto ao longo dos jogos. Vamos ver o que Reid e seus coordenadores conseguem fazer.

 

  • Los Angeles Chargers: Lesões

Um pouco de inovação aqui. Normalmente nós apontaríamos um setor da equipe que ser mais vulnerável e que a franquia precise melhorar para tentar algo na temporada. Esse setor existe? Sim, a linha ofensiva do Chargers é um das piores da liga, e a franquia buscou melhorá-la nessa offseason. Mas olhando a fundo o Chargers, vimos que as lesões é o principal obstáculo da franquia hoje em dia.

Motivo para isso não falta. Se olharmos os últimos anos, exemplos não faltam. Keenan Allen (2x), Manti Te’o, Jason Verrett, Danny Woodhead, etc. Poderia ficar aqui listando os quase 20 nomes que ficaram na IR (Injury Reserve, a lista de jogadores fora da temporada por lesão) em 2016, mas acabaríamos nos cansando. E se olharmos para os outros anos, teremos mais nomes ainda.

Numa liga extremamente competitiva, ser duradouro é extremamente necessário. Não adianta ter um elenco qualificado – e, sim. O Chargers tem um elenco bem qualificado – se você não consegue estar apto a jogar. Sabendo disso, o novo HC do Chargers, Anthony Lynn, tem procurado melhorar o aspecto físico do time. Mudou a equipe de condicionamento, melhorias na parte médica, tudo para tentar ter os jogadores fortes e saudáveis. Vejamos se isso mudará ao longo da temporada, pois o torcedor do Chargers está cansado de ter a mesma história repetida todo ano.

 

  • Oakland Raiders: Secundária


O Oakland Raiders tem uma boa defesa, um front seven exatamente qualificado, além de ter Khalil Mack, que foi eleito o Defensor do Ano. Enteranto, a principal fragilidade da franquia hoje está em outra parte do setor defensivo: a sua secundaria.

A tônica dos jogos contra o Raiders tem sido basicamente a mesma. Muita pressão do front seven, dificultando a evolução do jogo corrido. E qual a solução para conseguir atacar? Muitas bolas em profundidade, além de acionar bastante os Tight Ends nas jogadas de meio, justamente naquela zona entre os LB e o raio de cobertura dos Safetys. Isso tem levado a franquia a tomar muitos pontos no decorrer dos jogos.

Pensando nisso, a franquia tem tentado resolver esse problema. Por 2 Drafts seguidos, foram selecionados jogadores para o setor em posições altas no draft (2016 – Karl Joseph; 2017 – Gareon Conley e Obi Melifownu). Com os jovens talentos, a expectativa é sanar essa lacuna, coisa que não foi possível com a contratação de veteranos como Reggie Nelson, David Amerson e Sean Smith. Vejamos como os garotos se saíram, e se auxiliaram o Raiders a retornar ao Super Bowl após longos anos de ausência.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Giovani Natal é o setorista da AFC OESTE. Analisa Chiefs, Chargers, Raiders e Broncos às quartas e quintas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @giovani_natal