O Browns pode confiar em Cody Kessler?

10 de julho de 2017
Tags: browns, fernando mossmann, Notícias do Dia,

Cody Kessler entrou na intertemporada como o QB titular do Cleveland Browns. Entretanto, as chegadas de Brock Osweiler, vindo do Houston Texans após um ano terrível, e do novato DeShone Kizer, selecionado no Draft, trouxeram uma competição acirrada e, porque não, inesperada. Sim, inesperada a esse ponto. Cody Kessler não foi titular na última temporada, muito pelo contrário. O atleta era apenas o terceiro quarterback do elenco de Cleveland, atrás de Robert Griffin III e Josh McCown. Contudo, uma série de contusões que tiraram os dois QBs de ação, colocaram Kessler em campo, lhe dando uma oportunidade de ouro para mostrar do que era capaz. E caso seja analisado o elenco do Browns, e sobretudo o desempenho dos outros dois jogadores da posição, Kessler fez um belo trabalho.

LEIA MAIS: DeShone Kizer impressiona e pode disputar a titularidade com Cody Kessler

Sendo o terceiro QB da equipe, Cody Kessler não recebia muito tempo em campo nos treinamentos, realizando suas atividades quase sempre com a segunda e terceira unidades do ataque, o que também o prejudicou na adaptação para a titularidade. Não saber exatamente a agilidade, velocidade e habilidade de cada recebedor acaba influenciando diretamente no desempenho do QB. Da mesma forma, não saber o quão confiáveis são seus jogadores de linha ofensiva. Este talvez um problema ainda maior, uma vez que não tinha conhecimento suficiente sobre seus companheiros e era dono de uma responsabilidade imensa de ser titular na liga profissional, mesmo que por uma equipe problemática como o Browns. Assim, Kessler foi “jogado aos leões”.

Mas, como um guerreiro romano, ele lutou bravamente e, mesmo que tenha saído com alguns ferimentos, podemos dizer que foi vitorioso, mesmo que individualmente. Em suas cinco primeiras partidas como titular, Kessler completou 89 dos 133 passes tentados, resultando em um aproveitamento de 67% das tentativas, melhor marca entre os três jogadores citados anteriormente. Além disso, completou quatro passes para TDs e, em contrapartida, lançou uma única interceptação. Outra estatística que “joga a favor” de Kessler, é em relação à jardas aéreas e pontos por partida. Dos cinco jogos em que foi titular, Kessler lançou mais de 200 jardas aéreas em três deles, um para 223 jardas, outro para 244, e outro para 336. Nessas três partidas, a equipe marcou 20 ou mais pontos. Nos outros 11 jogos em que Kessler não foi titular, o Browns só conseguiu 20 ou mais pontos em quatro oportunidades.

LEIA MAIS: Hue Jackson, onde está o seu quarterback da franquia?

Então, com esse desempenho tão superior ao de seus concorrentes pela titularidade, porque o Browns deveria ter algum tipo de preocupação com Kessler? O primeiro e mais importante motivo é a saúde do jogador. Na temporada passada, o quarterback teve duas concussões, além de outras lesões menores, o que afetou diretamente suas apresentações seguintes. Na sexta partida como titular, a primeira concussão, e depois disso, ele nunca mais foi o mesmo. Lesões como essas tiram a confiança e segurança do atleta, o deixando mais nervoso, ansioso, preocupado, menos paciente e efetivo. Nos outros quatro jogos que disputou, Kessler lançou a metade de TDs dos cinco primeiros, e a mesma quantidade de interceptações.

Um dos principais fatores que influenciaram a ocorrência das duas concussões de Kessler, é claro, foi a fraca linha ofensiva que permitia inúmeras pancadas em seus quarterbacks. Todavia, uma característica própria de Kessler também potencializou suas lesões, além de ser extremamente importante para o jogo: o tempo para realizar a mecânica de lançamento e para a bola sair de sua mão, conhecido em inglês como release. Cody Kessler tem o segundo movimento mais lento para realizar o arremesso, ficando a frente apenas de Tyrod Taylor, do Buffalo Bills. A demora para executar a mecânica de arremesso, após identificar o seu alvo, permite que a defesa adversária lhe aplique mais pressão, forçando o seu erro mais constantemente, além de chegar até o QB com mais frequência, lhe aplicando mais hits do que o normal.

A principal dúvida é como Kessler vai lidar com a concorrência e sobretudo com seu histórico de lesões. Qual Cody Kessler vai entrar em campo? O confiante e preciso, ou o inseguro e ansioso? Essas são questões que somente começarão a ser respondidas em agosto, nos jogos de pré temporada. Vale lembrar que DeShone Kizer tem impressionado os repórteres que acompanham a equipe, e, é claro, a comissão técnica. A competição será dura, mas, em minha opinião, por mais que Kizer venha se destacando nos treinamentos, vale a máxima “treino é treino e jogo é jogo”, e Kessler já provou que pode sim ser bom no jogo. Com uma boa pré temporada, bom tempo se adaptação ao playbook e atividades com a equipe titular, acredito que sim, o Browns pode confiar em Cody Kessler.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Fernando Mossmann é o setorista da AFC NORTE. Analisa Steelers, Ravens, Bengals e Browns às segundas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @Fernando_insL32