Estamos assistindo aos últimos dias da carreira de Big Ben?

10 de outubro de 2017
Tags: david telles, matérias,

No último domingo, o Pittsburgh Steelers perdeu por 30 x 09 para o Jacksonville Jaguars num jogo que foi muito pior para os “metaleiros” do que as estatísticas mostram. A pífia atuação foi impulsionada por uma performance deplorável por parte do QB Ben Roethlisberger, a pior de toda sua grande carreira.

Big Ben lançou 5 INTs durante o confronto, sendo que duas delas foram pick six (foram disparadas as piores marcas do QB num jogo, uma vez que nunca havia tido mais do que 3 INTs em uma rodada). Porém, o que mais chamou a atenção, foi a entrevista concedida pelo líder do Pittsburgh Steelers após a derrota.

Desde 2004 na NFL, Big Ben sempre foi um atleta confiante na sua capacidade e mesmo com algumas atuações ruins na carreira, nunca duvidou de que pudesse dar a volta por cima. Entretanto, nos pós-jogo contra o Jaguars, Roethlisberger deixou claro que está insatisfeito com seu atual nível de jogo e colocou em xeque sua capacidade de superar este momento ruim: “Talvez eu não tenha mais isso (o suficiente para jogar em alto nível)”, afirmou o jogador. Questionado logo após essa declaração, o camisa #7 do Steelers se limitou a dizer que não estava “jogando bem”.

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32

Vale lembrar que há algum tempo Big Ben vem flertando com a aposentadoria (após a temporada de 2016 esse assunto voltou mais forte do que nunca). As recentes declarações sobre um possível fim de carreira e esse desânimo após uma péssima atuação demonstram que talvez o QB não tenha mais tanto desejo de continuar atuando profissionalmente.

Em termos técnicos, o quarterback vem enfrentando sérias dificuldades quando tem que lançar passes longos desde a temporada passada. Em passes para pelo menos 15 jardas, em 2016 Ben teve 58 passes certos em 115 tentados (45,3% de aproveitamento), porém com uma boa proporção de TD/INT (16 e 5, respectivamente). Em 2017, esses números despencaram. São 14 passes certos em 50 tentados nessa situação (28% de aproveitamento), com nenhum TD e 5 INT.

Muito por conta disso, o Steelers vinha adotando um playbook um pouco mais conservador, com poucos passes em profundidade. A proteção da bola vinha sendo bem trabalhada (e Big Ben sabia que isso seria importante em 2017, tanto é que comemorou o fato de não ter lançado nenhuma interceptação no training camp da equipe). Quando o jogo do último domingo foi para o buraco e o plano de jogo teve que ser alterado para se tentar alguma coisa, as deficiências de Big Ben ficaram escancaradas. Mesmo com um grupo habilidoso de recebedores, que conta com Antonio Brown, Martavis Bryant, Eli Rogers e Juju Smith-Schuster, a falta de constância e precisão do QB limitam todo o potencial desse ataque. Aliada à falta de confiança, se torna mortal.

Mas nem toda a culpa do desempenho ruim do setor ofensivo até aqui no ano deve ser colocada nas costas do QB. O RB Le’Veon Bell perdeu toda a pré-temporada e ainda precisa de ritmo. Caso semelhante ao do WR Martavis Bryant, que perdeu uma temporada inteira por suspensão, além das chamadas controversas do coordenador ofensivo Todd Haley, que não consegue dar um padrão ao ataque de Pittsburgh (maior exemplo disso é o próprio jogo contra o Jaguars: a franquia adversária encontrou problemas para conter o jogo terrestre, e Pittsburgh optou por correr pouco com a bola e decidiu testar a forte secundária dos oponentes).

Ainda é cedo para falar que é o fim de Big Ben. Porém, o que o jogador vem mostrando até aqui deixa a desejar e sua postura demonstra que, talvez não tenha mais fôlego para se recuperar dessa má fase, afinal de contas, 35 anos de idade e 465 sacks durante toda a carreira pesam. Isso, todavia, não impede que o time do Steelers consiga sucesso nessa temporada (talvez a melhor solução seja apostar mais em Le’Veon Bell), mas não podemos esperar ver com frequência as grandes atuações de outrora de um dos melhores QBs de sua geração.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









David Telles é o setorista da NFC NORTE. Analisa Packers, Bears, Lions e Vikings às segundas e sextas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @DavidRTelles