terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Compartilhe

podcast NOVO

NOVO EPISÓDIO

Tiago Araruna e Arthur Murta comentam sobre o nível de atuação de Jimmy Garoppolo, as dificuldades enfrentadas pelo Seahawks, a polêmica não recepção no jogo Steelers x Patriots, Blake Bortles jogando bem(!) e muito mais. Edição: André Korb.

Caso você tenha alguma opinião sobre o assunto deste episódio e queira expor, a caixa de comentários está disponível. Concorda com o que a gente falou? Algo a acrescentar ao conteúdo discutido no Podcast? Fique livre para debater conosco e comentar!

Podcast Liga dos 32 – Falando de NFL como você nunca ouviu.

Ouça via iTunes e ASSINE grátis por lá:

itunes

Ou escute por outros aplicativos:

 

 

OUÇA ABAIXO O NOSSO PODCAST E FAÇA O DOWNLOAD SE PREFERIR:


Compartilhe

13 Comentários

  1. Callebe Patricio on

    Qual a diferença entre a recepção do Jesse James na semana 15 e do Brandin Cooks na virada dos Patrios contra os Texans na semana 3?

  2. Cada vez mais o prêmio de MVP da temporada se aproxima mais do Brady. Wents, Brow, enfim, os concorrentes estão ficando pelo caminho.
    Sou torcedor do Pats, mas realmente aquela recepção foi muito top pra ser cancelada pela regra, assim como a do Briant a anos atras. Mas a regra foi claramente cumprida, certa ou errada, ela foi cumprida. Jogo FA pelo Franca Carrascos (abraços pra galera) e realmente esse tal do football movie é complicado, tudo que é subjetivo da muita margem a discussão e gera incerteza, vide as escolhas pros Bowls do colege. Abraçoes e parabens pelo trabalho e pelo site que ficou muito top!

  3. O site ficou muito bom, estão de parabéns.
    Nem tem o que comentar referente as informações, se eu fosse fazer um “super bowl” dos Podcasts que eu ouço com certeza vocês já estariam com vaga garantida! hahaha
    Edit: Você perguntou quem gosta dessa regra do Football move.. Eu como torcedor do Patriots eu gosto muito dessa regra hahahahaha (Brincadeiras à parte)

  4. Acho que um grande problema desse jogo foi ter o Wagner bichado e não ter o KJ Wright, além de já não ter o Chancellor. Esse foi um diferencial no primeiro jogo e ajudou a dificultar o jogo corrido, isso sem falar da pressão no Russell Wilson.

    Com isso, acho que fica bem complicado vencer em Dallas com a volta do Zeke, pois mesmo com a volta do KJ Wright não se sabe o estado que o Wagner vai estar. Com ambos acho possível vencer os dois últimos jogos e secar Lions + 2 derrotas de um time da NFC South, sem eles acho que já dá pra tirar o cavalo da chuva.

  5. Francisco Das Chagas Lima on

    Jimmy é fruto de New england, então o sucesso é garantido. Mas os NINERS precisa melhorar nos dois lados da bola. A reestruturação está bem encaminhada. E os patrios é o Flamengo do Futebol americano, é impressionante o ódio que esse time nutre nos outros torcedores. #GoPats

  6. Rodrigo Rene Stephanel on

    Olá Tiago e Arthur,
    Nesse podcast foi discutido a regra da posse da bola no jogo do Patriots x Steelers, mas tem algo que também poderia ter mudado o destino do jogo: a punição pela jogada do TE Gronkowski contra o Bills, vendo que muitos acreditam que a punição dele deveria ser de dois jogos e da jogada decisiva no final do jogo contra os Steelers, vocês acreditam que se Gronkowski estivesse fora, os Patriots teria um destino parecido como contra os Dolphins?

  7. Olá galera! Primeiramente, parabéns pelo Podcast!

    Sobre a regra controversa, sempre prefiro acreditar que tudo na liga é feito por algum motivo. Usando essa lógica fui pesquisar sobre a origem da regra de recepção, mudanças nela, etc, e encontrei alguns artigos bem interessantes que justificam a existência dela.
    Hoje a regra, resumindo, diz que para receber você precisa manter posse da bola e se tornar um corredor, ou manter a posse e sobreviver ao contato com o solo. Até tiraram o termo “football move” em 2015 (se não me engano) para simplificar as coisas. Olhando assim, não é muito complicado. E se for parar para pensar, a regra funciona em 99,9% dos casos.

    Uma proposta que é bem apoiada é apelidada de “Possession and two feets”, mudando para a posse ser composta só por 2 etapas: 1) ter controle da bola sem usar o solo, e 2) fazer isso dentro de campo. Creio que bate +/- com o que vocês falaram no podcast (me corrijam se eu estiver errado). Porém, essa mudança abre margem para alguns problemas tão ruins quanto essas eventuais polêmicas.

    Primeiro, e mais importante, a segurança. A seção de personal-fouls do livro de regra tenta garantir proteção para jogadores quando estão indefesos (defenceless players). E olha uma das definições de jogador indefeso: A receiver attempting to catch a pass; or who has completed a catch and has not had time to protect himself or has not clearly become a runner. (Um recebedor tentando completar um passe, ou que completou e não teve tempo para se proteger ou não se tornou claramente um corredor). Familiar, não? Mudando a regra de recepção para essa proposta, no momento que o recebedor recebeu a bola, já é passe completo. Ou seja, se ele perder a bola, é fumble. E o que as defesas vão fazer? Hits sobre os recebedores, no momento que estão vulneráveis. Abre aí uma brecha bastante perigosa para a segurança dos jogadores (tema que tem cada vez mais destaque, e com razão).

    O segundo ponto é, justamente, Fumbles. Na regra atual, se o recebedor perde a bola antes de “se tornar um corredor” ou sobreviver ao solo, é passe incompleto. Na mudança, isso vira Fumble. No momento que o segundo pé do jogador toda o solo, os defensores vão tentar tirar a bola dele, antes de ser dado tempo para ele se defender. E essa janela minúscula, para jogadores de alto nível, é suficiente. E ao meu ver, isso são turnovers grátis para defesa, que exigem pouco skill e que pode prejudicar a dinâmica do jogo.

    E por fim, a regra tem que ser possível de ser aplicada corretamente. E gostemos ou não da regra atual, ignorando as discussões sobre ela ser justa, ela, parafraseando o Arnaldo, é clara, e vem sendo aplicada conforme o livro. A prova disso é que pouco se discutiu sobre a regra ter sido aplicado corretamente ou não no caso do Jesse James. A primeira pergunta que me vem à cabeça quando penso em uma mudança para a regra do tipo possession and two feets é “quanto tempo?”. Quanto tempo de controle o recebedor precisa ter para ser considerado passe? Como medir isso? E se ele tiver posse, firmar os pés no chão, e soltar a bola antes de começar a correr ou cair? É fumble ou passe incompleto? Dá pra considerar que ele realmente tinha posse? Isso ao meu ver torna a regra muito mais subjetiva do que é hoje. O fato de no caso do Jesse James ser claro, não quer dizer que vai ser sempre assim.

    Concluindo, espaço para melhoria sempre existe (talvez focar apenas na linha de gol seria um caminho), mas não considero a regra ruim. Ela funciona, é aplicável de forma clara e, caso ocorram mudanças, devem ser feitas com extrema cautela.
    Desculpem pelo texto gigante, grande abraço e Go Niners!

  8. Saudações Araruna, Murta e Korb,

    Primeiramente meus parabéns pelo site novo. Ficou mais leve, muito legal, especialmente a parte dos assinantes. Em segundo, um pouco atrasado, parabéns pela participação do Arthur no League. Gostei bastante, especialmente da chamada do Manchinha, citando uma parte do podcast da semana. Sinal de que a audiência está aumentando… Agora, sobre o episódio há duas coisas ruins a comentar. A primeira é maldita regra da recepção. Naquele caso ali do James é absurda a regra.Não questiono a decisão dos árbitros, mas após cruzar o plano de gol o cara pode largar a bola, jogar pra cima, derrubar, tanto faz. Não faz o menor sentido não ser considerada a recepção naquele caso, em que a bola estava dominada e só se mexeu após cruzar o plano de gol. A segunda coisa é a lamentável temporada do Seahawks. Um time sem alternativas no ataque e destruído na defesa. Precisamos repensar algumas coisas. Já é o segundo ano em que o ataque é bastante ruim e parece uma questão conceitual. Forte abraço.

  9. Hello Murta, Aranuna e Korb

    Primeira vez que eu comento aqui, ja sou ouvinte de vcs acredito que a mais de 2 anos, escuto outros podcasts inclusive de NFL, mas vcs são de longe os melhores, muito profissionais e estudiosos, continuem assim….Pois eu sigo vcs durante a season mas tb na Off Season.

    Sou um cabeça de queijo, e esta temporada, sem Rodgers ja foi por água a baixo.

    Minha pergunta para vcs é sobre QB’s…

    Quando a elite se aposentar… Rodgers, Brady, Brees e Big Ben….Quem pra vcs seria a nova elite?

    Meu Palpite é….Wilson com certeza, acho ele um monstro…E aposto em Wentz, Newton e ainda Winston…rss…medo de me arrepender.

    É isso forte abraço pra vc e continuem com este trabalho sensacional!!

    #GoPackGo

  10. Boa tarde, meus caros! Infelizmente meu comentário (que seria o 4°) não foi lido semana passada, mas repito aqui meus parabéns à participação do Murta no ESPN League e ao novo site de vocês.
    Vi essa semana um surgimento de um boato sobre os Packers serem obrigados a dispensarem o Rodgers por ele ter sido posto na IR sem uma nova lesão. Até onde sei, isso seria apenas zuada, mas gostaria que vocês comentassem sobre isso.
    Ah, e qual seria a história do Superbowl mais legal: Eagles vencerem apesar da contusão do Wentz, Vikings jogar em casa ou Drew Brees x Tom Brady?
    Quase esqueço, não gosto daquela regra, mas aceito que ela exista (que suma depois disso), mas acho que o pior foi a chamada dos Steelers depois do TD anulado.

  11. Sandro Sant'Anna on

    James Richard Garoppolo, é o Messias que ira guiar o seu povo (faithful) em busca da terra prometida (super bowl). abs do Velho Garimpeiro.

  12. Olá amigos,

    Mais uma vez deixo aqui meu comentário…

    Antes de mais nada, parabéns pelo excelente podcast, o melhor sobre NFL no Brasil e, possivelmente, no mundo.

    Estava ouvindo a discussão no episódio passado sobre a absurda regra de que o tochdown só se configura quando o jogador completa o movimento, e lembrei daquele lance incrível do Zach Miller dos Bears contra o Saints.

    O jogador fez uma recepção maravilhosa, fez um esforço absurdo para alcançar a bola e com isso um movimento errado jogou seus mais de 100 quilos sobre o joelho…ele ainda caiu com a bola nos braços quando seu joelho se transformou em carne moída, mas a dor excruciante fez com que ele soltasse a bola depois de já ter caído no chão. Resultado…as zebras tiraram o Touchdown dele.

    Achei o lance um absurdo, fiquei realmente chateado, e olha que sou torcedor do Saints.

    Vocês disseram tudo…Passou da hora de ajustarem essa regra infeliz.

    A proposito, no meu ultimo comentário cravei aqui Saints 34 X Patriots 17 no Super Bowl…alguém ainda duvida?

    Geaux Saints!

Leave A Reply