segunda-feira, 16 de abril de 2018

Compartilhe

Analisando as movimentações da offseason, pode-se ter a ideia de quais times terão uma complicada temporada. Vale ressaltar que, ter um ano difícil, não significa que o time terá um desempenho ruim (na maioria das vezes isso acontece, mas não é regra). Nessa análise leva-se em conta vários fatores, calendário e elenco, serão os aspectos fundamentais dessa avaliação. Pois bem, os nomes são os seguintes: Matt Patricia (Lions), Pat Shurmur (Giants), Matt Nagy (Bears), Steve Wilks (Cardinals), Mike Vrabel (Titans), Frank Reich (Colts) e Jon Gruden (Raiders).

Mike Vrabel – Tennessee Titans

Escrevi um texto sobre isso, tenho muitas expectativas sobre ele. Seu último trabalho foi como coordenador defensivo em Houston, onde o desempenho não foi bom, entretanto, o time lidou com lesões importantes (principalmente na defesa). Vale lembrar, que Mike trabalhou em Ohio State, umas das melhores defesas dos últimos anos do College, todavia, existem dificuldades que Vrabel irá enfrentar. Os adversários serão complicados, Tennessee enfrentará o Jaguars e Texans duas vezes ao ano, além de receberem Patriots e Eagles em Nashville. Existem também, espaços a serem preenchidos no elenco, EDGE Rusher é uma delas. Acredito que essa solução será dada no dia 26 de abril.

Frank Reich – Indianapolis Colts

Na opinião de muitos (não me incluo), a tarefa mais complicada dos novos head coaches. Vários questionamentos circulam a franquia, a maioria envolvendo Andrew Luck e sua saúde física. O plantel do time está longe de ser bom, muitos buracos que precisam ser corrigidos via Draft. Calendário também não ajuda, o Colts irá enfrentar Philadelphia e New England em suas respectivas casas, missões muito difíceis (para não dizer impossíveis). Contudo, não podemos avaliar este trabalho em curto prazo, temos que dar tempo a Reich, ele não tem um bom time na mão, os resultados demorarão para se mostrarem.

Jon Gruden – Oakland Raiders

Voltamos a 1998 e não sabemos. Oakland aposta literalmente no: ”panela velha faz comida boa”, contrataram Gruden esperando o mesmo técnico de vinte anos atrás, não sei como ele está tecnicamente, mas garanto que não é o mesmo. As decisões da franquia são no mínimo questionáveis, porém há um fator que não pode ser desconsiderado. Jon ganhou um SuperBowl, com uma das melhores defesas da história da liga, que inventou um conceito defensivo muito usado na NFL, a Tampa 2. Há lacunas na unidade defensiva a serem preenchidas. O calendário contém oponentes duros, a franquia visitará o 49ers, além de receber Steelers e Rams no Coliseum. A missão é deveras complicada, mas ele tem experiência e conhecimento vasto do jogo, o que pode ajudar ele e o time da Califórnia.

Pat Shurmur – New York Giants

A franquia está em uma “mini rebuild”, contratar Shurmur foi uma etapa deste processo. Ele fez um ótimo trabalho em Minesota como coordenador ofensivo, e pretende repetir isso em Nova York. Porém, há certos obstáculos que podem impedir um bom desempenho. Eli Manning está velho e precisa de um substituto (esqueçam o Davis Webb), melhoras precisam ser feitas no elenco, linha ofensiva é uma necessidade a ser consertada. O calendário também não ajuda, Panthers, Falcons, Eagles (duas vezes no ano), Jaguars, Saints, esses são alguns oponentes do Giants. Fatores que dificultarão o trabalho de Pat.

Steve Wilks – Arizona Cardinals

O mais imprevisível de todos. Sério, não consigo prever muito sobre o Cardinals. Johnson e Fitzgerald estarão de volta, mas Carson Palmer não está mais lá. Necessidades existem, Arizona tem sete escolhas nesse Draft, vão ser decisões complicadas. Não espero que o time cheguea pós-temporada, mas não acredito em 1-16. O que nos resta é esperar, pois há uma interrogação enorme envolvendo a franquia.

Matt Nagy – Chicago Bears

O head coach que mais espero ver. Ele fez Alex Smith fazer o que pensávamos ser impossível para o QB. Nagy fez Kareem Hunt ser o líder de jardas corridas na liga, ele melhorou o ataque de Kansas City. Chicago adicionou ótimas peças ao elenco, Allen Robinson e Taylor Gabriel (WR´s), Trey Burton (TE). Contam também com bons jogadores na defesa, Kyle Fuller (CB), Danny Trevathan (ILB). Agora, a divisão é difícil, enfrentar Vikings e Packers duas vezes ao ano é complicado. Mas como disse em texto anterior, acredito que a NFC North mandará três times aos playoffs, Bears pode ser um dos três.

Matt Patricia – Detroit Lions

Chegamos ao que penso ser o mais complicado. Patricia terá vários desafios. Estabelecer o jogo terrestre, ajudar Zig Ansah a melhorar (ainda mais) seu desempenho, entre outros. A linha ofensiva é solida, um grande começo, já que ter uma boa trincheira é essencial para se dar bem na NFL. O maior problema que circula Nagy, faz ronda sobre Matt, a NFC North. Confrontar Rodgers duas vezes é longe de ser fácil, vale lembrar que, Detroit enfrentará New England, Rams e San Francisco na próxima temporada.

No fim, acredito que Patricia terá a bomba nas maõs, e que Wilks será a maior interrogação de 2018. Não podemos depositar todas as expectativas, temos que dar tempo, para que os técnicos acima, mostrem do que são capazes. Após esse período, saberemos quem foi a melhor contratação, e futuramente caso eu esteja errado sobre algum, podem me xingar a vontade.

Compartilhe

Leave A Reply