Linha ofensiva segue sendo um problema para o Miami Dolphins

16 de junho de 2017
Tags: carlos massari, dolphins, Notícias do Dia,

Não é segredo que a linha ofensiva do Miami Dolphins não foi bem em 2016. No ranking divulgado pelo ProFootball Focus ao final da temporada, a unidade apareceu como a terceira pior da NFL. É verdade que o importantíssimo center Mike Pouncey jogou pouco devido a uma lesão e que a escolha de primeira rodada Laremy Tunsil atuou em uma posição que não era a sua principal, mas ainda assim, mudanças precisavam ser feitas para que menos sustos aconteçam em 2017.

Logo em fevereiro, a primeira transação foi feita: uma troca mandou Branden Albert para o Jacksonville Jaguars pelo tight end Julius Thomas. Esse movimento permite que Tunsil assuma a posição pela qual foi draftado – left tackle – e encerra os dias daquele que já foi um dos melhores jogadores de linha ofensiva da liga em Miami. Ainda na Florida, Albert vai tentar gastar o pouco que ainda tem no tanque – que nas últimas semanas de 2016, especialmente no jogo de wild card contra o Pittsburgh Steelers, não parecia ser muito.

A mudança de posição de Tunsil, porém, deixou ainda mais fraca a posição de guard no elenco do Dolphins. Muitos mock drafts previam a escolha de um atleta para a posição na primeira rodada do draft de 2017, com Forest Lamp sendo o nome ainda mais citado. O front office decidiu ir em outra direção, com o pass rusher Charles Harris, mesmo com o produto de Western Kentucky ainda disponível no bordo.

Foi só na quinta rodada do recrutamento que veio um reforço para a posição: Isaac Asiata. Vindo de Utah, ele não teve muito sucesso nos OTA’s, e a maior probabilidade é que não consiga ser titular desde o início da temporada. Não existe nada de anormal nisso, já que jogadores selecionados de forma tardia no draft normalmente precisam de desenvolvimento. Mas assusta que o Dolphins tenha demorado tanto para escolher um guard com tanta necessidade de um.

Na free agency, veio Ted Larsen, que era um backup em Chicago. Não é um atleta que idealmente você quer como titular, mas devido à situação, provavelmente é o que acontecerá. Ele provavelmente disputará a posição com Anthony Steen, mas se Mike Pouncey continuar sofrendo com lesões e Steen for obrigado a atuar como center, como aconteceu ano passado, não haverá outra alternativa além de usar uma temível dupla de guards formada por Larsen e Jermon Bushrod.

Falando em Pouncey, ele não atuou nos OTA’s e há uma crescente preocupação de que possa não estar disponível para o início da temporada. Seria fundamental para o Dolphins ter o seu center para todos os jogos em 2017, já que ele é o melhor atleta da linha ofensiva e um dos melhores da NFL em sua posição.

Nos tackles, há mais tranquilidade para o Dolphins. Laremy Tunsil tem o potencial para se tornar um jogador de nível estelar e fará sua primeira temporada protegendo o blind side de Ryan Tannehill, enquanto Ja’Wuan James segue sendo consistentemente bom, apesar de não espetacular, durante sua carreira. O problema para o time de Miami realmente não é a parte externa de sua linha.

É importante lembrar que Ryan Tannehill é um dos melhores quarterbacks da atualidade em questão de escapar de sacks, e raramente é derrubado por sua culpa. E que Jay Ajayi é um corredor muito elusivo e veloz. Portanto, são dois jogadores que tem o potencial de fazer bem à linha ofensiva e de ajudá-la.

Se tudo der certo, ou seja, Pouncey recuperar sua forma física e atuar por toda a temporada, Tunsil e James alcançarem um alto nível nas pontas da linha e Steen entrar bem como guard, essa unidade até pode fazer um papel respeitável. Mas várias questões parecem difíceis no momento, sobretudo com o center e sua dificuldade de ficar saudável. O ideal teria sido seguir os mock drafts e ter selecionado Forest Lamp no início do recrutamento, impedindo assim a titularidade de atletas fracos como Ted Larsen e Jermon Bushread. Mas, como não foi o caso, é possível que o sofrimento continue para Tannehill, Ajayi e todos que precisarem de produção em alto nível dessa OL.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Carlos Massari é o setorista da AFC LESTE. Analisa Patriots, Jets, Bills e Dolphins às quartas e sextas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @massaricarlos