Permanência do Chargers em San Diego é improvável

9 de novembro de 2016
Tags: chargers, Notícias do Dia, paulo cesar,

qualcomm-stadium

A atual fase da NFL exige estádios cada vez mais modernos, com designs inovadores e arrojados ao mesmo tempo que unem todo o conforto necessário para assistir uma partida da temporada regular, tornando o ambiente de estádio o mais próximo possível do conforto de uma casa. Times como Minnesota Vikings e Atlanta Falcons abraçaram este nova fase recentemente e investiram bilhões de dólares – juntamente com as respectivas prefeituras e a iniciativa privada – na construção de novíssimos estádios, o do Vikings inclusive, foi inaugurado nesta temporada. Na contramão desta tendência está o San Diego Chargers, que tem em sua atual casa, o Qualcomm Stadium, um dos estádios mais antigos da NFL que ainda está em funcionamento, já que sua inauguração é datada em Agosto de 1967.

Pois bem, o Chargers, através de seu proprietário Dean Spanos, sofreu um baque na tentativa de arrecadar fundos para a construção de uma nova arena para sua equipe na cidade californiana. A equipe, sem o consentimento da Prefeitura Municipal, do poderoso ramo do turismo ou sequer dos diversos stakeholders que tem grande influência no cenário municipal, colocou para votação uma lei que criaria um imposto sobre a taxa de ocupação dos hotéis da cidade, cujo dinheiro oriundo seria integralmente aplicado na construção da nova casa do Chargers em San Diego. A proposta precisava de 66.67% dos votos para ser aprovada, e em vez disso, foi reprovada por quase dois terços daqueles que votaram, já que segundo o último levantamento oficial na noite de Terça-Feira, haviam 59 votos contra o novo imposto e apenas 41 a favor, com mais da metade dos votos apurados. Tal resultado coloca em risco a permanência do Chargers na cidade, em meio a boatos que o time teria uma preferência de um ano para se juntar ao Rams em Los Angeles e dividir um novo estádio que será construído em Inglewood (nos arredores da cidade). Sobre isso, Spanos emitiu uma declaração oficial:

“Mesmo com o fato de que este projeto falhou em conseguir 2/3 dos votos válidos, gostaria de agradecer com o mais sincero obrigado a todos nos apoiaram, foram fiéis e consideraram nossa iniciativa.

Há  muito que se orgulhar do que conseguimos aqui: foram 110.000 assinaturas de residentes da cidade que foram a favor do projeto, número este levantado em apenas seis semanas, o apoio e dedicação de população civil e empresas que se uniram à nossa causa, e o apoio incondicional de ex-jogadores e figuras importantes para a cidade.

Falando sobre o que vem agora, é muito cedo para qualquer resposta. Iremos cuidadosamente verificar todas as possibilidade e medir (e manter) todas nossas opções, mas nenhuma decisão será tomada até o fim desta temporada e lhes garanto que nada será decidido de forma rápida, sem levar em consideração todo o impacto que causará.

O apoio recebido de amigos e tantas outras pessoas é um alento pessoal para mim, e um sinal claro que servirá de motivação para continuar trabalhando numa solução melhor para todos nas semanas que seguirão.

Novamente, obrigado por acreditarem no Chargers. Todos jogadores do time e minha família apreciaram o apoio neste projeto, e estamos animados olhando para o futuro desta temporada regular.”

Porém, nesta altura, sem nenhuma grande perspectiva de apoio na difícil empreitada que é erguer um estádio do zero, parece improvável afirmar que Chargers ficará em San Diego no futuro próximo, já que o Qualcomm Stadium em breve ficará obsoleto para os parâmetros da NFL, além de que o time convive nos últimos anos com uma dificuldade em lotar o estádio nas oito partidas anuais. A decisão mais óbvia parece aceitar a oferta de Stan Kroenke – dono do Rams – e fazer a mudança ao norte para Los Angeles, para aí sim dividir a pesada conta da construção de um novo estádio, já que mesmo a NFL já se disponibilizou a arcar com alguns custos do novo estádio em Inglewood.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook.

I

Postagens Relacionadas









Paulo César acompanha a NFL desde 2012, com o primeiro contato ocorrendo em 2010. Escreveu para o extinto “Colts Brasil” e HTE Sports. No site, escreve a coluna “Top 5”, às segundas, abordando listas com temas diversos semanalmente.