quinta-feira, 5 de Abril de 2018

Compartilhe

Não é segredo para ninguém que a posição de quarterback é a mais importante do futebol americano. Se você não tem um jogador eficiente para ela, a perdição pura aguarda. É por isso que fortunas são gastas em talentos duvidosos e que contratos ruins são anualmente assinados – quem não se lembra da tragédia que foi a contratação de Brock Osweiler pelo Houston Texans?

A free agency foi muito movimentada para a posição: Kirk Cousins colocou novos parâmetros contratuais ao assinar um acordo com 100% de dinheiro garantido com o Minnesota Vikings, Case Keenum foi para o Denver Broncos, o New York Jets tratou de assinar com não um, mas logo dois pretendentes ao cargo de signal caller titular. Para quem falhou na missão de conseguir um talento comprovado, resta apenas o draft.

Com os recursos para resolver esse problema se esgotando, a pergunta da coluna dessa quinta-feira é: quais times tem as piores situações na posição de quarterback no momento? Se você quiser ver sua dúvida analisada aqui na próxima semana, envie-a no twitter para @massaricarlos!

1. Buffalo Bills

O Bills não queria mais Tyrod Taylor e tratou de trocá-lo para Cleveland. Só que falhou em conseguir um veterano confiável na free agency, assinando apenas com o enigma que é AJ McCarron. Com duas escolhas de primeira rodada no draft, mas nenhuma no top 10, será obrigatório para a franquia conseguir uma troca para as primeiras posições visando um novo quarterback. Caso não consiga, terá que confiar no ex-Bengals.

LEIA MAIS: O que esperar do futuro do New York Giants?

McCarron tem apenas três jogos como titular em sua carreira profissional, amostragem muito pequena para qualquer opinião minimamente válida. O fato de nunca ter ameaçado Andy Dalton, que não é um dos melhores quarterbacks da NFL, diz bastante sobre ele – se fosse um atleta de alto nível, teria assumido a função no próprio time de Cincinnatti.

Não existe escolha para o Bills que não seja trocar para as cinco primeiras posições e selecionar um quarterback no draft. Já se especula bastante que o parceiro seja o New York Giants, mas são só boatos. De uma forma ou de outra, o titular da franquia na temporada 2018 será ou um veterano de quatro anos com três partidas na liga, ou um calouro. Nada ideal.

2. Arizona Cardinals

Ao contrário do Bills, que não queria mais o quarterback que tinha em seu elenco, o Cardinals não pôde fazer nada para evitar a perda do seu: Carson Palmer se aposentou. Na free agency, a franquia até que tentou contratar nomes relevantes, mas acabou apenas com um duo problemático: Sam Bradford e Mike Glennon.

LEIA MAIS: Qual o futuro da defesa do Seattle Seahawks?

Bradford é bastante talentoso, não se enganem. Quando saudável, pode liderar um time em uma campanha de playoffs. Infelizmente, é o maior homem de vidro dentre os atuais signal callers da NFL e normalmente não nos perguntamos se ele vai se machucar, mas sim quando. Por outro lado, Glennon não tem capacidade para ser titular e isso é provado a cada vez que ele recebe uma oportunidade – em 2017, fracassou com o Chicago Bears.

Arizona também se encontra em situação de necessidade de selecionar um quarterback na primeira rodada do draft. Só que, se Buffalo tem munição para subir até a segunda escolha geral e pegar um de seus nomes preferidos, o Cardinals teria que vender muitos recursos para alcançar algo similar. O mais provável é que fique com o quarto ou quinto nome mais badalado para a posição do recrutamento. E estaria a uma lesão de Sam Bradford de vê-lo jogado aos leões logo na temporada de calouro.

3. New York Giants

Existe um titular claro no New York Giants – Eli Manning. Mas não é segredo para ninguém que o irmão caçula de Peyton vem sofrendo um grande declínio nos últimos anos e se encontra próximo da aposentadoria. Apenas o vigésimo sexto melhor quarterback da liga em rating em 2017, o bi-campeão do Super Bowl pode estar em sua temporada de despedida.

Não se sabe como será o 2018 de Eli – ele pode se recuperar um pouco e ter um bom ano, mas o mais provável é que o movimento natural de declínio siga aparecendo. Assim, em algum momento pode ser que tê-lo em campo se torne uma opção inviável. E é necessário um herdeiro.

LEIA MAIS: Existe racismo contra quarterbacks negros na NFL?

Com a segunda escolha geral do draft, há duas opções para o Giants: selecionar o melhor quarterback disponível ou trocar essa primazia por mais escolhas com um time desesperado. As notícias recentes dão conta de que a equipe está leiloando esse posicionamento, o que praticamente a tiraria da zona onde os signal callers mais prontos para assumirem já em 2018 estarão. Ou seja, a franquia ficaria totalmente dependente da recuperação de Eli para ser competitiva.

No roster atual, só há Davis Webb, que nunca entrou em campo, além de Eli. Leiloar a segunda escolha geral, como a mídia diz, não parece a melhor opção para o Giants.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

Compartilhe

Leave A Reply