Frank Gore merece ir ao Hall da Fama?

7 de dezembro de 2016
Tags: colts, Notícias do Dia, paulo cesar,

Frank Gore colts top 10

Quando a temporada regular de 2016 começou, o RB Frank Gore, do Indianapolis Colts, era o 15º atleta com mais jardas terrestres na rica história da NFL, um número nada mal para um RB recrutado na 3ª rodada do Draft de 2005 pelo San Francisco 49ers, oriundo da tradicional universidade de Miami. São doze sólidas temporadas entre 49ers e Colts do veterano RB, o que na atual fase da NFL representa um ponto fora da curva para os jogadores de sua posição, que normalmente têm nos 30 anos de idade a fase que sua utilidade já não é a mesma para uma equipe. Gore, aos 33 anos, sendo 12 dedicado à NFL gera uma dúvida: sua carreira é digna de ser imortalizada no Hall da Fama do esporte?

Veio a temporada de 2016, e nela (até agora) Gore compila 749 jardas terrestres, suficientes para movê-lo da 15ª para a 8ª posição no ranking de jardas conseguidas pelo chão, ultrapassando jogadores lendários como Jim Brown, Tony Dorsett, Marshall Faulk e Franco Harris, entre outros. Com mais 470 jardas terrestres, ele ultrapassá Eric Dickerson e seria o sétimo na lista. Se ainda almejar isto nesta temporada, teria que ter média de 117 jardas nos quatro jogos restantes do Colts nesta temporada, um número até improvável para os padrões da equipe de Indiana. Mirando o final desta e a próxima temporada, com 891 jardas ele ultrapassará, além de Dickerson, os RBs Jerome Bettis e LaDainian Tomlimson, chegando assim à quinta colocação na história da NFL.

O fato de Gore estar no meio de tantas figuras lendárias já o credita para ser imortalizado no mural dos grandes em Canton, Ohio. A carreira de Gore é um exemplo de solidez e bom desempenho, já que desde sua temporada de calouro em 2005, ele nunca disputou menos que 11 jogos em uma temporada regular e nunca teve menos que 605 jardas num ano, justamente em sua primeira temporada na Liga, em que foi basicamente um reserva e atuava nos times especiais. O fato de um RB de 33 anos ainda ser considerado um dos bons da NFL, em um time que historicamente sofre nesta posição é outro belo feito do veterano RB, que simboliza o desafogo para o QB Andrew Luck, pois sabe que ao fazer o handoff para seu RB, sabe que este brigará até o último instante por uma jarda que seja, afinal, Gore faz isto desde a metade da década passada.

O RB teve sua melhor temporada em 2006, quando anotou 8 TDs e compilou mais de 1600 jardas pelo chão com mais de cinco jardas de média por tentativa. Por si só a carreira dele já merece ser indicada ao Hall da Fama, mas a introdução fica mais clara ainda quando analisamos o fato que não há muitos RBs dignos de tal honra esperando para colocar aquela jaqueta dourada (talvez o único com real chance seja LaDainiam Tomlimson). Na fase em que o ataque terrestre sucumbiu para o ataque aéreo e a figura do RB perde cada vez mais espaço na montagem de um elenco, Gore e Adrian Peterson, do Minnesota Vikings, são os únicos atletas em atividade com mais de 10000 jardas terrestres na carreira – Chris Johnson, com 9537 e Matt Forte com 9386 são os que mais se aproximam.

O cenário não é muito animador se analisarmos o futuro, pois num cenário otimista Tomlimson, Gore e Peterson parecem os únicos RBs a valer algum tipo de consideração para o Hall da Fama daqui para frente. Se a comissão que elege os atletas que serão imortalizados estiver pensando em colocar um corredor, a lista não fugirá muito disto nos próximos anos, a menos que nomes como DeMarco Murray (6231 jardas) continue atuando em alto nível por diversas temporadas (porém Murray tem 28 anos de idade), ou que Ezekiel Elliott estenda seu desempenho de calouro nas próximas dez temporadas.

E você, acredita que Frank Gore merece ser imortalizado no Hall da Fama do futebol americano?

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook.

Postagens Relacionadas









Paulo César é o setorista da NFC LESTE. Analisa Giants, Cowboys, Redskins e Eagles às terças e quintas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @PcesarPJunior