Lendas da Liga – Reggie White

29 de junho de 2017
Tags: a liga e a historia, eagles, lendas, packers, paulo cesar, reggie white,

Continuando a justa homenagem aos jogadores que de alguma forma marcaram a rica história da NFL, é a vez de conhecermos um pouco mais da história e carreira de Reggie White, um dos melhores jogadores defensivos da história da NFL, que entre tantos feitos, se aposentou como o então líder histórico de sacks na história do futebol americano profissional.

LEIA MAIS: Lendas da Liga – Otto Graham

Reginald Walter White nasceu em Chattanoga, uma das maiores cidades do Tennessee, em 19 de dezembro de 1961. Filho de pais que não eram casados, cresceu com a mãe até os oito anos de idade, quando sua guarda passou a pertencer à sua avó paterna, Mildred Dodd. Com um porte físico impressionante, White, além do futebol americano, jogou basquete e participou da equipe de atletismo na Howard High School. Em sua última temporada no ensino médio, compilou impressionantes 140 tackles e 10 sacks, creditando-o como o recruta número 1 do estado e, apesar de receber ofertas de praticamente todo o país, optou por jogar na faculdade do Tennessee, onde também marcou seu nome na história do College.

LEIA TAMBÉM: Lendas da Liga – Lawrence Taylor

Titular desde sua primeira temporada na universidade, White fez jus a toda a expectativa criada sobre ele, tendo quatro temporadas absolutamente dominantes, com o ápice ocorrendo em sua última temporada, quando conseguiu 100 tackles e 15 sacks (recorde da faculdade). Criado em uma família extremamente cristã e religiosa, White seguiu os passos de seus familiares no cristianismo, tanto que quando tinha doze anos, declarou o seguinte para sua mãe durante um culto: “Quero ser duas coisas nesta vida: jogador de futebol americano e ministro.” Tal personalidade cristã lhe rendeu um apelido na época da faculdade que ele levou com orgulho para o resto de sua carreira como jogador: “Ministro da Defesa”.

Após ser eleito para a seleção do país e ganhar o prêmio de melhor jogador da conferência, ele se profissionalizou, mas tomou um caminho diferente do que você está habituado para um talento desta magnitude. A NFL não era a única liga de futebol americano profissional em 1984 e White assinou com o “Memphis Snowboats” da USFL (United States Football League), uma liga que rivalizava com a NFL na assinatura de jogadores saindo da faculdade. Foram duas temporadas por lá, em que naturalmente compilou ótimos números: 198 tackles e 23,5 sacks em apenas 36 jogos da carreira. Contudo, a USFL implodiu em 1985 e após se inscrever no Supplemental Draft da NFL em 1985, foi selecionado pelo Philadelphia Eagles com a quarta escolha geral. Assinou contrato de quatro temporadas no valor de U$ 1,85M, após o Eagles também pagar o restante do salário que receberia na USFL – U$ 4M por cinco temporadas de contrato.

reggie-white-eagles

No Eagles, White demorou a estrear, ficando de fora de três jogos da temporada de 1985. Quando finalmente fez sua estreia na NFL, conseguiu 10 tackles e 2,5 sacks no seu primeiro jogo, o que simbolizou o início de uma trajetória dominante na liga, que se estendeu por uma década e meia. Foram 13 sacks em 13 jogos em sua primeira temporada, o que lhe rendeu o prêmio de “Defensive Rookie of the Year” em 1985, porém era apenas um prelúdio do que viria logo a seguir.

Foram oito anos no Philadelphia Eagles e, acredite se quiser, o mínimo de sacks que ele compilou em uma única temporada foi 11, o que lhe rendeu a reputação de defensor mais temido da NFL. Buddy Ryan, técnico do Eagles na época, fez a seguinte declaração sobre Reggie White: “É um defensor perfeito, provavelmente o mais talentoso que vi ou irei ver na vida. Ele causa pânico nos jogadores adversários pela sua força descomunal, mas também combina isso com velocidade, resiliência e habilidade para escapar de situações complicadas e atingir o QB adversário com o máximo impacto possível”. Prova disso foi a temporada de 1987, quando uma greve geral dos jogadores reduziu a temporada regular para apenas 12 jogos, em que White conseguiu 21 sacks, uma média assustadora de 1,75 por jogo, que permanece como a maior da história da NFL até os dias de hoje. Ao longo de oito temporadas, foram 124 sacks em 121 jogos, porém o Eagles não conseguia fazer caminhadas regulares na pós-temporada, o que realmente frustrava White, que queria um título para colocar de vez seu nome na história da liga.

No verão de 1993, White ajudou a mudar para sempre a NFL no que diz respeito aos jogadores livres. Entrava em vigor o novo acordo entre a NFL e o sindicato dos jogadores, que marcava o início da Free Agency que conhecemos atualmente. Nos anos anteriores a 1993, vigorava uma espécie de “proteção” dos times, que podiam escolher 37 jogadores do elenco que ficavam impedidos de assinarem com outras equipes. Coincidiu o período em que expirou o contrato de White com o Eagles e, naturalmente, ele foi cotejado por praticamente todos os times da NFL, se tornando o primeiro atleta a ser arduamente disputado pelas equipe.

Reggie White viajou para uma dezena de cidades, visitando times e ouvindo propostas de contrato, e havia a expectativa que seu novo acordo mudasse para sempre a forma com que os times negociam e contratam jogadores, e foi o que de fato aconteceu. Em 1993, White escolheu assinar com o Green Bay Packers, firmando acordo de quatro temporadas no valor de U$ 17M, algo inimaginável para a época, e se mudou com a esposa para Wisconsin.

Reggie White & Steve Young - GBP vs. 49ers

Pelo Packers, foram seis temporadas em que White atingiu o ápice como jogador e líder da tradicional franquia. Foram 68,5 sacks durante seus anos jogando no Lambeau Field, incluindo 16 na temporada de 1998, sua melhor temporada por lá. Contudo, a maior glória na carreira veio na temporada de 1997, quando finalmente colocou seu nome na galeria de campeões do Super Bowl, após vitória por 35 a 21 contra o New England Patriots no Super Bowl XXXI. Naturalmente, Reggie White teve participação fundamental no jogo, conseguindo três sacks (recorde que perdura até hoje), e derrubando o QB Drew Bledsoe numa quarta descida já no final da partida, sacramentando a vitória e o título da equipe.

Após anunciar aposentadoria no fim da temporada de 1998, White teve um hiato de uma temporada, até que voltou a atuar na temporada de 2000, quando assinou contrato de uma temporada com o Carolina Panthers. Contudo, com a 39 anos de idade, passou longe de ser o atleta dominante de outros períodos, mas ainda assim conseguiu 5,5 sacks durante a campanha. Finalmente se aposentou de forma oficial com um total de 198 sacks na NFL, maior marca da história na época, só superada por Bruce Smith em 2003 ao conseguir 200. Se contarmos também os números da USFL, White tria um total de 221,5 sacks, o que lhe daria o título de jogador com mais sacks na história do futebol americano profissional de alto nível.

Reggie White ficará marcado para sempre na história da NFL, não apenas pelo seu assombroso desempenho em campo, mas também por todos os seus atos praticados fora do campo para a comunidade em geral. Extremamente engajado na ajuda aos mais necessitados, abriu sua igreja para todas as pessoas, independente de cor, classe social, ou qualquer outra coisa. Uma citação bastante famosa de White é que, segundo ele mesmo, diz: ”Acredito que fui abençoado com a habilidade física para ser jogador, mas também para a missão de difundir e pregar o cristianismo. Muitas pessoas olham para os atletas em geral como modelos a se espelharem, e para ter sucesso como atleta, preciso fazer o que seja necessário. Tento viver a vida da maneira certa e de alguma forma causar impacto positivo nas pessoas. Acredito que esta é a missão que Deus me deu aqui na Terra”. White dedicava muito tempo à orar nas ruas das cidades, além de conversar com jovens membros de gangues e viciados nos mais variados tipos de drogas e entorpecentes, na tentativa de dar outro sentido em suas vidas. Quando perguntado sobre tal engajamento, já que de fato muitas pessoas creditavam não ser sua obrigação, ele era pragmático: “Fé sem trabalho não é nada”.

Infelizmente, faleceu no dia 26 de dezembro de 2004, em sua casa na cidade de Cornelius, na Carolina do Norte. Vítima de uma forte arritmia cardíaca, colaborou também para sua morte problemas no pulmão e uma apneia no sono, estes também problemas conhecidos que White convivia há anos. É inegável que seu legado ficará para sempre na história da NFL, seja pelo desempenho em campo, que foi colossal, como também pelas suas atividades fora de campo, que com certeza mudaram o rumo da vida de muitas pessoas, beneficiadas pela humanidade de Reggie White.

Informações e recordes de Reggie White na NFL (1985 – 2000)

  • Campeão do Super Bowl XXXI
  • 13 vezes escolhido para o Pro Bowl (1986, 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997 e 1998)
  • 10 vezes eleito para o All-Pro Team (1986, 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1995 e 1998)
  • 2 vezes eleito como “Defensive Player of the Year” (1987 e 1998)
  • 2 vezes líder em Sacks da temporada na NFL (1987 e 1988)
  • Camisa #92 aposentada pelo Tennessee Volunteers, Philadelphia Eagles e Green Bay Packers
  • Hall da Fama (2006)

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Paulo César é o setorista da NFC LESTE. Analisa Giants, Cowboys, Redskins e Eagles às terças e quintas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @PcesarPJunior