Por que o Chiefs vai vencer a AFC Oeste?

7 de setembro de 2017
Tags: chiefs, Giovani Natal, Notícias do Dia,

Hoje é dia de texto sobre a AFC West aqui no Liga dos 32. Nessa quinta, teremos finalmente a volta da NFL, com o jogo de abertura entre o Kansas City Chiefs e o New England Patriots, em Foxboro. E pegando um gancho nisso, é hora de listarmos os motivos pelos quais a franquia do Missouri poderá vencer a divisão, mantendo assim, a sua dominância dos últimos anos. Apesar da conturbada offseason, o Chiefs tem fortes virtudes que o credenciam como um dos favoritos a divisão, além de uma vaga nos playoffs.

  • Andy Reid

Numa divisão tão complicada e equilibrada como a AFC West, o comando técnico é um fator preponderante para definirmos o melhor naquele meio. E nisso, é fato incontestável que Andy Reid é o melhor HC da divisão, o que dá uma certa vantagem e trunfo ao Chiefs ano após ano.

O veterano HC, apelidado carinhosamente de Morsa pelos fãs da liga, tem 4 anos como técnico da franquia, e vem apresentando um excelente trabalho em todo o período. São 4 temporadas com pelo menos 9 vitórias no ano, 3 idas aos playoffs no período, além do título da divisão no último ano.

Considerado uma das melhores mentes ofensivas da liga, Reid é capaz de conseguir extrair o melhor de seus jogadores, e como de costume, entregar um bom trabalho. Ajustando seu plano de jogo as peças que possui a disposição, o técnico consegue ter um ótimo jogo corrido, o advento de Tyreek Hill, seja como WR ou como retornador, além da boa utilização de Alex Smith como um game manager. E sabendo de seu poderio em criar ataques, a franquia fez uma aposta no QB Patrick Mahomes II para os próximos anos, confiando na capacidade de seu HC em fazê-lo funcionar.

  • Unidade Ofensiva

E já que falamos do mentor do ataque, não custa agora mencionar as peças na mão do mentor. Se olharmos as posições, seja linha ofensiva ou posições especificas, o Chiefs está bem servido.

A linha ofensiva, da esquerda para a direita, é formada por Erik Fisher, Bryan Witzmann, Mitch Morse, Laurent Duvernay-Tardif e Mitchell Schwartz. A unidade tem se destacado nos últimos anos na proteção contra o passe, além de ser muito efetiva na blitz contra o jogo corrido. Ela foi fundamental para o sucesso nos últimos anos.

Nas skills players, temos alguns nomes de destaques na liga. O nome de Travis Kelce salta logo aos olhos. Entrando em seu 5º ano de liga, o jogador é hoje um dos 3 melhores jogadores da posição, além de ser um alvo primário na franquia. E com a saída de Maclin, após corte da franquia, deverá ser ainda mais acionado ao longo dos jogos, e não se espante caso passe das 1000 jardas novamente.

Outro nome de destaque é Tyreek Hill. Após um explosivo ano de rookie, espera-se muito dele nessa temporada que se inicia. Com o já mencionado corte de Jeremy Maclin, Hill assume o posto de WR1 e deverá ser ainda mais acionado. Utilizando-se de sua velocidade lateral e explosão, poderemos ver várias jogadas no slot, backfield, screen, etc.

Fechando a unidade, é bom ficar de olho no calouro Kareem Hunt. Com a saída de Jamaal Charles e com a lesão de Spencer Ware, o novato deverá ter bastante espaço. Com uma boa velocidade e leitura de gaps, ele será importante nas chamadas ao longo do ano.

 

  • Sistema Defensivo

Se nós sabemos de toda a capacidade de Reid em extrair o melhor de seu ataque, não podemos esquecer do belíssimo trabalho de Bob Sutton como o coordenador defensivo do Chiefs. A frente da unidade desde 2013, a unidade tem se destacado na liga, como um setor que sofre poucos pontos, além de ser muito imponente no último terço do campo, e principalmente na redzone. Uma prova disso, é que a franquia, nos últimos anos, tem ficado entre as que menos sofre pontos ao longo da temporada.

Além da mente a frente desse trabalho, não podemos esquecer das ótimas peças que facilitam e corroboram esse bom trabalho. Começando pela linha defensiva baseada no esquema 3-4, temos o trio Chris Jones, Allan Bailey e Bennie Logan. Completando o front seven temos o excepcional Justin Houston, Dee Ford, Derrick Johnson e Ramik Wilson. Além disso, temos o veterano Tamba Hali, que apesar das limitações físicas, é uma presença importante.

Na secundária, temos a excepcional dupla Marcus Peters e Eric Berry, que segura as pontas e impões toda a fisicalidade já menciona. São doisjogadores que se destacam com o alto número de INT, além dos bons tackles anotadas. Além disso, conseguem cobrir a lacuna existente no lado oposto ao de Peters.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Giovani Natal é o setorista da AFC OESTE. Analisa Chiefs, Chargers, Raiders e Broncos às quartas e quintas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @giovani_natal