quarta-feira, 17 de Maio de 2017

Compartilhe

manning-harrison-duplas-historias-colts

Marvin Daniel Harrison jogou a nível universitário por Syracuse, onde foi titular por três temporadas e deixou o programa sendo dono de vários recordes de recepção, em parte frutos da parceria com o QB Donovan McNabb durante seu último ano na NCAA. No Draft de 1996, considerado o melhor da classe no que diz respeito à posição de WR, Harrison foi o mais prolífico entre todos os selecionados. Sorte do Colts que, em uma troca, enviou o então QB titular Jeff George para o Atlanta Falcons e selecionou o jogador com a 19ª escolha geral daquele ano.

LEIA MAIS: Duplas históricas – Joe Montana e Jerry Rice

Peyton Willians Manning é o único jogador que por cinco vezes foi eleito o MVP da temporada regular. Jogou por Tennessee a nível universitário e possui, entre outros, os recordes de vitórias, jardas e TDs do tradicional programa da SEC. Apesar de dúvidas quanto a sua mobilidade fora do pocket e sua potência no braço, o Indianapolis Colts fez dele a primeira escolha geral do draft de 1998. O casamento entre Manning e Colts durou até o fim da temporada de 2011, quando dúvidas sobre a saúde do atleta combinadas com a possibilidade de escolha de Andrew Luck – melhor atleta univeristário desde o próprio Manning – levaram à dispensa do maior jogador da história da franquia em março de 2012.

CONTEXTO

Marvin Harrison foi um recebedor regular dentro da NFL em 1996 e 1997, recebendo passes do então veterano QB Jim Harbaugh. Nessas duas temporadas somou os seguintes números na liga:

1996 1997
Recepções 64 73
Jardas Recebidas 836 866
Média por recepção 13,1 11,9
TDs 8 6

Porém, tudo mudou em 1998. O dono do time, Jim Irsay, prometeu que aquele ano seria o início de uma nova era na história da franquia. Ele contratou Bill Polian como o novo presidente, que por sua vez contratou Jim Mora para ser o novo treinador. A escolha de Peyton Manning para guiar a franquia de volta aos tempos vencedores de Johnny Unitas foi fator determinante para que os números de Marvin Harrison inflacionassem, como pode ser visto na tabela abaixo, com os números até a temporada de 2008 (sua última enquanto saudável pelo time):

Ano Recepções Jardas Recebidas Média por recepção TDs
1998 59 776 13,2 7
1999 115 1.663 14,5 12
2000 102 1.413 13,9 14
2001 109 1.524 14,0 15
2002 143 1.722 12,0 11
2003 94 1.272 12,5 10
2004 86 1.113 12,9 15
2005 82 1.146 14,0 12
2006 95 1.366 14,4 12
2007 20 247 12,4 1
2008 60 636 10,6 5
TOTAL 965 12.878 13,3 114

 A DUPLA

Os números estratosféricos que a dinâmica e explosiva combinação produziu talvez não sejam suficientes para demonstrar a importância que a dupla tem para o time de Indianapolis. Eram tempos complicados para o time, que não engrenou desde que foi realocado de Baltimore na madrugada de 29 de março de 1984. Pode-se dizer que eles fizeram história e foram os grandes responsáveis por trazer de volta à franquia o ânimo de torcer e ter uma equipe vencedora que os habitantes da cidade pudessem se orgulhar.

LEIA TAMBÉM: Duplas históricas – Tom Brady e Bill Belichick

Ambos pareciam predestinados a fazer história juntos. Quando Peyton Manning lançou seu primeiro passe na pré-temporada, achou Harrison para um TD de 46 jardas contra o Seattle Seahawks ainda no antigo RCA Dome em Indianapolis. No primeiro jogo válido pela temporada regular, contra o Miami Dolphins liderado por Dan Marino, veio a primeira derrota por 24 a 15, mas também aquilo que se repetiria por mais 111 vezes durante os anos que seguiram: “Manning para Harrison, Touchdown”. Com seis segundos no relógio e o placar de 24 a 6 a derrota era inevitável, mas o passe de seis jardas na End Zone significou o início da grande trajetória percorrida por ambos.

O que fez da combinação tão especial é que, mesmo sendo a mais prolífica da rica história da NFL, tal status alcançado durante as onze temporadas em que atuaram juntos ganha mais valor quando analisamos o físico dos jogadores: Marvin Harrison manteve durante toda a carreira medidas próximas a 1,85m e 84 kg, apenas regulares para um WR de elite na NFL, não o ajudando a ser um recebedor que se impõe fisicamente contra a marcação adversária. Peyton Manning por sua vez, sempre teve problemas com mobilidade, já que nunca foi reconhecido como um atleta móvel. Porém a dupla pareceu ter desenvolvido seu próprio meio de se destacar dentro da liga e escrever seus nomes nos livros de história. Se não foram abençoados com o físico para se impor, recorreram a uma velha combinação já bastante conhecida de outrora: inteligência e trabalho duro.

manning-harrison-duplas-historias-colts2Ambos os jogadores são conhecidos em toda a liga por serem intensos em seus treinamentos e perfeccionistas a ponto de acharem pontos a serem melhorados onde ninguém mais vê. Se o jogo é reflexo do que é feito no treinamento, a dupla levava muito a sério os treinos preparatórios para as partidas. Manning, quando perguntado sobre Harrison em janeiro de 2014, declarou: “Nunca, nunca, nunca perdeu um treino sequer. Ele encarava os treinos como se fossem jogos”.

A dupla se assemelha muito neste aspecto do jogo, a ponto de parecerem imagens refletidas. Ambos treinavam juntos até a exaustão durante a intertemporada nas famosas atividades organizadas por Manning e seus recebedores. Ambos são profundos apaixonados pelo jogo, tanto que beiraram a perfeição naquilo que fizeram e tal busca pela perfeição foi recompensada com quase todos os recordes que uma dupla QB-WR pode alcançar.

No primeiro jogo juntos, contra o Miami Dolphins, a primeira tentativa de Manning para Harrison foi um passe incompleto numa terceira descida para 6 jardas, onde um erro na comunicação impediu que o recebedor, livre de marcação, convertesse a importante jogada dentro da partida. Após o apito final, Bill Polian chamou os dois para uma conversa em particular e declarou: “Vocês tiveram uma situação crítica na partida. Teríamos vencido o jogo se vocês estivessem na mesma página, mas o passe foi para um lado e o recebedor correu para o outro. Não quero que se abalem por isso, mas quando estiverem juntos vão trabalhar rota por rota, jogada por jogada. Sei que com a dedicação de ambos algo parecido nunca vai acontecer novamente”. Ano após ano, temporada após temporada, a dupla foi amassando recordes, que incluem as 143 recepções de Harrison em 2002 e as oito temporadas seguidas com mais de 1,000 jardas recebidas, datadas de 1999 até 2006.

O ataque comandado por Peyton Manning e Marvin Harrison, talvez tenha sido o grande responsável pelos 8 títulos de divisão, culminando no Super Bowl XLI, conquistado em fevereiro de 2007. O casamento de Harrison com o Colts terminou de forma melancólica em 2009, quando aos 36 anos de idade o atleta queria garantias maiores de salário para jogar, o que foi negado pelo então dono do time. Ele foi então dispensado e, após ficar fora da liga por toda a temporada seguinte, se aposentou silenciosamente em 2010, marcando o fim de uma das mais prolíficas carreiras da história do esporte.

PERSPECTIVA

Harrison será imortalizado no Hall da Fama nesta temporada e em 2011 foi induzido ao “Ring of Honor” do Indianapolis Colts, mas por algum motivo, talvez a conturbada saída em 2009, a camisa #88 ainda não foi aposentada oficialmente pela franquia. Mesmo assim pode-se ver o respeito dos atletas atuais, já que desde então ninguém vestiu tal número. Com a camisa #18 do Colts já aposentada, é questão de tempo para que o atleta entre para o “Ring of Honor” e é chover no molhado afirmar que o único 5 vezes MVP da NFL entrará para o Hall da Fama do esporte logo no primeiro ano de elegibilidade (cinco anos após sua aposentadoria).

RECORDES RELEVANTES DA DUPLA

  • 953 recepções
  • 112 TDs
  • 12.756 jardas aéreas
  • 143 passes completos em 2002

Mais recepções nos seguintes períodos:

  • 252 em dois anos
  • 354 em três anos
  • 469 em quatro anos
  • 563 em cinco anos
  • 731 em sete anos
  • 826 em oito anos
  • 885 em nove anos
  • 958 em dez anos
  • 1.022 em onze anos

Harrison, com grande ajuda de Manning, se tornou o WR mais rápido a alcançar:

  • 700 recepções em 114 jogos
  • 800 recepções em 131 jogos
  • 900 recepções em 149 jogos
  • 1.000 recepções em 167 jogos
  • 1.100 recepções em 190 jogos
  • Temporadas consecutivas com 1.400 ou mais jardas recebidas (4)
  • Temporadas consecutivas com 100 ou mais recepções (4)
Compartilhe

Comments are closed.