Os perdedores da offseason de 2017

15 de maio de 2017
Tags: João Gabriel Gelli, Matéria, offseason,

Após o Draft, o ciclo de notícias da NFL reduz drasticamente seu ritmo e os times passam a focar na preparação física e técnica para a próxima temporada. Assim, continuaremos avaliando as consequências da offseason de 2017 até aqui. Depois de analisarmos os quarterbacks mais felizes com as contratações na semana passada, passaremos aos jogadores e técnicos que podem ser considerados os perdedores do período.

Alguns estão nesta lista por motivos óbvios, enquanto outros precisam de um pouco mais de explicações. Como sabemos que estes nomes podem não agradar a todos e alguém pode ter ficado de fora, usem os comentários para dizer quem faltou ou não merecia estar aqui elencado. Além disso, outro fato importante é de que a ordem na qual os jogadores e técnicos aparecerão é aleatória. Agora, com estes adendos já longe do caminho, passemos para o que interessa:

RB Jeremy Hill – Cincinnati Bengals

O primeiro nome a aparecer é o do RB do Bengals. Depois de despontar como um dos melhores corredores da liga em sua temporada de calouro, Hill passou a ter muitas dificuldades nos anos seguintes com um esquema diferente. Com seus números caindo, o impacto quase nulo como recebedor ou no time de especialistas e ainda com a seleção do talentoso Joe Mixon na segunda rodada do Draft, ele pode acabar sendo trocado ou vendo seu papel no ataque de Cincinnati drasticamente reduzido logo no último ano de seu contrato de calouro.

QB Colin Kaepernick – Free Agent

É óbvio que Kaepernick não poderia faltar nessa lista. Desde que comandou o 49ers até o Super Bowl em 2012 e assinou um grande contrato em 2014, sua carreira tomou um rumo contrário do que se esperava. Com lesões e pouca capacidade de adaptação, viu seu jogo ficar manjado e perdeu espaços aos poucos. Apesar de ter tido uma temporada melhor do que muitos fazem parecer no ano passado, não é mais o jogador elétrico de outrora, mas ainda pode ser um titular na NFL. No entanto, sua postura de ajoelhar durante o hino nacional americano em protesto às desigualdades de sua nação não caiu bem com os times, que não o veem como uma solução a longo prazo e acham que será uma opção que atrairá uma mídia exagerada e pouco bem vinda para um atleta que no máximo brigará por uma vaga. Dessa forma, é possível explicar porque ele ainda se encontra disponível no mercado.

QB Brock Osweiler – Cleveland Browns

Quando o time que lhe contratou a peso de ouro no ano anterior troca uma escolha de segunda rodada de Draft somente para se livrar de seu contrato, mandando-o para a franquia com o pior desempenho da liga na última temporada, sem a garantia de que sequer conseguirá manter uma vaga no elenco, certamente você é um perdedor da offseason.

RB Dion Lewis e WR Danny Amendola – New England Patriots

Um dos times que mais se movimentou nessa offseason foi o Patriots, buscando aprimorar o arsenal de Tom Brady e prepará-lo para mais algumas corridas até o título nos próximos anos. No entanto, as contratações podem ter Lewis e Amendola como efeitos colaterais. O primeiro viu as chegadas de Rex Burkhead e Mike Gillislee combinadas com a renovação de James White colocarem um grande bloqueio para que chegue ao campo, o que pode torná-lo um potencial corte. Já Amendola reestruturou seu contrato para se manter com a equipe, mas o grupo de recebedores é muito profundo e diverso, o que provavelmente limitará seu impacto e valor para a franquia.

QB Joe Flacco – Baltimore Ravens

Após uma temporada na qual o ataque do Ravens foi altamente ineficiente e Joe Flacco teve um desempenho abaixo da média, a diretoria da franquia optou por investir principalmente na defesa. Com a saída do sólido RT Ricky Wagner e a aposentadoria de Steve Smith, o time agora conta com um grupo de recebedores que não inspira medo nas secundárias adversárias e uma linha ofensiva com algumas questões a serem respondidas. Tudo isto deve levar o QB a ter dificuldades pelo segundo ano consecutivo, precisando se superar para guiar a unidade ofensiva da franquia de Baltimore.

QB Matt Ryan – Atlanta Falcons

O ataque do Falcons retorna praticamente intacto de sua formação que anotou números históricos no ano passado e esteve a poucos passos de vencer o Super Bowl. Então, por que o atual MVP está nesta lista? A resposta é simples. O principal arquiteto desta unidade ofensiva, Kyle Shanahan, deixou a equipe para assumir as rédeas do San Francisco 49ers. Assim, é de se esperar que o Falcons não tenha o mesmo nível de sucesso que apresentou em 2016, precisando se adaptar ao esquema do novo coordenador Steve Sarkisian.

HC John Fox – Chicago Bears

Com seu emprego em risco, John Fox viu o também ameaçado GM Ryan Pace investir milhões no QB Mike Glennon e depois trocar desnecessariamente da terceira para a segunda posição geral do Draft para selecionar Mitchell Trubisky. Além disso, a secundária, que era um dos maiores pontos fracos da equipe, não recebeu quase nenhum tipo de reforço e o grupo de recebedores precisa que Kevin White alcance seu potencial. Dessa forma, a expectativa é de que o Bears não consiga a evolução imediata capaz de salvar o emprego de seu treinador principal.

WR Sammie Coates – Pittsburgh Steelers

Responsável por um dos momentos mais cômicos do fim de semana do Draft quando o companheiro Martavis Bryant citou-o em um tweet dizendo que o recém escolhido JuJu Smith-Schuster viria para tirar seu emprego no Steelers, Coates pode ser considerado um perdedor por este justo motivo. Apenas um alvo em profundidade nessa fase da carreira, sofre com drops e lesões. O retorno de Bryant da suspensão e a chegada de JuJu devem tornar Coates obsoleto ou uma peça apenas de rotação, limitando seu número de snaps.

S Calvin Pryor – New York Jets

Desde o começo dessa offseason, o Jets vem focando em reformular o seu elenco, se desfazendo de veteranos com salários elevados e reconstruindo o plantel aos poucos. Um dos veteranos que deve se tornar ultrapassado é Pryor, que está disponível para trocas e viu o GM Mike Maccagnan selecionar dois atletas de características semelhantes às suas com as duas primeiras escolhas do último Draft em Jamal Adams e Marcus Maye. Assim, Pryor não aparenta ter um futuro a longo prazo com este regime no comando do time.

RB Mark Ingram – New Orleans Saints

Aparentemente bem posicionado como o líder do grupo de RBs do Saints, Ingram viu sua situação se transformar completamente quando o time contratou Adrian Peterson e trocou para cima no Draft para adquirir Alvin Kamara. Com tantas armas à disposição de Sean Payton, Ingram já se tornou alvo de rumores de trocas. Caso permaneça em New Orleans, deve ter seu papel reduzido para dar espaço aos jogadores que o time acabou de trazer.

RB Latavius Murray – Minnesota Vikings

Depois do Raiders não fazer grandes esforços para mantê-lo, Murray acabou assinando com o Vikings, se colocando como o principal corredor do time com uma das piores linhas ofensivas abrindo espaços para o jogo corrido no ano passado. Contudo, o time não se deu por satisfeito com ele e foi atrás de Dalvin Cook na segunda rodada do Draft. A princípio, os dois devem dividir tempo, mas conforme as semanas forem passando, o talento superior de Cook deve prevalecer e limitar os snaps de Murray no ataque.

RBs Chris Ivory e TJ Yeldon – Jacksonville Jaguars

Trazido por um contrato acima da média para tornar o ataque do Jaguars mais físico na última temporada, Ivory falhou neste objetivo em sua primeira temporada com o time. Além dele, Yeldon ainda não alcançou as expectativas nele depositadas ao ser escolhido na segunda rodada em 2015. Assim, a decisão da franquia de trazer Leonard Fournette na quarta escolha geral do Draft desse ano deve reduzir muito o papel dos dois, tornando-os reservas na maior parte das situações e fortes candidatos a serem cortados.

LB NaVorro Bowman – San Francisco 49ers

Um dos símbolos dos fortes times do 49ers do começo da década, Bowman sofreu com lesões sérias ao longo dos últimos anos e viu o time investir uma escolha de primeira rodada em Reuben Foster. Além disso, circulam rumores de que o time está oferecendo o veterano para trocas, apesar do GM John Lynch ter negado estes boatos. Com a possibilidade de se aposentar ou ser trocado, Bowman deve perder um pouco do espaço no time.

OBS: O RB LeGarrette Blount não está na lista porque ainda pode assinar com um bom time ainda e tem rumores em torno de seu nome circulando, mas certamente é um forte candidato a ela caso demore para encontrar um novo emprego.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









João Gabriel Gelli ⁠⁠⁠Apaixonado por todo tipo de esporte, conheceu o futebol americano com o retorno para a história de Tracy Porter no Super Bowl XLIV. Torcedor do Baltimore Ravens, é responsável por uma matéria semanal e pela edição de textos. Além de futebol americano, também escreve sobre lutas para o MMA Brasil. No twitter: @jggelli