terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Compartilhe

rg 11111

Quem poderia imaginar há três anos que Robert Griffin III não seria mais jogador do Washington Redskins ao final da temporada 2015? É difícil. Contudo, tudo parece indicar que aquele promissor camisa #10 que liderou o Redskins aos playoffs pela primeira vez depois de quase dez anos não vestirá mais as cores do time da capital americana. Portanto, que a dúvida futura sobre Griffin não deve ser seu legado em Washington; o apropriado agora é saber qual será o destino desse atleta. Qual franquia irá atrás dele? Veremos jogá-lo bem novamente?

Parece inacreditável vermos RG III sendo “deixado de lado” em Washintgon. Pior. É mais inacreditável ainda saber que, neste momento, ele está mais fora do que dentro da NFL, se posso dizer assim. Todo esse espanto porque foi Robert Griffin III que terminou sua primeira temporada na Liga – a de 2012 – com o melhor rating da história por um calouro; e também o maior rating do Redskins desde 1960. Aquele ataque do Washington foi o 4º melhor da história da franquia em termos de pontos anotados (e os dois primeiros foram times de Super Bowl). Veja bem: Griffin III “conquistou” essas marcas ainda como primeiro anista. Incrível.

Mas ao mesmo tempo que 2012 foi o ano que trouxe o brilho de volta a Washington, ele deixou um dos maiores vazios da história recente da National Football League; aquele desejo de “quero mais”. Desde quando foi draftado na segunda escolha geral do Draft, no dia 26 de abril de 2012, RG III era esperado para ser o QB titular absoluto do Redskins, um franchise Quarterback ao mesmo tempo. Depois do que vimos dele nos primeiros jogos, parecia que a questionada troca entre Rams e Redskins pela segunda posição mais alta daquele ano teria então sido vantajosa. Por um momento, realmente parecia. Mas atualmente, de um modo geral, ficou comprovado que, para um lado em específico, não valeu a pena.

Ah, e como aquele Draft 2012 fora decisivo no futuro desta franquia. Poucos lembram, mas 100 escolhas após RG III, o Redskins foi atrás de Kirk Cousins, o qual hoje, com muitos méritos, deixou Griffin para trás e é a nova esperança dos torcedores em Washington. Aliás, foi Cousins que deixou RG III para trás ou RG III parou e, inevitavelmente, foi ultrapassado? Um pouco dos dois, com uma grande tendência à segunda opção.

É fato que as lesões, neste momento, parecem ter sido a “criptonita” de Robert Griffin III! Visivelmente o QB não tinha um corpo propício ao seu estilo de jogo. Além disso, a relação instável com alguns membros superiores do Redskins não ajudou muito nas conturbadas recuperações desse jovem atleta.

E agora? Difícil prever o que será de um atleta tão talentoso mas incerto ao mesmo tempo! Que ele deixará o Washington Redskins parece certo; e que já existem interesses de algumas franquias também. Houston Texans, Dallas Cowboys, Cleveland Browns, San Francisco 49ers, Philadelphia Eagles, St. Louis Rams, New Orleans Saints… Todas essas equipes precisam de um Quarterback, seja ele de imediato ou não. Acredito que o destino de Griffin acabe sendo um dos times citados, realmente. Devemos aguardar.

RG 111Mas já parou para pensar se RG III não for tão bom quanto acreditamos? E se seus brilhos aconteceram em uma temporada predestinada como já vimos “n” vezes com outros Quarterbacks profissionais? Bem, seria uma pena. Tudo que vimos desse camisa #10 foi bom demais para ser apenas temporário. Como não lembrar do passe de TD de 88 jardas para Pierre Garçon em seu primeiro jogo na Liga? E a corrida de 76 jardas que alucinou os torcedores do Redskins e derrotou o Vikings? Impossível não recordar também dos oito touchdowns lançados em cinco dias, sendo quatro contra o Eagles, quando ele teve um rating perfeito, e quatro contra o Cowboys no Thanksgiving!

Infelizmente, até em seu principal temporada até aqui, RG III se lesionou. E se ele estivesse saudável por todo o ano de 2012, até onde o Redskins iria? Como estaria a franquia neste momento? Onde Robert Griffin III seira ranqueado entre os QBs da Liga? Quem estaria melhor, ele ou Andrew Luck?

Ao meu ver, o parágrafo acima mostra bem e pode ser visto com uma retrospectiva geral sobre a carreira de Griffin e como enxergamos ela neste momento. “Ah, pelas incertezas?” Também, elas adoram estar com o camisa #10. Mas o sentido aqui deve ir para as expectativas geradas acerca deste jogador e do que ele mostrou a todos. Obviamente, as perguntas acima, assim como a carreira de RG III, não possuem respostas. Espero que futuramente, eu possa escrever um outro texto como este, mas desta vez respondendo à algumas questões. Quer dizer, espero que Robert Griffin III responda e eu apenas relate aqui. Seria melhor.

Compartilhe

Comments are closed.