terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Compartilhe

Mais uma semana encerrada na NFL, o que significa que é hora do power ranking do Liga dos 32. E dessa vez a coluna volta graças a um desafio: meu amigo (e Manager Geral do Liga) Edu Araujo, que está viajando essa semana, mandou uma mensagem me desafiando a escrever essa coluna no seu lugar durante sua ausência.

Pois bem, missão aceita e missão cumprida. Essa semana vocês terão a chance de ler alguns insights escritos por uma mão diferente sobre uma semana bastante peculiar, a grande atuação de Russell Wilson, a ascensão de dois times na AFC, as batalhas cada vez mais quentes pelas vagas restantes de playoffs e o final mais maluco/esquisito de uma partida que vimos nos últimos tempos.

Só para lembrar, nosso power ranking é semanal e o critério a ser levado em conta é o resultado do time na semana, somado ao resultado do time da semana anterior, mais o futebol apresentado e a força da equipe.

E aí, em qual posição estará seu time? Espero que todos curtam, e para quem não concordou é só deixar sua opinião nos comentários.

1°) Philadelphia Eagles PHI(10-2)

Uma derrota para o forte Seahawks fora de casa com um Russell Wilson jogando o fino da bola não é o suficiente para derrubar o Eagles do topo do Power Ranking.  Ainda é o time mais dominante e convincente da NFL essa temporada, e o que melhor balanceia ataque, defesa e special teams. Mesmo em um jogo que enfim pareceu humano, Carson Wentz ainda fez alguns lançamentos de cair o queixo.

2°) New England PatriotsNE (10-2)

Apesar de talvez o jogo mais difícil do ano para Tom Brady, que passou boa parte da tarde sendo jogado de um lado para o outro como se fosse uma boneca de pano pela linha defensiva de Buffalo, New England ainda caminhou para uma vitória tranquila contra o Bills graças a uma grande atuação do seu jogo terrestre (191 jardas, 2 touchdowns) e da sua tão criticada defesa. New England agora tem 8 vitórias seguidas e está 10-1 desde a derrota para o Chiefs na noite de estreia da temporada.

3°) Minnesota VikingsMIN (10-2)seta-verde+2

Minnesota continua vencendo, Case Keenum continua jogando bem, e provavelmente já é hora de parar de questionar se ele é para valer ou não, e simplesmente aceitar que Keenum está com total domínio de um ataque muito bem montado e com uma excelente combinação de proteção e alvos ao seu redor. Keenum não tem sido apenas um dos melhores quarterbacks da temporada, mas ganhando apenas 2 milhões por ano em seu contrato atual, é sem dúvida a melhor barganha da temporada 2017 da NFL.

4°) Pittsburgh SteelersPIT (10-2)

Antonio Brown nos lembrou no Monday Night Football (se é que precisávamos de um lembrete) que um Brown limitado ainda é um WR mais dominante que 95% dos recebedores da NFL. Pittsburgh cumpriu seu dever contra o Bengals, venceu com grande atuação de LeVeon Bell (em uma temporada decepcionante), e agora tem um confronto difícil contra os arquirrivais Ravens pela frente – enquanto mantêm um olho na Semana 15, quando recebem o Patriots no jogo que pode definir a #1 Seed da AFC.

E, mais importante do que tudo que está escrito aqui, ficamos na torcida para que Ryan Shazier esteja bem e se recupere logo.

5°) Los Angeles Rams STL (9-3)seta-verde+1

Com os 25 pontos anotados no domingo contra uma ótima defesa de Arizona (o outro touchdown foi um retorno de interceptação), o ataque do Rams agora anotou 25 pontos ou mais em 9 dos 12 jogos da franquia na temporada – todas elas vitórias. O Rams lidera a NFL inteira em pontos ofensivos anotados em 2017, um ano depois de ser o último colocado absoluto no quesito em 2016.

Em tempo, e tendo esse dado em mente, será coincidência que Jared Goff e Case Keenum – que em 2016 combinaram para a pior dupla de quarterbacks da NFL – estão ambos entre os melhores QBs de 2017 agora que estão longe de Jeff Fisher? Arrisco a dizer que não.

6°) New Orleans Saints NO(9-3)seta-vermelha-3

O Saints voltou a vencer essa semana com mais uma atuação de gala da sua dupla de RBs, Alvin Kamara e Mark Ingram, e assumiu assim a liderança isolada e o controle da NFC South. A dupla Ingram e Kamara – que já passou da hora de ganhar um apelido – combinaram para 145 jardas terrestres, 103 jardas aéreas, e 3 touchdowns.

Depois de ver anos com Drew Brees carregando nas costas o ataque do Saints, é interessante ver o jogo terrestre assumindo o papel de protagonista de um dos melhores ataques da NFL em New Orleans – embora o veterano quarterback tenha sido tudo menos um mero espectador nessa temporada: Brees é terceiro em toda a NFL em jardas aéreas e em QB rating.

7°) Seattle SeahawksSEA (8-4)seta-verde+1

Se ainda não estava claro suficiente, Russell Wilson precisa submeter o vídeo da vitória do Seahawks sobre o Eagles no Sunday Night para a sua candidatura de MVP. O quarterback de Seattle colocou (mais uma vez) o ataque nas costas e, sem ajuda da linha ofensiva ou do jogo terrestre, resolveu o jogo contra o melhor time da NFL: Wilson teve 258 jardas (227 aéreas, 31 terrestres) e 3 touchdowns  em uma partida impressionante que envolveu improvisações, conversões críticas, jogadas estendidas com scrambles malucos, e passes milimétricos sob pressão. Wilson não recebe tanta atenção como outros QBs da liga (Tom Brady e Carson Wentz dominam 95% das discussões para MVP) mas nenhum outro QB precisou fazer tanto pelo seu time (com sucesso) esse ano quanto Russell Wilson.

8°) Baltimore RavensBAL (7-5)seta-verde+11

O Ravens está ON FIRE ultimamente: em seus últimos 5 jogos Baltimore está 4-1, e nas 4 vitórias superaram os adversários por um placar combinado de 130 a 36. A única derrota veio para o 8-4 Titans no Tennessee, por 3 pontos. Baltimore agora está 7-5 e no coração da disputa pelos playoffs na AFC, com jogos contra Browns, Colts e Bengals ainda pela frente.

DVOA (a estatística avançada do site Football Outsiders, que ajusta a performance do time por adversário e situação de jogo) coloca a defesa de Baltimore como a melhor da NFL essa temporada, e três vezes no ano o Ravens segurou seu adversário sem pontos. Vamos ver como essa unidade vai responder à lesão que tirou Jimmy Smith do resto da temporada.

9°) Carolina PanthersCAR (8-4)seta-verde+1

A ótima sequência do Panthers foi interrompida diante do Saints no Superdome nesse final de semana, mas ainda foi uma partida competitiva contra um dos melhores times da temporada. Carolina ainda está 4-1 nos seus últimos 5 jogos e firme na briga por uma vaga de playoffs, mas terá um desafio e tanto pela frente: três dos seus últimos 4 jogos são contra Minnesota, Atlanta (jogo chave na Semana 17) e o Green Bay Packers na semana que Aaron Rodgers pode voltar aos gramados depois da lesão.

10°) Los Angeles Chargers SD (6-6)seta-verde+8

O Chargers, que começou a temporada 0-4, agora está empatado no topo da AFC West com o Chiefs, que começou o ano 5-1. Como todo mundo esperava, é claro.

O Chargers é um dos times mais quentes da NFL no momento, com 6 vitórias nos seus últimos 8 jogos, e as duas derrotas vindo fora de casa para 1o-2 New England e (na prorrogação) 8-4 Jacksonville. E a verdade é que o time de Los Angeles é bem melhor do que sua campanha indica. 2 das derrotas vieram do time em erros de FG nos segundos finais, e outra em um colapso histórico no quarto período contra Blake Bortles e o Jaguars (uma quarta foi contra o poderoso Eagles por apenas 2 pontos). Um pouco mais de sorte e o Chargers poderia perfeitamente estar 9-3, que refletiria melhor o nível de performance da franquia na temporada. O Chargers está chegando um pouco atrasado para a festa, mas está encontrando seu melhor jogo na hora certa, e seu melhor é bom o bastante para bater de frente com quase qualquer time da NFL.

11°) Jacksonville Jaguars  JAC(8-4)seta-vermelha-4

Jacksonville se recuperou do Blaine Gabbert Revenge Game da semana passada com uma boa vitória sobre o fraquíssimo Colts. A defesa, como sempre, apareceu muito bem: o Jaguars cedeu 10 ou menos pontos em 8 dos seus 12 jogos na temporada, todos vitórias. Por outro lado, Jacksonville também está 1-4 nos jogos que sua defesa permite mais de 10 pontos. Jalen Ramsey e Calais Campbell merecem mais atenção na conversa de melhor defensor da temporada.

12º) Tennessee TitansTEN (8-4)seta-vermelha-1

Tennessee continua vencendo sem convencer. A vítima da vez foi Tom Savage e o Houston Texans, em um jogo que foi bem mais apertado do que o placar (24 a 13) faz parecer. O Titans agora está 6-1 nos seus últimos 7 jogos, mas apenas uma das vitórias (por 3 pontos contra o Ravens) foi contra um time com campanha positiva – as outras 5 foram contra times que combinam para uma campanha de 15-37.

O lado bom é que podem não precisar de mais do que isso: Tennessee viaja para Arizona e San Francisco a seguir, e deve decidir em casa na semana 17 (contra o Jaguars) o seu destino na temporada.

13°) Atlanta FalconsATL (7-5)seta-vermelha-1

Atlanta perdeu para um ótimo time do Vikings nessa rodada, mas o time continua na direção certa depois de um começo complicado, e a volta de Devonta Freeman de uma concussão deve ajudar a impulsionar um time que ainda não se encontrou totalmente desde a derrota no Super Bowl. O calendário, no entanto, começou a jogar contra: Atlanta teve o sétimo calendário mais fácil da NFL até a semana 12, mas tem de longe o calendário mais difícil nas 5 rodadas finais, com a viagem para Minnesota iniciando uma sequência que também envolve dois jogos contra o 9-3 Saints e um contra o 8-4 Panthers.

14°) Dallas Cowboys DAL(6-6)

Embora a ausência de Ezekiel Elliott fosse a mais comentada, a queda de produção do Cowboys coincidiu com a ausência por lesão (e um jogo bastante limitado na semana 12) do excelente LT Tyron Smith. A volta de Smith em bom nível impulsionou Dallas a quebrar sua sequência de derrotas atrás de 182 jardas e 2 TDs do ataque terrestre, e da vida nova ao Cowboys na dificílima briga por uma vaga de wild card na NFC. Enquanto Smith e a linha ofensiva ficarem saudáveis, o Cowboys tem esperança.

15°) Oakland RaidersOAK (6-6)seta-verde+2

O Raiders fica aqui quase por eliminação depois de vencer o Giants, sem convencer, em Oakland. Raiders voltou à briga pelos playoffs com a queda do Chiefs e uma AFC fraca, mas graças a vitórias sobre os fraquíssimos Giants e Broncos. Oakland ainda não engrenou uma boa sequência na temporada, e embora não seja um time ruim, também não se mostrou em nenhum momento um time bom.

16°) Green Bay PackersGB (6-6)seta-verde+4

O Packers voltou a vencer depois de 3 semanas apesar de apenas 85 jardas de Brett Hundley no jogo aéreo, graças a Mason Crosby, um touchdown defensivo (e Jameis Winston!), e o ataque terrestre (199 jardas, 2 TDs). O Packers tem previsivelmente sofrido na ausência de Aaron Rodgers, mas de alguma forma conseguiu se manter vivo na briga pelos playoffs.

Com Green Bay mirando a semana 15 para a volta de Aaron Rodgers e um confronto contra Cleveland semana que vem, Green Bay pode chegar na reta final do seu calendário (que inclui confrontos diretos contra Lions e Panthers) com sua superestrela de volta no time, uma campanha de 7-6 e chances reais de pós-temporada.

17°) Washington RedskinsWAS (5-7)seta-verde+2

A derrota do Redskins no Thursday Night contra o Cowboys provavelmente decretou o final da temporada do time de Washington, mas essa campanha de 5-7 ainda parece enganosa. Kirk Cousins mais uma vez está jogando muito bem esse ano, a defesa tem sido competente, mas não o suficiente para carregar o Redskins sobre o pior calendário da NFL.

Suas 7 derrotas vieram contra Eagles (10-2), Chiefs (antes de começar a cair), Eagles de novo, Cowboys (com força total), Vikings (10-2), Saints (9-3), e agora Cowboys de novo – e isso sem lembrar as vitórias contra Rams (9-3) e Seahawks (8-4).  O Redskins foi um time sólido e melhor do que sua campanha indicaria, mas não bom o bastante para sobreviver A esse corredor da morte.

18°) Detroit LionsDET (6-6)seta-vermelha-5

Detroit perdeu dois jogos seguidos depois de vencer o Bears por 3 pontos na semana 11, o que não é exatamente uma sequência inspiradora. Na verdade, Detroit está 3-5 depois de um bom começo de ano, e essas três vitórias que mantiveram o Lions vivo vieram contra o Packers sem Aaron Rodgers, o Cleveland Browns, e o Bears.

Matthew Stafford está jogando muito bem – de novo – após se tornar o jogador mais bem pago da liga, mas nem ele é capaz de compensar sozinho um horrível ataque terrestre que tem média de 3.4 jardas por corrida, terceira menor marca da NFL.

19°) New York JetsNYJ (5-7)seta-verde+4

O Jets tem sido competitivo ultimamente para um time que se esperava que fosse tão ruim, mas mais importante que a sua vitória por 38-31 sobre o Chiefs, o surreal final dessa partida precisa ser comemorado de alguma maneira. No quarto período apenas aconteceu a seguinte sequência:

– O Jets, perdendo de 31 a 30, teve uma 1st and 10 na linha de 10 do campo de ataque com 5:48 no relógio.

– O Jets não conseguiu anotar o touchdown na terceira descida e foi para o FG que deixaria o Chiefs 2 pontos atrás e com 4 minutos para virar o jogo.

– Uma falta de unnecessary roughness durante o FG transformou aqueles 3 pontos em um first down automático na linha de 1 jarda para o Jets.

– O Jets perdeu 3 jardas nas 3 jogadas seguintes e se preparou para chutar o FG de novo.

– Uma falta de holding defensivo na terceira descida deu ao Jets OUTRO first down automático na linha de 1 jarda.

– McCown anotou um touchdown correndo na terceira descida.

– O Jets falhou em converter os 2 pontos, mas OUTRA falta de holding contra o Chiefs deu ao Jets uma segunda chance, dessa vez da linha de 1 jarda.

– Marcus Peters ficou absolutamente pistola, jogou a flag do árbitro na torcida e ganhou mais uma falta pessoal contra o Chiefs.

– Peters, apesar de não ter sido ejetado, simplesmente foi embora de campo sem mais nem menos.

– Peters voltou para campo sem as meias (?).

– O Jets converteu sua segunda tentativa, forçando o Chiefs a anotar um TD para empatar a partida, sem tempos, em 2:15 de jogo.

– O Chiefs levou a bola até a linha de 18 jardas do campo de ataque mas falhou em converter a quarta descida para manter a campanha viva.

Foi uma das sequências mais ridículas e absurdas dos últimos tempos. E claro que tinha que ser num jogo do Jets.

20º) Kansas City ChiefsKC(6-6)seta-vermelha-9

O Chiefs agora perdeu 4 jogos seguidos, e 6 dos últimos 7 que disputou, o último de forma ridícula (descrita acima) e que escancarou o nervosismo e descontrole da franquia nesse momento de crise. De alguma forma, acharão uma maneira de colocar Pat Mahomes no lugar de Alex Smith como a solução para os problemas, apesar de Smith ter totalizado 436 jardas e 4 TDs em um jogo que sua defesa tomou 38 pontos de Josh McCown.

O Chiefs ainda está milagrosamente empatado na liderança da divisão, mas não vai ter muito tempo para descobrir o que está de errado, já que suas próximas duas partidas são os confrontos diretos decisivos contra Oakland e Los Angeles que devem definir quem fica com a AFC West.

21°) Buffalo BillsBUF (6-6)

Apesar de boa performance defensiva, o Bills caiu perante o New England Patriots mais uma vez. E, pior, viu Tyrod Taylor sair com uma lesão no joelho, com o coitado Nathan Peterman voltando a ser o QB do time (e, milagrosamente, não lançando nenhuma interceptação). Agora a comissão técnica pode não ter escolha senão reviver a péssima decisão de mudar de QB e tentar descobrir o que o time tem em Peterman antes do próximo Draft.

22°) Cincinnati BengalsCIN (5-7)seta-verde+4

O Bengals fez jogo duro mas não conseguiu vencer o forte Steelers no Monday Night, encerrando a recuperação de Cincy e sepultando de vez as esperanças de playoffs da franquia depois de um péssimo começo de ano. A derrota também pode, enfim, iniciar uma discussão sobre a segurança no cargo do técnico Marvin Lewis, que é técnico do Bengals há 15 anos e não tem nenhuma vitória em pós-temporada no seu currículo (mas tem, inexplicavelmente, três empates).

23°) Houston TexansHOU (4-8)seta-vermelha-7

O Texans continua em queda livre, com quatro derrotas em cinco jogos desde a lesão de Deshaun Watson, a última delas nas mãos do Tennessee Titans. O Texans tem 11 jogadores no IR – incluindo Watt e Watson – e mais pelo menos 8 titulares de rotação perderam tempo significativo esse ano. Temporada perdida por fatores além do seu controle.

24º) Arizona CardinalsAZ (5-7)seta-vermelha-2

O Cardinals perdeu mais uma vez, dessa vez para o Rams, em Phoenix. Mesmo com uma boa defesa, existe um limite para o que você pode sonhar quando seu jogo terrestre é o pior da NFL e sua rotação de QBs é Drew Stanton e Blaine Gabbert.

25°) Miami DolphinsMIA (5-7)

Miami finalmente quebrou sua sequência de cinco derrotas seguidas com uma vitória expressiva sobre o Broncos. Essa foi, no entanto, a primeira vez no ano que o Dolphins quebrou um padrão incômodo: vitórias apertadas, e derrotas largas. Das suas 7 derrotas, apenas uma veio por menos de 10 pontos, enquanto que suas vitórias vieram todas por 6 pontos ou menos (até domingo). Esse padrão costuma indicar um time que é pior do que sua campanha diz, e esse é sem dúvida o caso do Dolphins de 2017.

26º) Tampa Bay BuccaneersTB (4-8)seta-vermelha-2

James Winston voltou de lesão para o jogo contra o Packers, mas de pouco adiantou: Winston cedeu um touchdown em um fumble bizarro, e o Bucs perdeu para o Packers mesmo sem Aaron Rodgers. Foi a sétima derrota em 9 jogos para o Bucs, uma das maiores decepções da temporada.

27°) San Francisco 49ers SF(2-10)seta-verde+3

Foi apenas um jogo, mas o que Jimmy Garoppolo mostrou na vitória sobre o Bears foi para fazer o torcedor do Niners salivar. Mesmo com pouquíssima ajuda ao seu redor e conhecendo apenas uma parte pequena do playbook, Garoppolo mostrou um comando impressionante do ataque e basicamente todos os fundamentos que você busca em um QB titular na NFL. Seus passes foram precisos, suas decisões bem tomadas, e conseguiu dominar uma boa defesa do Bears apesar da falta de touchdowns. O time pareceu outro com Jimmy G no comando, e se Garoppolo continuar jogando bem e mostrando evolução para esse ataque, a temporada do 49ers pode não ter sido tão desastrosa assim.

28°) Indianapolis Colts IND(3-9)

O Colts está oficialmente em modo “Quando chegam as férias”, o que não é tão bom quanto faltam ainda 4 semanas para o fim da temporada, mas paciência.

29°) Denver BroncosDEN (3-9)seta-vermelha-2

O Broncos agora perdeu incríveis OITO jogos seguidos, e o problema de quarterbacks que tanto atrapalhou Denver esse ano está longe de ter um fim. Depois de Trevor Siemian ser colocado no banco por Brock Osweiller, e Brock ser colocado no banco por Paxton Lynch, Siemian voltou a ser o titular… e, de novo, foi péssimo, com 200 jardas em 41 passes e 3 interceptações contra um fraco Dolphins.

30°) Chicago Bears CHI (3-9)seta-verde+1

Chicago perdeu a quinta seguida, apenas o segundo time essa temporada a conseguir a honra duvidosa de ter perdido para o 49ers (ainda que sob novo comando). Mais incômodo, Trubisky mais uma vez não mostrou um bom jogo, e o Bears precisou de um retorno de punt fantástico de Tarik Cohen para se manter competitivo em casa contra um time que estava 1-10 na temporada.

31°) New York Giants NYG (2-10)seta-vermelha-2

O Giants tem sido péssimo dentro de campo, mas a franquia conseguiu atingir um novo nível com o circo que foi na última semana. O time colocou Eli Manning no banco em favor de Geno Smith, se viu no centro de um desastre de relações públicas, foi alvo de ataques de pessoas de todos os ramos diferentes, perdeu mais uma vez, demitiu o técnico Ben McAdoo e o GM Jerry Reese em uma tentativa desesperada de salvar as aparências, e recolocou Eli Manning de titular depois de uma semana. O que os donos e a diretoria do Giants fez nos bastidores na última semana foi mais feio do que qualquer coisa que o Browns tenha mostrado em campo.

32º) Cleveland BrownsCLE (0-12)

O Browns perdeu mais uma, mas foi muito bom ver Josh Gordon de volta à NFL depois de três anos parado. E foi ainda melhor ver Gordon dominando defensores como nos velhos tempos, conseguindo 85 jardas (apenas o segundo WR apenas a bater essa marca contra o Chargers) em cima de Casey Hayward –talvez o melhor cornerback da NFL esse ano. Ninguém duvida do talento de Josh Gordon, mas fica a torcida para que dessa vez o WR do Browns consiga vencer seus demônios pessoais. Quem ganha é a NFL e o  fã do esporte.

 

Compartilhe