segunda-feira, 10 de abril de 2017

Compartilhe

Esse foi um texto sugerido pelo nosso clube de assinantes. Faça parte dele clicando aqui.


O tempo passa e a posição de quarterback perdeu grandes representantes nos últimos tempos, como a aposentadoria de craques como Peyton Manning e Tony Romo e de outros nomes relevantes como Michael Vick e Matt Hasselbeck. Além disso, uma rápida pesquisa aponta que um quarto dos titulares na NFL atualmente foram draftados em 2005 ou antes. Nesta lista constam Tom Brady, Drew Brees, Carson Palmer, Eli Manning, Phillip Rivers, Ben Roethlisberger, Alex Smith e Aaron Rodgers.

Como pode ser visto, os jogadores elencados, com exceção de Smith, compõem boa parte da elite da posição ao longo da última década, com diversos deles tendo casos excelentes ou até inquestionáveis para receberem a jaqueta dourada e o busto no Hall da Fama eventualmente. Dos nomes citados, apenas Smith e Rodgers ainda estão abaixo dos 35 anos e existem análises estatísticas realizadas há alguns anos que mostram que quarterbacks costumam cair de produção aos 37 anos.

Ao analisarmos o arco recente das carreiras do grupo selecionado, percebe-se que a maior parte deles se encontra em declínio, apesar de ainda se tratarem de excelentes jogadores. Rodgers e Brady tiveram temporadas de nível de MVP e Brees chegou ao quinto ano com mais de 5000 jardas. Por outro lado, Rivers mostrou uma queda de rendimento na segunda metade do campeonato mais uma vez, Manning teve dificuldades com passes mais longos e foi um dos responsáveis pela ineficácia do ataque do Giants. Palmer não conseguiu replicar o sucesso de 2015, Big Ben perdeu jogos novamente por conta de lesão e Smith seguiu em seu status no meio de tabela como passador.

Os próprios times não estão cegos para a situação desenhada acima e é chegada a hora destas franquias começarem a estudar os principais prospectos que surgirão nos próximos anos, com o intuito de realizar uma transição suave para seus ciclos seguintes, buscando se manter entre os concorrentes ao título. Dessa forma, analisaremos aqui cada um dos times apontados e qual a probabilidade de buscarem um quarterback nas primeiras rodadas do Draft do fim do mês.

New England Patriots – Tom Brady parece ter consolidado seu posto como o maior jogador de todos os tempos após liderar a virada do Patriots no Super Bowl LI. Contudo, ele chegará para a próxima temporada já com 40 anos, idade raramente alcançada na liga. Isto nos leva ao seu estilo de vida, de exercícios constante e dieta que o ajudam a se manter em preparo físico invejável e acima da média para um atleta de sua faixa etária.

Além disso, há o fato de Brady estar jogando em um nível muito elevado nos últimos campeonatos, o que leva a crer que seu declínio ainda não deve vir pelos próximos anos. Outro fator a ser considerado é que Bill Belichick já mostra a estratégia de selecionar um quarterback no draft na segunda ou terceira rodada a cada dois anos, sempre procurando um novo talento na posição, tendo e seu elenco atualmente Jimmy Garoppolo e Jacoby Brissett, que venceram jogos para o time em 2016.

Probabilidade: 5%

New Orleans Saints – Desde que chegou à New Orleans, Drew Brees não jogou em apenas duas partidas em onze temporadas e não mostra nenhum sinal de declínio em sua produção. Frequentemente posicionado entre os passadores mais prolíficos da liga, chegou à quinta campanha de mais de 5000 jardas em 2016. Entretanto, já está com 38 anos, sendo 16 deles na NFL e uma hora o acúmulo de danos chegará para cobrar a conta em um jogador com porte físico menor em comparação aos colegas de função.

Muito por conta disso, o Saints sempre tenta manter um reserva qualificado o suficiente em seu elenco, como aconteceu com o retorno de Chase Daniel nesta última Free Agency. Contudo, por mais que não se possa esperar que Daniel seja uma solução a longo prazo, sua presença também deve impedir a franquia de procurar algum nome no começo do Draft, algo que não acontece desde que Garrett Grayson foi selecionado na terceira rodada de 2015.

Probabilidade: 15%

Arizona Cardinals – O Cardinals se trata de uma franquia que ainda acredita que está com sua janela para conquistar o Super Bowl aberta após chegar na final da NFC há duas temporadas. No entanto, também vive a possibilidade concreta de que dois de seus maiores líderes ofensivos dos últimos anos se aposentem. Após um 2015 no qual brigou até o fim pelo prêmio de MVP, Carson Palmer cedeu as rédeas do ataque para a explosão de David Johnson como uma estrela. Isto aconteceu tanto pelo talento do corredor quanto por uma queda de produção do quarterback, que regrediu em praticamente todas estatísticas de passe. Toda a situação levou Palmer a considerar a aposentadoria e ele parece não estar disposto a jogar por muito mais tempo, declarando que aceitaria assumir o papel de mentor de um jovem.

Probabilidade: 85%

New York Giants – A temporada de 2016 marcou a primeira vez que o Giants chegou nos playoffs desde 2011. O resultado positivo veio como consequência de um forte investimento defensivo, que mitigou as grandes dificuldades de Eli Manning ao longo do ano. Muito por conta de sua idade já avançada e desempenho abaixo do esperado nas últimas campanhas, 2017 deve ser muito importante para Manning, que está cercado por um dos melhores grupos de recebedores da liga. Assim, parece cauteloso na visão do Giants começar a buscar seu substituto, o que provavelmente deve acontecer neste Draft, uma vez que não existe nenhuma grande opção dentro do elenco.

Probabilidade: 75%

Los Angeles Chargers – Em sua primeira temporada em Los Angeles, o Chargers tentará se livrar dos constantes problemas com lesões que assombraram o time nos últimos anos. Com um elenco forte e uma defesa com elevado potencial, pode se tratar de uma equipe capaz de surpreender se fizer adições pontuais e se integrar bem com o novo técnico Anthony Lynn. Com Phillip Rivers se aproximando do final de sua carreira e mostrando uma tendência recente de cair de rendimento na segunda metade da temporada, Tom Telesco pode procurar injetar sangue novo na sala de quarterbacks da franquia.

Probabilidade: 50%

Pittsburgh Steelers – Uma das narrativas que cercou o Steelers desde sua eliminação para o Patriots na final da AFC foi o anúncio de que Ben Roethlisberger estava pensando em se aposentar. Apesar do quarterback ter declarado durante a semana que jogará em 2017, isto acende o sinal de alerta para a franquia e Kevin Colbert deve monitorar a situação com atenção, uma vez que já ficou claro que Landry Jones não é a solução a longo prazo. No entanto, a intuição diz que um passador só será mirado pelo time nas rodadas intermediárias do próximo recrutamento.

Probabilidade: 40%

Kansas City Chiefs – Alex Smith já se mostrou um quarterback capaz de levar um time para os playoffs e avançar nele. Entretanto, nunca passou a confiança de que seria o responsável por liderar o Chiefs até o título. Com uma defesa forte e um ataque com boas peças, o elenco ao seu redor é um dos melhores da NFL, o que torna a ideia de substituir um passador avesso a riscos e já chegando próximo de sua fase de declínio por um jovem promissor e com um teto superior ao que pode oferecer. Com este cenário presente, rumores têm circulado de que a busca por um substituto para Smith estaria na lista de prioridades da equipe.

Probabilidade: 90%

Green Bay Packers – Completando a lista temos o duas vezes MVP Aaron Rodgers, que apresentou um desempenho inigualável na segunda metade de 2016 e não está envolto por nenhuma discussão sobre algum tipo de declínio. No entanto, o Packers já adotou a medida de selecionar um jovem quarterback na primeira rodada e deixá-lo amadurecer sob a tutela de um veterano de elite com o próprio Rodgers aprendendo com Brett Favre. Assim, por mais surpreendente que fosse a equipe draftar um passador cedo, não seria chocante levando em conta o histórico do time em questão.

Probabilidade: 20%

Com o cenário já mais detalhado, é possível perceber Giants, Cardinals e Chiefs como principais candidatos a selecionarem um quarterback nas primeiras rodadas entre os times com opções já bem estabelecidas. Eles se juntam a Jets, 49ers, Browns, Bills e Texans como as franquias com maiores chances de investirem na posição no próximo Draft. Dessa forma, o evento pode acabar tendo uma grande corrida pelos melhores passadores disponíveis, com o futuro de diversas equipes em jogo e marcar o início de um novo ciclo de substituição das grandes estrelas em fase final de carreira.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.