terça-feira, 9 de Janeiro de 2018

Compartilhe

Em abril do ano passado, Aaron Hernandez pôs fim a sua vida enquanto estava preso. Acusado de assassinar uma pessoa, Hernandez teve sua carreira na NFL interrompida e nunca mais jogou um snap na liga. Após sua morte, foi confirmado que o jogador possuía um estágio avançado de Encefalopatia Traumática Crônica, também conhecido como ETC ou CTE (sigla em inglês). De acordo com os médicos que fizeram a autópsia do jogador, o caso dele foi o mais grave já registrado por uma pessoa de 27 anos.

Não estamos falando de um jogador que entrou na liga em outros tempos, quando os capacetes não possuíam proteção adequada e as regras da NFL evitavam choques contra a cabeça. Estamos falando de um jogador que jogou até 2012, muito pouco tempo atrás.

Em 2017, vimos a NFL ser rigorosa com alguns jogadores diante do protocolo de concussão, mas surpreendentemente leve com outros jogadores. Russell Wilson, no Thursday Night Football contra o Arizona Cardinals, sofreu uma concussão e nem sequer foi avaliado na sideline. O quarterback simplesmente disse estar bem e voltou a campo um snap depois, como se nada tivesse acontecido. O mesmo valeu para Cam Newton, que foi avaliado na sideline e rapidamente voltou.

Em outros casos, no entanto…

O vídeo acima mostra o WR Bennie Fowler, do Denver Broncos, tentando sair de campo após uma pancada. Depois de cair duas vezes tentando andar, Fowler foi atendido, passou pelo protocolo de concussão e ficou fora do restante da partida. Agora olhem o que aconteceu com Newton ao tentar sair de campo.

Apesar dos médicos tratarem concussões como “flocos de neve” devido ao fato de cada uma ser única, podemos traçar uma semelhança entre as duas cenas. Ambos os jogadores ficaram desnorteados após o choque e caíram ao tentar andar — não entrarei no mérito da história de que o visor do capacete do Cam Newton bateu no seu olho, forçando-o a cair porque na minha visão é uma história completamente falsa — mas apenas Fowler foi tirado do restante do jogo.

Independente da situação ou do jogador, a NFL não pode mais tolerar jogadores que sofreram concussão ou aparentam claramente estar com uma entrarem em campo antes de serem liberados por um médico independente. Essa negligência da liga está evidenciada na multa dada para o Seahawks no caso Wilson: apenas 100 mil dólares. Em outras palavras, um troco de bala para uma franquia bilionária.

Impedir o Cam Newton de voltar naquela situação da partida teria tirado a emoção dos momentos finais do jogo? Possivelmente. Ainda assim, a NFL não pode colocar a saúde de seus jogadores em risco em detrimento de minutos a mais de emoção em uma partida. Expor os jogadores a esse risco pode e deve trazer sérios problemas para a liga fora de campo, manchando sua imagem e reputação. Ou a multa para negligências no protocolo passam a ser mais pesadas, seja em dinheiro, suspensão do jogador ou até perda de escolhas no Draft, ou casos como do Hernandez poderão ser cada vez mais frequentes.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

2 Comentários

  1. Rafael Guilherme da Silva on

    Talvez esteja descrita na regra sobre o protocolo de concussão: “fica determinado q, se o jogador cair 2 vezes no chão ao tentar voltar a campo após a jogada, deve ser aplicado o protocolo, e retirado imediatamente do jogo. Caso ele caia “apenas” uma vez, não. Rsrsrsrs. Brincadeiras à parte, a liga parece estar tratando o assunto como se fosse uma mera formalidade, quando conveniente for.. na hora do pega-pra-capá, já vimos q a história é outra. E com isso, sejamos honestos: não pode haver 2 ou mais pesos e medidas. Ou tem protocolo ou não tem, simples assim. Se for um qb, wr, rb, seja lá quem for.. o cara q é decisivo ou nao.. sei q a liga parece querer aplicar tão certinho, ao pé da letra regras com a arbitragem “estragando” o brinquedo q a nfl vende, só pra ser correta, e olha q isso não envolve nada com a saúde dos atletas envolvidos. Porque raios não se preocupar com q os caras possam vir a sofrer, caso não se respeite o protocolo. É mais fácil jogar pra baixo do tapete agora, e depois abrir os caras depois de mortos pra dizer q todos tiveram problemas de saúde.. e os responsáveis já não precisarão mais se preocupar a respeito.. acho q todo jogador quer estar em campo, e acho q nem a nflpa deve ser capaz de algo pra mudar isso. Mas algo precisa ser mudado.. e antes q mais gente se arrebente…

  2. Gustavo Zaccaria Schaun on

    Acho que citar Fundo de Quintal aqui pode cair bem, afinal de contas “O show tem que continuar”…

Leave A Reply