quarta-feira, 31 de Janeiro de 2018

Compartilhe

Estamos na semana mais importante para o futebol americano, aonde teremos o New England Patriots e Philadelphia Eagles se digladiando no Super Bowl LII. Ambas as equipes possuem bastante talento em seus elencos, porém alguns jogadores não estão sob holofotes e não são considerados grandes estrelas na liga. No entanto, eles têm totais condições de desequilibrar a peleja a favor de seus times, vide os exemplos recentes de Malcolm Butler e James White sendo fundamentais nas mais recentes conquistas do Pats. Vamos aos nomes:

LEIA MAIS: Como os elencos de Patriots e Eagles foram montados?

New England Patriots

WR Chris Hogan

O recebedor teve um forte início de temporada em 2017, anotando 5 TDs em 5 partidas, mostrando que seria peça essencial do setor ofensivo da franquia na temporada. Todavia, o atleta se lesionou no decorrer do campeonato (contusão no ombro) e registou somente 151 jardas em recepção nos outros 4 jogos que disputou, sem anotar pontuações.

Nos playoffs, Hogan teve 3 recepções para 24 jardas e um TD anotado, porém ainda está longe de ser o jogador impactante que os torcedores estavam acostumados a ver. Não custa lembrar que o WR era a principal ameaça do time em bolas longas na temporada de 2016. Como os olhos da defesa do Eagles estarão voltados para Brandin Cooks, Rob Gronkowski (se ele for mesmo para o jogo) e Danny Amendola, o camisa #15 do Pats pode ser um fator no  quebra-cabeça  previsto para o jogo mais importante do ano.

TE Dwayne Allen

O contestado TE entra aqui pela formação que o Patriots pode adotar no Super Bowl. A equipe de Bill Belichick deve utilizar bastante formações com 2 RBs ou até 2 TEs, fazendo com que Philadelphia abandone, em diversas situações, sua escalação com 3 CBs. Com isso, Allen ganha uma relevância especial para o jogo.

Primeiro porque o TE pode ser explorado para os bloqueios, tanto para a proteção para o passe (uma vez que o pass rush do Eagles é extremamente eficiente) quanto para abrir espaços para corridas (a defesa do Eagles é a 3ª melhor da liga contra a corrida, segundo dados do Football Outsiders).

Outro ponto em que o ex-atleta do Indianapolis Colts pode ser útil na grande decisão é nas jogadas de screen para os TEs, que também seria outra forma de aliviar a pressão em cima de Tom Brady, além de proporcionar uma boa chance de ganhos para NE (vale lembrar que o Eagles tem problemas na marcação de tight ends). Por isso, não se espante se você vir Dwayne Allen sendo mais envolvido neste ataque durante o SB.

LB Kyle Van Noy

O defensor esteve longe de estar num grande ano pelo Patriots, mas quando a equipe mais precisou, Van Noy se fez presente. Na final da AFC contra o Jacksonville Jaguars, o linebacker foi fundamental para a vitória da franquia ao registrar um sack, um fumble forçado e um passe defendido na partida que levou New England ao SB.

Contra o ataque RPO adotado pelo Philadelphia Eagles, o versátil LB deverá ser bastante exigido na cobertura de passes. Bill Belichick sabe disso e usará suas peças da melhor forma possível para auxiliar Van Noy e atrapalhar as leituras de Nick Foles. Caso o jogador consiga se destacar também contra as corridas de seu adversário, tem tudo para ser uma arma decisiva para que o Pats levante mais um troféu Vince Lombardi.

DT Malcolm Brown

Malcolm Brown será um jogador de grande importância nesse Super Bowl. O jogador, que é excelente parando corridas, será fundamental para a contenção do forte jogo terrestre do Eagles.

Apesar de ter ficado de fora de treinos na última semana, é praticamente certo que o defensor vá a campo na decisão da NFL. Contra o ataque sob a batuta do técnico Doug Pederson, os RBs conseguem muito sucesso por conta da dificuldade na leitura das jogadas dos LBs adversários, deixando bastante espaço livre no box. Uma forma de amenizar esse problema é a linha do Patriots levar a melhor na batalha das trincheiras e fechar os espaços, principalmente pelo meio.

Contra o Jaguars, Brown foi um dos pilares na reta final do jogo e um dos grandes responsáveis por limitar o melhor ataque terrestre da liga a apenas 3,2 jardas por carregada. Uma performance semelhante no próximo domingo será essencial para o sucesso de seu time.

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32

Philadelphia Eagles

RB LeGarrette Blount

Blount perdeu um pouco de espaço por conta da chegada de Jay Ajayi ao time no meio da temporada regular, mas pode ser extremamente relevante nessa decisão. Para aumentar suas chances de finalmente levar o troféu Vince Lombari, Philadelphia precisa manter ao máximo o ataque de New England fora de campo. Isso passa principalmente pelo jogo corrido caso o time esteja em vantagem no placar (é provável que o ataque do Eagles se sobreponha à defesa do Patriots no início do jogo, por conta de seu ataque pouco ortodoxo, o que deve levar algum tempo para Bill Belichick e cia. colocarem a casa em ordem).

O Jacksonville Jaguars deu o tom na final da AFC. Na primeira etapa da partida, a equipe conseguiu correr bastante com a bola e quando enfrentou terceiras descidas, eram situações administráveis por Blake Bortle (o Jaguars converteu 6 de 10 tentativas de 3ª descida no 1º tempo). Na volta do intervalo, tudo foi por água abaixo, com Jacksonville sequer convertendo uma terceira descida e o Patriots conseguiu a virada. É um erro que o Eagles não deve repetir.

Com Blount e uma ligeira vantagem no placar, o time pode aproveitar a força física do RB para explorar as corridas pelo meio dos tackles (Blount tem a excelente média de 5,2 jardas por tentativa nessa situação), colocando a equipe em situações mais confortáveis para alcançar first downs e, consequentemente, conquistar o título.

WR Nelson Agholor

Nelson Agholor surpreendeu a todos com a grande temporada que fez até aqui. O recebedor praticamente dobrou seus números em relação ao ano anterior, acumulando 62 recepções para 768 jardas e 8 TDs anotados.

No Super Bowl, Agholor pode se beneficiar por conta da atenção que a defesa do Patriots dará a Alshon Jeffery e Zach Ertz, principais alvos no jogo aéreo. Atuando pelo slot, o WR deverá ser acompanhado pelo CB Eric Rowe, no que deve ser um confronto favorável para si. Apesar de terem fisicamente parecidos, Agholor possui muito mais velocidade e agilidade suficiente para conquistar muitas jardas após a recepção.

O técnico Doug Pederson provavelmente estará atento a este fato e Agholor pode ter um grande número de alvos no SB. Resta saber se o WR conseguirá seguir surpreendendo e desequilibrar o jogo a favor o Eagles.

DE Chris Long

O defensor, ex-Patriots, chegou nessa temporada ao Philadelphia Eagles, se tornando mais uma importante peça do excelente pass rush da equipe. Só na final da NFC, contra o Minnesota Vikings, o DE foi o responsável pela pressão no QB Case Keenum que resultou na pick-six do CB Patrick Robinson e ainda recuperou um fumble numa boa posição de campo após um strip sack do calouro Derek Barnett.

Em toda a temporada, Long se mostrou uma grande contratação por parte do Eagles, mesmo não sendo titular. O jogador acumulou 28 tackles e 5 sacks ao longo da temporada regular, além pressões significativas nos QBs adversários e chegou ao seu segundo SB consecutivo.

No domingo, será essencial para pressionar Tom Brady e tem, em tese, um confronto favorável contra o OT Cameron Fleming (que foi bem na final da AFC contra o Jaguars, protegendo o lado direito de seu QB).

S Corey Graham

O experiente safety chegou ao Eagles nesta temporada após passar 3 anos no Buffalo Bills e teve uma boa participação, se tornando mais um nome experiente que chegou para dar estofo ao talentoso elenco da franquia. O atleta registrou 38 tackles, 4 passes defendidos e 2 INTs em 2017 e pode ser importante para a secundaria da equipe nesta decisão.

Graham pode ver bastante tempo de jogo no Super Bowl caso o Patriots utilize formações com 2 RBs ou 2 TEs. Isso tiraria o CB Patrick Robinson de certas ocasiões de jogo e o coordenador Jim Schwatrz pode deslocar Malcolm Jenkins para atuar como LB, deixando Graham na última linha de defesa. O jogador pode fazer a diferença caso atue seja efetivo contra o jogo terrestre neste tipo de situação, além de ser um nome que pode ser usado na difícil tarefa de conter Gronk.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Leave A Reply