Jeff Fisher fala quando Jared Goff estreará

9 de novembro de 2016
Tags: Notícias do Dia, paulo cesar, rams,

GoffDraft1

Uma das maiores histórias da NFL nesta temporada é o fato de Jared Goff, primeiro jogador recrutado no Draft de 2016 após o Rams mandar um caminhão de escolhas de Draft para o Tennessee Titans pelo direito de escolher o ex-QB da universidade da California simplesmente não ser o titular da equipe, sendo preterido por Case Keenum, um dos QBs mais inefetivos e criticados de toda a temporada até agora. Algumas informações dão conta que o Rams seguirá com Keenum como titular até estar matematicamente eliminado da pós-temporada, cenário que após quatro derrotas consecutivas, parece não estar muito longe do horizonte. O HC Jeff Fisher finalmente deu uma declaração sobre o tema, explicando quando colocará seu prezado calouro em campo nesta temporada.

“Quando ele estiver pronto, ele terá a chance como titular, e irá jogar,” declarou Fisher em poucas palavras ao ser insistentemente perguntado sobre isso. Porém o que acontecerá se isto acontecer e o Rams ainda estiver brigando por alguma coisa? E se por acaso Goff não estiver pronto? São diversas perguntas que cercam o calouro que continuarão sem respostas até que este tenha a chance de comandar o ataque do Rams, estatisticamente um dos piores da NFL com Keenum como QB. Parece que este era o plano da equipe desde que selecionou Goff no último Draft, de não colocá-lo em campo até acreditarem que, cercado por um elenco ofensivo bastante limitado, Goff não seria simplesmente jogado aos leões e que poderia fazer do Rams uma equipe minimamente competitiva, coisa que Keenum passa longe de conseguir até agora.

O cenário não é nada animador para Goff. Em meio a uma classe de calouros cujo talento não era muito bem visto antes do Draft, jogadores como Dak Prescott, Carson Wentz e Cody Kessler devem manter a titularidade em seus times até o final da temporada, e mesmo jogadores como Paxton Lynch e Jacoby Brissett já tiveram chances como titular e de certa forma corresponderam, é utópico imaginar que o primeiro atleta recrutado, aquele que teoricamente é o melhor jogador da classe e representaria uma melhora imediata, além da esperança de dias melhoras para uma franquia que foi mal na última temporada, tenha a titularidade prometida apenas quando sua equipe estiver matematicamente eliminada de qualquer possibilidade classificação. É um claro sinal que o Rams não confiava que Goff poderia render como calouro, do contrário ele ao menos teria entrado no decorrer de alguma partida. Se estivéssemos no College Football, diríamos que o QB é um redshirt freshman, artefato usado pelos times em alguns jogadores, que podem treinar com os companheiros porém não podem jogar, e não perdem um dos quatro preciosos anos de elegibilidade para atuarem na NCAA. Mas não estamos no College, e no mundo da NFL, a permanência de Jeff Fisher no comando do Rams (e de qualquer outra equipe, porque não?) parece estar atrelada ao desempenho do calouro QB, cuja escolha foi bancada pelo técnico, que agora resiste o máximo possível em colocá-lo em campo.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook.

Postagens Relacionadas









Paulo César acompanha a NFL desde 2012, com o primeiro contato ocorrendo em 2010. Escreveu para o extinto “Colts Brasil” e HTE Sports. No site, escreve a coluna “Top 5”, às segundas, abordando listas com temas diversos semanalmente.