sexta-feira, 19 de Maio de 2017

Compartilhe

Na próxima semana, o Green Bay Packers inicia suas atividades de offseason nas quais os calouros finalmente terão a oportunidade de se encontrar com os veteranos. Nesses treinos iniciais, o torcedor da equipe pode ter certeza que haverá uma grande competição no setor de running backs, posição que não agradou em nada em 2016.

No Draft, o Packers selecionou três atletas para a posição (Jamaal Williams, Aaron Jones e Devante Mays), além de assinar com outros dois nomes que vieram do futebol universitário mas não foram recrutados (Kalif Phillips e William Stanback). Todos eles terão a oportunidade de impressionar o técnico Mike McCarthy que, apesar de afirmar minutos após o término da participação de Green Bay no recrutamento que Ty Montgomery é o dono da posição, sabe que ainda há indefinição no setor.

As dispensas de Christine Michael e Don Jackson demonstram o quanto a franquia estava descontente com a performance do setor, abrindo uma janela para que os já citados novatos ganhem um tempo significativo de jogo. Eliot Wolf, executivo do Packers, falou sobre o assunto: “Nós trouxemos esses jogadores para aumentar a disputa da posição. Nós acreditamos que essa briga faz bem a todo o elenco e esperamos que os rapazes subam seu nível de jogo.” Quando questionado se a quantidade de RBs selecionados foi uma tentativa do time dar ao menos um tiro certeiro para o futuro na posição, Wolf se posicionou da seguinte forma: Nós temos plena confiança que todos os jogadores escolhidos para a posição podem ajudar bastante. Não temos essa mentalidade, de selecionar jogadores de uma só posição de forma abundante para que apenas um dos caras dê certo. Mas isso não impede que um deles possa se destacar a ponto de se tornar um RB de grande valor para a equipe no futuro.”

Vale lembrar que não é a primeira vez que o Packers adota a política de buscar múltiplas opções para uma determinada posição via Draft. Isso foi feito, por exemplo, em 2015, quando a organização foi buscar os serviços de Damarious Randall e Quinten Rollins para reforçar os cornerbacks, e posteriormente, juntou ao plantel o UFA LaDarius Gunter. Sobre o procedimento, McCarthy disse que essa abordagem tem dois prismas: “É um bom desafio para todos nós. Por um lado, há muitos jogadores inexperientes, o próprio Montgomery fez a transição de WR para RB ano passado. Por outro, a briga é praticamente igual, pois temos quatro jogadores chegando agora e todos eles estão em igualdade de condições. Isso motiva o vestiário e pode ser benéfico.”

Ty Montgomery, o único corredor do atual elenco que possui experiência na NFL, terá a as atividades de offseason e o training camp para justificar a confiança da comissão técnica. Após um começo tímido desde que foi adaptado para corredor, Montgomery viu suas carregadas e produção subirem na reta final da temporada passada. Em seus primeiros seis jogos como RB, liderou o Packers nas corridas em apenas duas oportunidades. Nos últimos cinco, porém, foi o jogador que correu mais vezes com a bola em quatro oportunidades. No total, o atleta teve 77 corridas para 457 jardas e 3 TDs.

Sobre os demais atletas que disputam a posição, Jamaal Williams vem de BYU credenciado pelo fato de ser o running back mais prolífico da história da universidade e é um típico corredor de força, porém não possui tanto vigor quanto Eddie Lacy. Em entrevista, o jogador se disse grato pela chance que tem no Packers: “Estou muito feliz por Green Bay ter me selecionado. Sei que não há nada definido nesta posição aqui no Packers e vou dar o meu melhor para ser titular. Mesmo assim, acredito que tanto eu quanto Ty Montgomery podemos jogar juntos nesta equipe.”

RB Aaron Jones

Aaron Jones também é o líder histórico em jardas pelo time da universidade por qual atuou. O produto de UTEP tem um estilo de jogo diferente do de Williams, apesar de possuir um bom físico para a posição. Jones gosta mais de fugir dos tackles e pode formar uma trinca bastante heterogênea com Williams e Montgomery. Devante Mays, escolha de sétima rodada dos “Cabeças de Queijo”, passou por uma verdadeira odisseia até chegar ao time de Wisconsin, atuando por três faculdades diferentes. Na sua última parada, correu para 1.225 jardas terrestres nos últimos dois anos jogando por Utah State.

Kalif Phillips e William Stanback, que chegaram ao Packers após o recrutamento, tem algumas particularidades. Stanback teve problemas com drogas no início de sua trajetória no College Football e chegou a ser expulso do programa de Central Florida. Acabou se transferindo para Virginia Union, da segunda divisão, e lá correu para 1.299 jardas e 15 TDs em 2016. Phillips, por sua vez, foi revelado pelo programa de UNC-Charlotte, que começou suas atividades apenas em 2013. Em 2016, correu para 907 jardas.

Dito isto, todos os RBs do Packers tem a grande chance de suas carreiras batendo às suas portas. A disputa é completamente imprevisível, uma vez que o atleta mais experiente do setor atua como RB há menos de um ano. A sorte está lançada para os corredores da tradicional franquia, que necessita encorpar o jogo terrestre para diversificar seu ataque e auxiliar Aaron Rodgers.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.