segunda-feira, 19 de Março de 2018

Compartilhe

Na última quarta-feira abriu oficialmente o mercado de transferências da NFL. Durante essa semana, e até mesmo antes da quarta, presenciamos uma Free Agency extremamente movimentada, uma das mais ativas da história recente da liga. Com praticamente todos os grandes nomes já contratados chega o momento de avaliarmos a movimentação de cada time neste início de mercado aberto. Serão levados em consideração novas contratações, renovações e saídas de atletas em cada elenco. Hoje será analisada a AFC, e amanhã será a vez da NFC:

AFC NORTE

Pittsburgh Steelers

Chegaram: Ninguém

Renovaram: RB Le’Veon Bell, K Chris Boswell e RB Fitz Toussaint

Sairam: G Chris Hubbard (Browns), CB William Gay (Free Agent), FS Michael Mitchell (Free Agent) e FS Robert Golden (Free Agent)

Aparentemente o ano ainda não começou em Pittsburg. O Steelers é um dos times mais parados durante este início de Free Agency e ainda não trouxe nenhum nome novo para o elenco. O grande destaque até o momento foi uma nova Franchise Tag aplicada ao RB Le’Veon Bell, que não deve ter ficado feliz com a situação, já que desejava um contrato com o time. Também renovou o contrato do consistente Kicker Chris Boswell. Tendo liberado dois safeties, esta é uma posição que precisa ser adereçada nessa pós temporada, seja ainda na Free Agency ou no Draft. Além disso, o corpo de linebackers também precisa ser melhorado, ainda mais com a gravíssima lesão sofrida por Ryan Shazier ano passado.

NOTA: 2,0

Baltimore Ravens

Chegaram: WR John Brown (Cardinals) e WR Michael Crabtree (Raiders)

Renovaram: RT James Hurst, RB Alex Collins e C Matt Skura

Sairam: C Ryan Jensen (Buccaneers), WR Jeremy Maclin (Free Agent), RT Austin Howard (Free Agent), RB Danny Woodhead (Aposentado) e CB Lardarius Webb (Free Agent)

Nesse tímido início de pós temporada, o foco do time de Baltimore foi melhorar seu deficiente corpo de recebedores. Vindo do Cardinals, John Brown tem lutado contra lesões em suas duas últimas temporadas, motivo de receber um contrato probativo de um ano. Michael Crabtree é um nome que chega para ser o recebedor número um do ataque de Flacco. Mesmo com um 2017 conturbado por algumas lesões, continua sendo um dos melhores corredores de rotas na liga. De contrato renovado, Alex Collins foi o melhor corredor do time em 2017 chegando próximo da marca de 1000 jardas e faz sentido mantê-lo em 2018. A linha ofensiva é outra preocupação. Mesmo mantendo os titulares James Hurst e Matt Skura, o time precisa ir atrás de outros nomes para fortalecer o interior de sua OL. Os cortes de Maclin, Howard e Webb liberaram quase 10 milhões no apertado salary cap do Ravens, o que possibilitou o time a contratar seu recebedor número 1.

NOTA: 7,0

Cincinnati Bengals

Chegaram: ILB Preston Brown (Bills), OT Cordy Glenn (Bills) e DL Chris Baker (Buccaneers)

Renovaram: TE Tyler Eifert, P Kevin Huber

Sairam: DE Chris Smith (Browns), QB A. J. McCarron (Bills), G Andre Smith (Cardinals) e RB Jeremy Hill (Patriots)

Vindo de trade com o Bills, Cordy Glenn, caso consiga se manter saudável, figura entre os melhores OTs da liga. Com Clint Bolling sendo o único nome dígno de se manter na linha ofensiva do Bengals, essa adição faz todo sentido. Também oriundo dos Bills, Preston Brown deve trazer melhoras para o meio da defesa do Bengals, tendo liderado a liga em tackles na última temporada e sendo capaz de atuar nas três posições de linebackers. Outro novo nome para defesa é Chris Baker, que se replicar o que fez em Washington, deve ajudar muito tanto na contenção ao jogo corrido quanto pressionando o QB adverário. Tyler Eifert, quando em campo, é um dos melhores TEs da liga. A assinatura de um contrato de um ano faz sentido. Caso se mantenha saudável, poderá receber uma renovação mais generosa. A saída de A. J. McCarron já era dada como certa após ter ganhado o direito de ser free agent irrestrito. A perda de Chris Smith para o rival de divisão foi um baque na defesa do Bengals, e o mesmo se diz de Andre Smith em relação a linha ofensiva. E não há surpresas com a saída de Jeremy Hill do time, devido aos desentendimentos recentes entre o jogador, técnicos e médicos do time quanto ao tratamento de uma lesão.

NOTA: 6,5

Cleveland Browns

Chegaram: DE Chris Smith (Bengals), WR Jarvis Landry (Dolphins), QB Tyrod Taylor (Bills), DB Demarious Randall (Packers), G Chris Hubbard (Steelers), OT Donald Stephenson (Broncos), TE Darren Fells (Lions), RB Carlos Hyde (49ers), DB Tarrance Mitchell (Chiefs), CB Travis Carrie (Raiders) e DE Chris Smith (Bengals) 

Renovaram: QB Kevin Hogan, DE Jamie Meder e WR Josh Gordon

Sairam: QB DeShone Kizer (Packers), NT Danny Shelton (Patriots), RB Isaiah Crowell (Jets), WR Sammie Coates (Texans), OLB Jeremy Cash (Cardinals), T Zach Banner (Panthers), CB Jason McCourty (Patriots) e OT Joe Thomas (Aposentado)

Depois de somar 1-31 em duas temporadas, algo deveria ser feito em Cleveland. E realmente foi. Dono de um dos maiores salary cap, o front office do Browns trabalhou como o de nenhum outro time nesse início de pós temporada. O elenco foi melhorado em todos os níveis. Tyrod Taylor chega para ser um quarterback estável que deve dar tempo ao provável QB oriundo do draft se desenvolver. Jarvis Landry é um dos melhores slot receivers da liga, e formará um grupo interessante ao lado de Josh Gordon (que renovou seu contrato) e Corey Coleman. Carlos Hyde é um corredor consistente, e com certeza uma evolução em relação a Crowell, que ruma aos Jets. Darren Fells pode não ser um grande recebedor, mas contribui muito com sua habilidade como bloqueador. As adições de Chris Hubbard e Donald Stephenson fazem sentido, ainda mais com a aposentadoria de Joe Thomas. A secundária também melhorou com o jovem DB Demarious Randall. Nessa posição talvez sejam questionáveis a vinda de Tarrance Mitchell e  Travis Carrie. Chris Smith melhora a linha defensiva do time, além de que é uma baixa importante para o rival de divisão. Das perdas do time, a mais significativa foi o futuro hall da fama Joe Thomas, que se aposentou após 11 temporadas. Tudo indica que será muito interessante ver a equipe de Cleveland em campo em 2018.

NOTA: 9,0

 

AFC SUL

Jacksonville Jaguars

Chegaram: G Andrew Norwell (Panthers), WR Donte Moncrief (Colts), FS Cody Davis (Rams), CB D.J. Hayden (Lions), SS Don Carey (Lions), TE Niles Paul (Redskins) e TE Austin Seferian-Jenkins (Buccaneers),

Renovaram: QB Blake Bortles, RB Corey Grant, TE Ben Koyack, WR Marqise Lee, WR Shane Wynn e OLB Lerentee McCray

Sairam: RB Chris Ivory (Bills), OLB Paul Posluszny (Aposentado), WR Allen Robinson (Bears), CB Aaron Colvin (Texans), G Patrick Omameh (Giants) e QB Chad Henne (Chiefs)

Depois de uma temporada espetacular em 2017, o Jaguars trouxe peças para melhorar ainda mais seu time. Mesmo com seu pouco salary cap, conseguiu atrair Andrew Norwell, melhor Guard do mercado, substituindo com folga o cortado Patrick Omameh. Tendo perdido Allen Robinson na Free Agency, trouxe o recebedor Donte Moncrief dos Colts e o TE Austin Seferian-Jenkins, esse último podendo ser utilizado como alvo na red zone, além de renovar com Marquise Lee, que teve um bom 2017. Cody Davis chega como um ótimo jogador de times especiais e que pode ser utilizado situacionalmente como safety, situação semelhante a de Don Carey. D. J. Hayden chega do Lions como solução para a saída de Aaron Calvin para os Texans. Talvez o ponto mais controverso da Free Agency foi a renovação com Blake Bortles. Não que os valores tenham sido altos, mas esse dinheiro poderia ser melhor utilizado para contratar outro Quarterback com teto de habilidades maior. Bortles definitivamente não é o futuro da franquia. Em geral, o já forte Jaguars parece voltar ainda melhor para 2018.

NOTA: 8,5

Tennessee Titans

Chegaram: CB Malcolm Butler (Patriots), RB Dion Lewis (Patriots), e DE David King (Chiefs)

Renovaram: DE DaQuan Jones e G Josh Kline

Sairam: RB DeMarco Murray (Free Agent), SS Da’Norris Searcy (Free Agent), QB Matt Cassel (Free Agent), WR Eric Weems (Free Agent), ILB Avery Williamson (Jets), DT Karl Klug (Free Agent) e DT Sylvester Williams (Free Agent)

Mesmo tímido na Free Agency, o Tennessee Titans conseguiu trazer peças fortes para sua equipe, a grande maioria oriundas do Patriots. Malcolm Butler era junto de Traumaine Johnson a nata na posição de cornerback no mercado, e chega para ser titular. Dion Lewis deve ajudar muito Mariota, especialmente por sua versatilidade, contribuindo correndo e também recebendo passes. Vai suprir também a ausência de DeMarco Murray, cortado pelo time. David King não chega como solução, apenas dará profundidade a linha defensiva do Titans. Desde sua chegada a Tennessee, Kline tem ajudado a linha ofensiva do time a figurar entre as melhores da liga, e sua renovação é um bom negócio. DaQuan Jones está longe de ser um DE de elite, mas divida a escassez da posição no mercado faz sentido mantê-lo no time. Avery Williamson é a perda mais considerável na defesa, sendo um jogador estável, tendo jogado todos os jogos do time na última temporada e sendo o segundo jogador com mais tackles.

NOTA: 7,5

Indianapolis Colts

Chegaram: DE Denico Autry (Raiders)

Renovaram: ILB Luke Rhodes , CB Chris Milton, TE Erik Swoope e LT Jeremy Vujnovich

Sairam: CB Antonio Cromartie (Aposentado), WR Donte Moncrief (Jaguars), OLB Barkevious Mingo (Seahawks), CB Rashaan Melvin (Raiders) e DT Johnathan Hankins (Free Agent)

Dentre os times de sua divisão foi o com menos ação durante a Free Agency, mesmo tendo o maior salary cap. O time precisa de recebedores para ajudar T. Y. Hilton, além de necessitar de melhorias na linha ofensiva, linebackers e cornerbacks. E o único jogador anunciado até o momento foi o DE Denico Autry, um jogador versátil capaz de atuar com certa qualidade em qualquer posição da linha. Quanto as renovações, cabe citar a de Jeremy Vujnovich, que apareceu em todos os snaps do time em 2017, ao contrário do TE Swoope, que esteve fora toda a temporada de 2017 por lesão. As perdas foram pesadas em Indianapolis. Na secundária, destaque para a aposentadoria de Cromartie e a saída de Rashaan Melvin para o Raiders. Apesar de não ser titular absoluto, Mingo apresentava bons números em seus snaps limitados. A saída de Donte Moncrief complica ainda mais a situação do corpo de recebedores. A esperança do Colts para 2018 é fazer um bom draft e torcer para Andrew Luck estar saudável.

NOTA: 2,0

Houston Texans

Chegaram: RT Seantrel Henderson (Bills), CB Aaron Colvin (Jaguars), G Senio Kelemete (Saints), G Zach Fulton (Chiefs), CB  Johnson Bademosi (Patriots), WR Sammie Coates (Browns) e FS Tyrann Mathieu (Cardinals)

Renovaram: SS Corey Moore,DE Ufomba Kamalu, P Shane Lechler, C Greg Mancz, WR Bruce Ellington, CB Johnathan Joseph, DE Angelo Blackson e ILB Brian Peters.

Sairam: QB Tom Savage (Saints), TE C.J. Fiedorowicz (Aposentado) e SS Marcus Gilchrist (Raiders)

O time do Texas conseguiu suprir algumas de suas necessidades nesta Free Agency. Aaron Calvin e Johnson Bademosi tiveram desempenhos relativamente bons em 2017 e juntos do bom Tyrann Mathieu vem para melhorar a frágil secundária do Texans. A adição de Senio Kelemete e Zach Fulton devem causar impacto imediato a linha ofensiva do time. A renovação com Greg Manz mantém no time um bom reserva que pode atuar de center ou guard. Sammie Coates chega somente para dar profundidade a posição de WR, irá provavelmente atuar apenas como quarto recebedor. Bruce Ellington jogou melhor que o esperado na última temporada, e por isso receberá mais uma chance no time. Também volta Johnathan Joseph, que recebeu um contrato de 2 anos e pode formar uma dupla boa de CBs junto a Aaron Colvin.

NOTA: 7,5

AFC LESTE

Buffalo Bills

Chegaram: QB AJ McCarron (Bengals), DE Trent Murphy (Redskins), S Rafael Bush (Saints), DT Star Lotulelei (Panthers), RB Chris Ivory (Jaguars) e CB Vontae Davis (Colts)

Renovaram: DT Kyle Williams e RB Travaris Cadet

Saíram: ILB Preston Brown (Bengals), CB Shareece Wright (Raiders), OT Seantrel Henderson (Texans), QB Tyrod Taylor (Browns) e LT Cordy Glenn (Bengals)

O Billls volta ao mercado na busca pelo Quarterback da franquia que foge desde os tempos do lendário Jim Kelly. A troca que enviou o LT Cordy Glenn para o Bengals é a mais recente prova disto, afinal as equipes também trocaram as escolhas de Draft, com o Bills movendo para a 12ª escolha geral no momento, além claro de enviar seu então QB titular para o Browns. Trent Murphy é uma escolha interessante para o esquema defensivo do time pois mesmo após romper os ligamentos do joelho em 2016, voltou bem na última temporada e conseguiu nove sacks com o Redskins, o que de certa forma explica o valor do contrato (U$ 21 milhões por três anos). AJ McCarron pode ser uma ponte interessante entre o QB a ser escolhido no Draft e no futuro ser trocado por alguma escolha de Draft para algum time necessitado. Star Lotulelei nunca foi o dominante jogador que se esperava dele, então um contrato de U$ 50 milhões é muito arriscado para o atleta que não conseguiu brilhar na boa defesa do Panthers nos últimos anos. O ILB Preston  Brown fará muita falta: presença intimidadora no coração da defesa que liderou a NFL em tackles porém estranhamente não teve seu contrato renovado.

 

NOTA: 6,0

Miami Dolphins

Chegaram: C Daniel Kilgore (49ers), OG Josh Sitton (Bears), WR Danny Amendola (Patriots), WR Albert Wilson (Chiefs) e DE Robert Quinn (Rams)

Renovaram: DE William Hayes, CB Walt Aikens e QB David Fales

Saíram: WR Jarvis Landry (Browns), DT Ndamukong Suh (free agent), ILB Lawrence Timmons (free agent), TE Julius Thomas (free agent), C Mike Pouncey (free agent), OG Jermon Bushrod (Saints) e K Cody Parkey (Bears)

Parece que todo ano o Dolphins sofre uma grande mudança em seu elenco e isto resulta em pouca alteração no que diz respeito ao número de vitórias da franquia. Desta vez, figuras importantes e identificadas com a torcida como Landry, Suh e Pouncey já não farão parte do plantel, o que com certeza causará estranhamentos. Landry, mesmo com uma baixa média de jardas por recepção compilou cem ou mais delas em duas das últimas três temporadas e é um dos melhores atletas atuando no slot, uma verdadeira válvula de escape. Suh é uma presença intimidadora no meio da defesa e atuou muito bem em Miami, porém seu contrato de U$ 114 milhões inviabilizou a permanência. Por outro lado, o OG Josh Sitton é um dos melhores atletas de sua posição e mesmo aos 32 anos de idade ainda tem gasolina no tanque para melhorar aquele que tinha um dos piores grupos de Guards de toda a NFL e ainda causar um bom impacto. Robert Quinn tentará ressuscitar a carreira após bom início no Rams com um esquema defensivo que lhe é favorável e ainda pode render. Kilgore é uma das jovens promessas na posição e uma contratação interessante frente à Pouncey, que simplesmente não conseguiu ficar saudável nos últimos anos e agora procura emprego.

NOTA: 5,0

 

New York Jets

Chegaram: QB Teddy Bridgewater (Vikings), ILB Avery Williamson (Titans), ILB Kevin Pierre-Louis (Chiefs), CB Trumaine Johnson (Rams), RB Isaiah Crowell (Browns), K Cairo Santos (Chiefs), C Spencer Long (Redskins)

Renovaram: QB Josh McCown, CB Morris Claiborne, S Terrance Brooks e  NT Mike Pennel

Saíram: DE/DT Muhammad Wilkerson (Packers), RB Matt Forte (aposentado), ILB DeMario Davis (Saints), K Chandler Catanzaro (Buccaneers) e TE Austin Seferian-Jenkins (Jaguars).

Uma das equipes mais ativas até agora, o Jets sai com um saldo positivo da free agency. O time renovou com Josh McCown além de que fechou com Teddy Bridgewater, o que proverá duas figuras com muita experiência até o provável QB recrutado com a recém-adquirida 3ª escolha geral do Draft possa estrear em plenas condições. Conseguiram também bons talentos no miolo da defesa, com Pierre-Louis e Williamson, principalmente o segundo se mostrou uma força contra o jogo terrestre, mesmo que ainda peque um pouco na cobertura à TEs adversários. O CB Trumaine Johnson era um dos free agents mais cobiçados da classe, então foi um feito e tanto para o Jets ao conseguir atrair o prezado atleta para si, que proverá uma figura física como CB #1 na defesa de Todd Bowles. Wilkerson simplesmente desapareceu depois da mega-extensão contratual que recebeu duas temporadas atrás, sendo inclusive um problema no vestiário e faltando à diversas reuniões de time, então sua saída era esperada. O dinâmico RB Matt Forte com certeza deixará saudades, afinal poucos RBs na história da NFL foram tão bons recebendo passes como ele, assim como DeMario Davis, inconstante durante boa parte da carreira mas a alma da defesa em 2017, que agora atuará pelo Saints. Para nós brasileiros, a contratação do K Cairo Santos é animadora, afinal, sem Chandler Catanzaro, o cargo de Kicker titular (ao que tudo indica) será do nosso “zica das bicudas” na próxima campanha do lado verde de Nova Iorque.

NOTA: 7,0

 

New England Patriots

Chegaram: WR Cordarralle Patterson (Raiders), OT Matt Tobin (Seahawks), RB Jeremy Hill (Bengals), DE Adrian Clayborn (Falcons) e DT Danny Shelton (Browns)

Renovaram: RB Rex Burkhead, S Nate Ebner e RB Brandon Bolden

Saíram: CB Malcom Butler (Titans), LT Nate Solder (Giants), RB Dion Lewis (Titans), WR Matthew Slater (free agent), TE Martellus Bennett (free agent) e S John Bademosi.

Um dos times mais enfraquecidos com a free agency, o Patriots perdeu peças importantes nos três setores da equipe e até agora não fez muita coisa para consertar isto, o que de certa forma é normal para esta franquia. Butler e Solder conseguiram os longos e lucrativos contratos que tanto almejavam após vários anos atuando em alto nível no Patriots, e agora fazem parte da história do time para os próximos anos mas farão falta de forma imediata, afinal falo do CB #1 e do LT dos últimos times. O dinâmico Dion Lewis além de Slater, talvez o melhor jogador de times especiais de toda a NFL também não voltarão em 2018. As renovações de Burkhead e Brandon Bolden além da chegada do veterano Jeremy Hill podem trazer estabilidade à posição. Hill teve mais de 1100 jardas e nove TDs como calouro no Bengals e mesmo não sendo capaz de replicar tão desempenho, é um atleta talentoso que pode render neste esquema que pode ter quatro RBs de impacto, pois há também o veterano Mike Gillislee. A incapacidade de gerar pressão pela linha defensiva (evidenciada no Super Bowl 52) foi atacada com as chegadas de Clayborn e Danny Shelton, além de que o DE Derek Rivers retornará de lesão. Patterson chega a baixo custo para ser o retornador da equipe e atuar também nas equipes especiais, tendo em vista a provável e citada ausência de Slater daqui pra frente. Que uma coisa fique claro: o Patriots ficará bem enquanto Brady e Belichick estiverem por lá.

 

NOTA: 3,0

AFC OESTE

Denver Broncos

Chegaram: QB Case Keenum (Vikings), CB Tramaine Brock (Vikings), 

Renovaram: ILB Todd Davis, C Matt Paradis, LB Shaq Barrett,

Saíram: TE Virgil Green (Chargers), ILB Corey Nelson (Eagles), QB Trevor Siemian (Vikings) e CB Aqib Talib (Rams)

O Broncos pareceu apostar tudo em conseguir atrair Kirk Cousins para si, mas ao ver que ele estava interessado no Vikings, se voltou à Case Keenum, que teve o ano da carreira em 2017 e levou o Vikings até o NFC Championship Game, um feito e tanto. Fora isso, o time trouxe Brock, uma figura decente enquanto atuava no 49ers até que problemas extra-campo o afastou de seu melhor desempenho e após uma breve estadia no Vikings, chega ao Colorado para tentar recuperar a carreira. Renovações como dos LBs Todd Davis e Shaq Barrett foram importantes para a continuidade do ótimo trabalho contra o jogo terrestre adversário, embora sejam atletas deficientes quando precisam recuar e jogar na cobertura. O CB Aqib Talib já mostrava sinais de declínio ao se aproximar dos trinta anos de idade, então se livrar de uma figura polêmica, com salário alto, conseguir uma escolha de Draft e permitir mais tempo de jogo ao ótimo CB Bradley Roby parece ser o melhor acordo que John Elway fez, ao mandá-lo para o Los Angeles Rams. A saída de Siemian indica não apenas que o Broncos confia em Keenum no futuro próximo como abre a possibilidade de recrutarem um QB na primeira rodada do Draft e evoluí-lo, já que ficou provado que Paxton Lynch também não é resposta para a franquia. Um bom desempenho de Keenum evitará o colapso tido na última temporada (as oito derrotas consecutivas depois de começar com três vitórias em quatro jogos).

NOTA: 4,0

 Los Angeles Chargers

Chegaram: TE Virgil Green (Broncos), K Caleb Sturgis (Eagles)

Renovaram: WR Tyrell Williams, OT Michael Schofield, S Adrian Phillips (free agent restrito).

Saíram: Jerry Attaochu (49ers), OG Kenny Wiggins (Lions), S Tre Boston (free agent), TE Antonio Gates (free agent) e OG Matt Slauson (free agent).

 

O Chargers é uma equipe até o momento sem grandes movimentos, embora conte com alguns free agents crucias para o desempenho deles em 2017. A equipe espera que Sturgius finalmente seja o Kicker confiável que a maioria dos times precisam, pois como você deve se lembrar, o lamentável desempenho da posição custou vários jogos ao time nas últimas temporadas, impedindo classificações para a pós-temporada, inclusive. Tre Boston é um atleta que precisa retornar ao time, pois se provou um tremendo jogador atuando na cobertura, mesmo perdendo alguns tackles em campo aberto. Williams provou ser uma ameaça em profundidade porém é muito instável, mas acredito que sua renovação é importante para “esticar” o tempo e permitir que atletas como Keenam Allen e Hunter Henry tenham mais liberdade para atuarem, com a defesa preocupada com os grandes ganhos territoriais de Williams. Slauson e sua versatilidade para atuar nas três posições é algo que com certeza será bem vindo para Philip Rivers, que entra na parte final da carreira e ao contrário de seus contemporâneos do Draft de 2004 (Eli Manning e Ben Roethlisberger nunca jogou um Super Bowl).

NOTA: 2,0

Kansas City Chiefs

Chegaram: WR Sammy Watkins (Rams), OLB Anthony Hitchens (Cowboys), CB David Amerson (Raiders), QB Chad Henne (Dolphins).

Renovaram: FB Anthony Sherman, P Dustin Colquitt, DT Jarvis Jenkins, WR De’Anthony Thomas

Saíram: S Ron Parker (free agent), CB Marcus Peters (Rams), LB Tamba Hali (free agent), ILB Derrick Johnson (free agent), QB Alex Smith (Washington Redskins), OG Zach Fulton (Texans), CB Terrance Mitchell (Browns), WR Albert Wilson (Dolphins), LB Kevin Pierre-Louis (Jets), QB Tyler Bray (Bears).

 

O Chiefs praticamente limpou a casa após a última temporada e se livrou de vários nomes de longa data, então veremos uma equipe bem diferente em 2018. Alex Smith foi para o Redskins e agora Patrick Mahomes terá a oportunidade de ser o titular. Para ajudá-lo nisto, a equipe trouxe o WR Sammy Watkins  que embora pareça ter anos de experiência dentro da liga, tem apenas 25 anos de idade e foi recrutado com a 4ª escolha geral do Draft, então as expectativas são bem altas com relação a ele. O Chiefs precisará de um grande desempenho no Draft mesmo sem uma escolha de primeira rodada para suprir as ausências de Peters (trocado após várias confusões dentro e fora de campo), Derrick Johnson (um dos melhores ILBs de sua geração) e Fulton, que mesmo recrutado na sexta rodada era presença comum na posição de Guard. O LB Anthony Hitchens evoluiu consideravelmente na última temporada e foi uma bela adição ao corpo de LBs da equipe, mesmo que por um valor mais alto do que talvez merecesse, mas esta é a free agency. David Amerson tentará prover a figura física que Peters trazia à secundária, mas é claro que são atletas de níveis totalmente diferentes, então o experimento do time desesperado por Cornerbacks à ponto de tentar o finado Darrelle Revis pode falhar. Sherman costumava receber muito mais passes no começo da carreira, mas sua importância bloqueando para o RB Kareen Hunt é crucial, então a renovação contratual é mais que merecida.

NOTA: 2,5

Oakland Raiders

Chegaram: CB Rashaan Melvin (Colts), S Marcus Gilchrist (Texans), RB Doug Martin (Buccaneers), WR Jordy Nelson (Packers), LB Tahir Whitehead (Lions), DE Tank Carradine (49ers), CB Shareece Wright (Bills), OLB Kyle Wilber (Cowboys).

Renovaram: TE Lee Smith

Saíram: WR Cordarralle Patterson (Patriots), CB TJ Carrie (Browns), WR Michael Crabtree (Ravens), CB David Amerson (Chiefs), DT Denico Autry (Colts), NT Justin Ellis (free agent), LB NaVorro Bowman (free agent), CB Sean Smith (free agent), OT Marshall Newhouse (free agent),

 

Em seu primeiro ano na volta como HC, John Gruden já promoveu diversas mudanças e teremos um time bem diferente daquele que alinhou na temporada de 2017. A secundária principalmente, que deverá contar apenas com Gareon Conley como jogador com alguma experiência na equipe, já que Rashaan Melvin e Marcus Gilchrist chegam de Colts e Texans para renovar o desempenho do setor, nada menos que trágico ao longo da última temporada. O corpo de LBs é outro que deve ser totalmente remodelado com as chegadas de Whitehead e Wilber, além de que NaVorro Bowman ainda é free agent após reencontrar seu melhor desempenho ao longo da última temporada, então provavelmente está nos planos de Gruden para 2018. O Raiders trocou um veterano por outro ao preterir Crabtree à Jordy Nelson, este primeiro teve problemas com drops e separação dos adversários na última temporada e Nelson, aos 33 anos de idade, nunca mais o mesmo após uma grave lesão alguns anos atrás. Doug Martin e Marshawn Lynch forma uma dupla que tem potencial para ser oito ou oitenta: ou ambos tomam a liga para si e combinam para mais de 2000 jardas terrestres ou simplesmente sentem o peso da idade e lesões e falham em cumprir qualquer expectativa que já é criada para a dupla, tão prolífica em um passado não tão distante assim. A grande expectativa é pela volta do QB Derek Carr à fase do início de sua carreira, quando era um dos melhores jovens de toda NFL e digno de assinar a maior renovação contratual na altura, algo com o que Jimmy Garappolo, do 49ers, é nos dias de hoje.

NOTA: 5,0

Concorda com as notas? Vê alguma grande diferença? Não deixe de comentar através das mídias sociais ou mesmo usando a caixa de texto abaixo. COMENTE!

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

 

 

 

Compartilhe

1 comentário

  1. Bela matéria concordo em tudo, porem não acho keenum um bom QB, acho que ano passado foi um caso atípico. Não acho que iremos de QB pois se formos perdemos o Nelson. Que pode melhorar nossa OL em 1000%, tendo um miolo de OL de respeito com leary, parados e Nelson, não acha????

    E temos ainda que tentar ir atrás de um CB, para ocupar o lugar de talib pois ele fazia aquela função de CB físico, alem de ser bastante habilidoso, e temos tentar solucionar alguns pequenos problemas na defesa, estou certo ??????

    Agora so mais uma pergunta, qual a chance de Ndamunkong Suh, Defensive Tackle, vim para Denver ?????
    Valeu pela paciência e atenção, bela matéria.

Leave A Reply