Patriots foi melhor em talento e em esquema contra o Saints

22 de setembro de 2017
Tags: carlos massari, Notícias do Dia, patriots,

Jogar no Superdome nunca é fácil – ou pelo menos não costumava ser. O New Orleans Saints tem sofrido nos últimos anos com uma defesa muito abaixo da média, obrigando Drew Brees a resolver tudo sozinho. Nos últimos anos, o front office tem tentado trazer peças para essa unidade, mas o custo é a diminuição das armas à disposição do futuro hall of famer. Com isso, o time caiu na mediocridade dos dois lados da bola.

Em baixa após perder de forma contundente para o Kansas City Chiefs na estreia, o Patriots foi a New Orleans muito bem preparado e com esquemas armados para punir as fragilidades defensivas do rival. Deu certo: cinco das seis campanhas do primeiro tempo acabaram em pontuação, quatro delas em touchdown. O que se viu foi Bill Belichick e Tom Brady em suas melhores formas.

A estratégia inicial foi de criar vantagens numéricas para o ataque e explorar confrontos individuais favoráveis. Houve muita movimentação pré-snap, normalmente enganando a unidade defensiva dos donos da casa. Duas corridas de wide receivers, uma com Brandin Cooks e uma com Phillip Dorsett, ficaram a um bom bloqueio de alcançar a endzone. Em ambas, o jogador em questão se movimentou no momento do snap e não foi devidamente acompanhado, gerando um desbalanço da defesa.

Também foram diversos passes – em especial o longo touchdown de Rob Gronkowski – no qual o recebedor ficou em um contra um contra o linebacker calouro Alex Anzalone. Encontrar esses mismatches faz parte do modus operandi de Belichick e Brady, e dessa vez funcionou incrivelmente bem.

A impressão que fica é que o Saints não tinha qualquer ideia do que fazer defensivamente em campo. O coordenador defensivo, Dennis Allen, falhou miseravelmente como head coach do Oakland Raiders e era conhecido por levar seu time a campo completamente despreparado. Foi exatamente o que aconteceu com sua defesa nesse confronto – não havia resposta em momento nenhum. Brady chegou a ter três recebedores abertos em profundidade em uma mesma jogada, bastando apenas escolher quem teria um longo ganho.

LEIA MAIS: Análise da irreconhecível estreia do Patriots

De negativo da performance do ataque do Patriots, fica a linha ofensiva. Principalmente onde ela menos parecia suspeita – os tackles. Marcus Cannon e Nate Solder tiveram atuações bastante abaixo da crítica, o primeiro cedendo um hit e um hurry e o segundo, um sack. Ambos impediram avanços no jogo terrestre. São atletas fundamentais para o sucesso dessa equipe e precisam se elevar ao nível de 2016.

Quem surpreendeu na defesa do Patriots foi Lawrence Guy. Um autêntico journeyman, o defensive tackle vem garantindo seu status de titular da linha defensiva. Nessa partida, usou seu tamanho mamutesco para se desvencilhar de bloqueios e acabar com tentativas de corridas do Saints, além de também gerar pressão em Brees.

Parece que, aos poucos, Belichick vai encontrando respostas para a falta de pass rush da equipe. Nessa partida, Deatrich Wise Jr. foi estelar, conseguindo o único sack do time, mas cinco hits em Brees. Ainda falta o talento, mas sempre existirá a mente do lendário técnico.

A secundária, porém, voltou a ser exposta. É verdade que a grande força do adversário era o ataque aéreo, mas houve uma performance em especial muito preocupante: a do safety Patrick Chung.

Em 2016, ele já era o elo fraco dessa unidade. sendo ranqueado como 89º de 91 safeties elegíveis pelo ProFootball Focus. Nessa partida, foi mais uma vez lastimável. Em sua cobertura, o New Orleans Saints conseguiu 74 jardas (incluindo um passe de 38 jardas de Drew Brees para Alvin Kamara) e um touchdown. A tendência é que os adversários montem esquemas para explorar Chung.

O atual campeão do Super Bowl deve ter vida tranquila na semana 3 antes de enfrentar Panthers e Buccaneers, outras duas forças da NFC Sul. Nessas duas partidas, saberemos melhor se houve evolução desde a dolorosa derrota para o Chiefs.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Carlos Massari é o setorista da AFC LESTE. Analisa Patriots, Jets, Bills e Dolphins às quartas e sextas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @massaricarlos