quarta-feira, 4 de Abril de 2018

Compartilhe

Apesar da expectativa de que ocorra uma intensa corrida por quarterbacks no começo desse Draft, a edição desse ano do recrutamento de jogadores universitários é uma das mais imprevisíveis na história recente. Depois que o Cleveland Browns realizar a primeira seleção, na qual é universalmente esperado que pegue seu próximo quarterback, com Sam Darnold (USC) como principal candidato, será a vez do New York Giants estar no relógio. É nesse momento que a loucura promete se iniciar e esse se trata de um dos maiores pontos de pressão de todo o evento, com a franquia tendo uma série de opções, que pretendemos analisar aqui.

Uma vez que o Giants tiver decidido o que fazer com sua escolha, muitos outros cenários do Draft estarão encaminhados, já que se selecionarem um QB, podem desmotivar um quarto time a subir ou pode estimular uma troca menos agressiva de uma das equipes que desejam um novo passador, como Bills e Cardinals. Por outro lado, se pegarem um jogador de qualquer outra posição, deixarão diversas franquias em uma corrida insana por um quarterback e ainda favorecerá o Jets, que poderá pegar um de seus dois preferidos com a terceira escolha geral. Ainda influenciará nos times que não precisam de QB e estão no top 10 apenas esperando os melhores jogadores da classe caírem nos seus colos, como é o caso do Colts e do Buccaneers. Com essas observações gerais feitas, é hora de analisarmos cada um dos cenários, começando com os quarterbacks.

LEIA MAIS O que esperar do futuro do New York Giants?

Quarterback

Ao contrário de outras posições, essa é uma na qual o Giants terá diversas opções. Rumores dizem que Sam Darnold é o preferido do time, mas como ele parece ser a queridinho do Browns, a probabilidade de estar disponível é reduzida. Entre os outros quarterbacks da classe, a franquia pode gostar de Josh Rosen (UCLA) e sua precisão aliada a mecânicas perfeitas e a uma personalidade interessante, de Josh Allen (Wyoming) e todas as dimensões físicas, força no braço e atleticismo de um protótipo de QB de elite ou Baker Mayfield (Oklahoma) e seu histórico enorme de produção e precisão nos passes combinados com uma competitividade extrema. Dessa forma, a equipe poderá pensar em um substituto para Eli Manning, que está em baixa e cada vez mais parece não ter mais condições de levar o Giants muito longe por conta própria, mas ainda pode ser um ótimo mentor para um jovem talento na posição. Por isso, essa seria a opção ideal para a franquia.

Saquon Barkley

Há alguns anos o Giants sofre sem um bom RB. Agora, a franquia terá a oportunidade de selecionar um dos melhores a entrar no Draft nos últimos tempos e uma parcela considerável da torcida tem pedido pela escolha de Saquon Barkley (Penn State) na segunda posição geral. Completo para a posição, tem grande habilidade como corredor, mas também possui muito valor como recebedor e é provavelmente o melhor jogador da classe. Além disso, o novo GM Dave Gettleman já mostrou que não se opõe a draftar um RB no top 10, ao contrário de diversas outras mentes ao redor da liga.

LEIA MAIS O valor posicional em um elenco

No entanto, em um elenco em transição, com mudança de direção técnica, administrativa e de esquema defensivo, quarterback envelhecido e linha ofensiva problemática, é de se esperar que o Giants utilize uma escolha premium como a segunda geral para abastecer alguma posição que ofereça um valor maior e também esteja carente. Por isso a hipótese de Saquon Barkley ser a escolha aqui perde força drasticamente, ainda mais se for combinada com o fato dessa ser uma ótima classe de RBs, na qual é possível conseguir um titular de bom nível no dia 2 com tranquilidade.

Bradley Chubb

Conforme citado acima, o Giants está em um momento de transição defensiva, com a chegada do coordenador James Bettcher, que utiliza majoritariamente formações 3-4, enquanto a equipe se alinhou principalmente no 4-3 nas últimas temporadas. Este foi um dos fatores que levaram a franquia a trocar Jason Pierre-Paul para o Buccaneers e transformar a posição de pass rusher em uma das necessidades que será preciso atacar durante o Draft. Assim, imediatamente após a transação, já foi possível ver diversos analistas comentando como o EDGE Bradley Chubb (NC State), considerado pela maioria o melhor jogador da posição no Draft, mais uma forte opção para o Giants com a segunda escolha.

Quenton Nelson

Uma opção que deixarei aqui somente pelo fato do Giants ter uma linha ofensiva com diversas necessidades e Nelson (Notre Dame) se tratar de um dos melhores jogadores da classe, mas parece uma escolha bastante improvável.

Trocar para baixo

Para finalizar, um cenário no qual o Giants não está encantado por nenhum quarterback e um outro time esteja apaixonado por um dos que não foi o escolhido pelo Cleveland Browns na primeira posição. Graças à troca entre Jets e Colts, o valor  da escolha do Giants cresceu de maneira incrível, uma vez que uma equipe desesperada por QB precisaria ultrapassar o Jets, que ocupa a terceira pick no momento, para poder selecionar seu passador sem depender da sorte e das decisões de outras franquias.

Como o Giants possui a única escolha entre Browns e Jets, deve ser alvo de diversas propostas até o dia do Draft. Assim, uma equipe desesperada, que pode ser Bills, Cardinals ou até Broncos e Dolphins, pode se motivar para oferecer um baú de escolhas com o intuito de subir até a segunda posição. Com um movimento desses, o Giants acumularia amplo capital e teria muito mais munição para implementar uma reformulação rápida em seu elenco, que precisa de peças jovens e baratas, com diversas renovações exorbitantes pela frente, como é o caso de Odell Beckham Jr e Landon Collins na próxima offseason.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe