Dinastias – San Francisco 49ers (década 1980)

14 de junho de 2017
Tags: 49ers, a liga e a historia, dinastias, marcos filho,

rice e montana

Começamos a série “Dinastias” com os grandes times do Green Bay Packers e do Pittsburgh Steelers das décadas de 1960 e 1970, respectivamente. Agora vamos falar sobre a franquia que dominou os anos de 1980: o San Francisco 49ers. Nessa época, o mundo da NFL conheceu o que muitos consideram a maior dupla QB-WR da história: Joe Montana e Jerry Rice.

LEIA MAIS: Dinastias – Pittsburgh Steelers (década de 1970)

COMO FORAM AS TEMPORADAS?

O San Francisco 49ers foi fundado em 1946 por Tony Morabito e teve algumas boas temporadas no decorrer dos anos. Em 1979, o proprietário Edward DeBartolo Jr. contratou Bill Walsh para ser seu técnico, um nome com experiência na NFL como coordenador ofensivo no Bengals (1968-1975) que vinha da Universidade de Stanford. Ele foi trazido para fazer boas escolhas no Draft com o intuito de reconstruir uma franquia que há muito tempo não conseguia nada na Liga.

LEIA TAMBÉM: Duelo – 49ers 1989 x 49ers 1994

Logo em seu primeiro ano como técnico principal, Walsh selecionou Joe Montana, da Universidade de Notre Dame, que seria a cara dessa franquia por muitos anos. Ele também foi atrás de Dwight Clark, outro jogador que seria importante para essa reconstrução. A temporada de 1979 foi bem abaixo do esperado para o 49ers, com uma campanha de 2-14 e Montana no banco a temporada inteira, ainda ganhando experiência.

Em 1980, a equipe começou muito bem com três vitórias seguidas, mas não conseguiu manter o fôlego e terminou a temporada com uma campanha de 6-10. Walsh fez um rodízio entre os QBs Steve DeBerg e Joe Montana, mostrando que a briga estava aberta para a posição de titular. Mesmo com uma temporada sem ir para os playoffs, os fãs do 49ers se mostraram mais entusiasmados com uma virada espetacular – uma das marcas de Montana na NFL – contra o Saints na semana 14. Após ir para o vestiário perdendo por 35 a 07, a equipe reverteu o placar de forma incrível para 38 a 35, com grande atuação de seu QB. Depois dessa partida, não existia mais dúvida que Joe Montana deveria ser o titular da posição mais importante do futebol americano.

Montana

Com o ataque evoluindo bem, Walsh voltou suas atenções para o setor defensivo. Ele foi muito arrojado e trocou toda a secundária por jogadores selecionados no Draft e trazidos na Free Agency. Entre os veteranos, destaque para o LB Jack “Hacksaw” Reynolds e o DE Fred Dean, excepcional na pressão aos QBs. Toda essa coragem foi recompensada e o 49ers fez uma campanha 13-3 na temporada regular, indo como um dos favoritos aos playoffs. Nos jogos decisivos, uma vitória tranquila contra o New York Giants por 38 a 24 e depois um jogo histórico contra o Dallas Cowboys, passando pelo time do Texas com vitória por 28 a 27. Foi nessa partida que aconteceu uma das jogadas mais espetaculares de todos os tempos, a “The Catch”: passe de Joe Montana para Dwight Clark restando poucos segundos para o fim do confronto. Mais tarde, no Super Bowl XVI, em mais um duelo disputado, o San Francisco 49ers se sagrou campeão pela primeira vez, depois de vencer o Cincinnati Bengals por 26 a 21 com Montana sendo eleito o MVP da decisão. Logo em seu primeiro ano como titular em todos os jogos, ele mostrou o quanto era bom nos momentos mais decisivos, sempre com boas jogadas e lindos passes nas chamadas mais cruciais das partidas.

Em 1982, a temporada foi mais curta devido a um impasse entre a NFL e os jogadores e o 49ers não se mostrou tão bem como no ano anterior. Terminou com uma campanha 3-6 e não conseguiu se classificar para os playoffs. Apesar da campanha ruim, é válido ressaltar que, em 1982, Montana bateu recorde com uma sequência de cinco jogos consecutivos com pelo menos 300 jardas aéreas.

Na temporada de 1983, com uma campanha de 10-6, a equipe ganhou pela segunda vez em três anos a NFC Oeste e foi novamente à pós-temporada, desta vez para jogar contra o Detroit Lions. A vitória veio bem apertada (24 a 23) e novamente a franquia de San Francisco estava na final de conferência. Naquela ocasião, enfrentou o campeão da temporada de 1982, o Washington Redskins, e acabou sendo derrotado por 24 a 21. É bom ressaltar também que o time californiano perdia por 21 a 0 até o fim do terceiro quarto, mesmo assim foi buscar o empate sob o comando de Joe Montana. No entanto, nos minutos finais de partida, o Redskins conseguiu desempatar o confronto e encerrou o sonho do 49ers de retornar ao Super Bowl.

joe montana bill walsh

Em 1984, uma temporada inesquecível para o 49ers com uma campanha 15-1, sendo a única derrota para o Pittsburgh Steelers. Esta seria, por muitos anos, a campanha mais vitoriosa de uma franquia na história da NFL – apenas em 2007 ela foi superada pelo New England Patriots. Após os 15 triunfos, o time de Bill Walsh chegou aos playoffs como grande favorito a vencer a liga e não decepcionou: no primeiro jogo, venceu o New York Giants por 21 a 10. Logo depois, massacrou o Chicago Bears por 23 a 0 na final de Conferência. No Super Bowl XIX, enfrentou o Miami Dolphins do MVP Dan Marino e venceu com facilidade pelo placar de 38 a 16. A campanha vitoriosa de 1984 marcou não apenas uma das maiores épocas do 49ers, mas também a concretização do sistema defensivo implantado por Bill Walsh.

Na temporada de 1985, o 49ers não foi tão dominante, mas mesmo assim foi para a pós-temporada com uma campanha 10-6. Porém, logo na primeira rodada dos playoffs foi eliminado pelo Giants após uma derrota de 17 a 3. Se coletivamente a temporada não foi das melhores para o San Francisco 49ers, individualmente ela teve seu lado positivo. Nela, o RB Roger Craig tornou-se o primeiro jogador da história a conseguir correr e receber passes para mais de 1.000 jardas. Além disso, um tal de Jerry Rice fazia sua temporada de estreia na NFL, o futuro deste grande jogador todos já sabem.

Em 1987, outra temporada impressionante do 49ers, ganhando a sua divisão com uma campanha 13-2. A equipe vinha muito bem tanto na defesa como no ataque, mostrando que era um dos grandes favoritos a chegar mais uma vez ao Super Bowl. Entretanto, logo no primeiro jogo da pós-temporada contra o Minnesota Vikings, o time perdeu por 36 a 24 em um dos piores jogos da carreira de Joe Montana. Naquele duelo, ele acabou sendo substituído por Steve Young, que entrou muito bem e mostrou e causou dúvidas sobre quem seria o titular da franquia no ano seguinte.

jerry-rice-dinastias-liga-dos32-49ers

Apesar da controvérsia sobre a titularidade na posição de QB, Walsh começou a maioria dos jogos com Joe Montana e o time terminou a temporada regular com 10-6. Nos playoffs, pôde se vingar do Minnesota Vikings e conseguiu uma vitória fácil por 34 a 9. Contra o Chicago Bears na final da Conferência, um novo triunfo tranquilo, agora por 28 a 3. No Super Bowl XXIII contra o Cincinnati Bengals, vitória por 20 a 16 e algumas coisas começavam a mudar naquela época: positivamente, aquele Super Bowl não teve Joe Montava como MVP, mas sim Jerry Rice, que viria a ser um dos maiores nomes do esporte. Negativamente, após o título, o técnico Bill Walsh se aposentou, deixando o cargo para o coordenador defensivo George Seifert.

No último ano da década, a temporada do 49ers foi inesquecível: Joe Montana passou para 3.521 jardas aéreas, 26 TDs, apenas 8 INTs e acabou premiado o MVP de 1989. Jerry Rice, por sua vez, também brilhou com 1.490 jardas recebidas e 17 TDs ao longo do ano. A equipe acabou a temporada regular com uma campanha de 14-2, ficando marcado como um dos times mais dominantes do 49ers na década. No primeiro jogo dos playoffs, venceu facilmente o Minnesota Vikings por 41 a 13, em seguida massacrou o Los Angeles Rams por 30 a 3 para, mais tarde, golear o Denver Broncos no Super Bowl XXIV por 55 a 10. Até hoje, esta foi a única equipe da história da NFL que marcou mais de 100 pontos em três jogos de pós-temporadas seguidos, um ano dos sonhos de uma década maravilhosa.

JOGOS MARCANTES

San Francisco 49ers 28 x 27 Dallas Cowboys (Final da Conferência Nacional de 1982)

Esse é o jogo que mais marcou essa lendária equipe. O Cowboys era uma das grandes equipes e foi quando o 49ers mostrou que ia fazer barulho na década. Faltando menos de 5 minutos, o time de San Francisco perdia por 27 a 21 e a bola estava posicionada na linha de 11 jardas do campo de defesa. Em uma campanha espetacular com a liderança de Joe Montana, o WR Dwight Clark anotou um TD com uma recepção espetacular faltando apenas 27 segundos para a partida terminar. Essa recepção foi tão marcante que ficou conhecida como “The Catch” e levou o 49ers ao seu primeiro Super Bowl.

San Francisco 49ers 26 x 21 Cincinnati Bengals (Super Bowl XVI – 1982)

Esta foi a partida para confirmar que esse seria um time histórico. O 49ers começou muito bem, mas o grande problema foi o excelente jogo que a defesa do Bengals fazia. O time de Cincinnati começou a jogar melhor e foi encostando no placar. Entretanto, com as boas campanhas lideradas por Joe Montana e o K Ray Wersching acertando todos os FGs, a vitória veio e a franquia de San Francisco venceu o primeiro Super Bowl na história, com Montana sendo o MVP da partida.

San Francisco 49ers 20 x 16 Cincinnati Bengals (Super Bowl XXIII – 1989)

Novamente contra o forte Bengals em um jogo bem equilibrado. O problema aos adversários do 49ers na época era que a dupla Montana-Rice brilhava muito, até quando não estavam tão bem, apareciam no momento decisivo. Montana terminou o jogo com 357 jardas e 2 TDs, enquanto Rice com 11 recepções para 215 jardas e 1 TD, que lhe renderam o prêmio de MVP do grande jogo.

San Francisco 49ers 55 x 10 Denver Broncos (Super Bowl XXIV – 1990)

Este confronto marcou a última aparição de Joe Montava em Super Bowls. Foi uma verdadeira surra, no que seria a maior diferença de pontos em um Super Bowl na história da NFL. Partida exuberante de todos os craques do time, um jogo perfeito. Montana terminou com 297 jardas e 5 TDs, enquanto Jerry Rice recebeu 7 bolas para 148 jardas e 3 TDs.

DESTAQUES DA DINASTIA

Joe Montana (1979-1992)

Joe Montana

Muitos o consideram o maior QB de todos os tempos pelo que jogou e pelo que conquistou. Foi selecionado na terceira rodada (82ª escolha) do Draft de 1979 e escolhido oito vezes para o Pro Bowl. Foi selecionado para o All-Pro três vezes (1987, 1989 e 1990), venceu o Super Bowl quatro vezes (XVI, XIX, XXIII e XIV) e foi MVP em três destes, ainda foi MVP da temporada regular duas vezes (1989 e 1990). Atuou em 192 partidas, lançou para 40.551 jardas, 273 TDs e 139 INTs. O que mais impressiona em Montana são as suas atuações em partidas decisivas: em Super Bowls são quatro aparições, que totalizam 11 TDs e nenhuma INT lançada. Teve sua camisa (#16) aposentada pelo San Francisco 49ers e entrou para o Hall da Fama em 2000.

Jerry Rice (1985-2000)

jerry rice

É considerado não só o melhor WR de todos os tempos, como também o maior jogador que já passou pela NFL. Foi selecionado na primeira rodada (16ª escolha) do Draft de 1985 e escolhido para o Pro Bowl 13 vezes. Nomeado 11 vezes para o All-Pro Team, foi campeão do Super Bowl três vezes (XXIII, XXIV e XXIX), MVP do Super Bowl XXIII e duas vezes eleito o “Offensive Player of the Year”. Na carreira, jogou 303 partidas, com 1.549 recepções, 22.895 jardas recebidas e 208 TDs totais – todas as marcas recordes absolutos. Teve sua camisa (#80) aposentada pelo San Francisco 49ers e entrou para o Hall da Fama em 2010.

Ronnie Lott (1981-1990)

San Francisco 49ers Ronnie Lott

Um dos pilares da defesa, foi selecionado na primeira rodada (8ª escolha) e escolhido para o Pro Bowl 10 vezes. Foi nomeado para o All-Pro oito vezes e também foi campeão do Super Bowl quatro vezes (XVI, XIX, XXIII e XXIV). Na carreira, jogou 192 partidas, com 63 INTs, 5 TDs, 16 Fumbles forçados e 8,5 sacks. Teve sua camisa (#42) aposentada pelo San Francisco 49ers e foi introduzido ao Hall da Fama em 2000.

Roger Craig (1983-1990)

Roger-Craig

Um jogador muito importante para estabelecer o jogo corrido e tirar a pressão em cima do QB. Sempre foi peça chave nessa equipe, tanto por terra como pelo ar. Foi selecionado na segunda rodada (49ª escolha) e chamado para o Pro Bowl quatro vezes. Esteve no All-Pro Team uma vez (1988) e foi campeão três vezes do Super Bowl (XIX, XXIII e XXIV), além de ter sido o “Offensive Player of the Year” em 1988. Na carreira, jogou 165 partidas, com 8.189 jardas terrestres, média de 4,1 jardas por tentativa, recebeu 566 passes para 4.911 jardas e 73 TDs totais.

Bill Walsh (1979-1988)

bill walsh

Chegou em 1979 à equipe para montar um verdadeiro esquadrão, sendo a sua primeira experiência como técnico principal. Foi eleito “Coach of the Year” duas vezes (1981 e 1984) e em 1987 concretizou o sucesso do West Coast offense, quando montou um ataque com passes curtos para acabar com a defesa mais temida da NFL, a do Chicago Bears. Foi campeão do Super Bowl três vezes (XVI, XIX e XXIII), na temporada regular tem um recorde 92-59-1 em 152 jogos e na pós-temporada somou 10 vitórias e 4 derrotas. Foi introduzido ao Hall da Fama em 1993 e tem seu nome pendurado como homenagem no atual estádio da franquia. Aposentou-se logo após o título de 1988.

ESTATÍSTICAS DA DINASTIA

  • 117 vitórias, 51 derrotas e um empate na temporada regular
  • 4 títulos de Super Bowl (XVI, XIX, XXIII e XXIV)
  • Única equipe a fazer mais de 100 pontos em uma pós-temporada (126 em 1989)
  • 7 nomes no Hall da Fama: Bill Walsh, Jerry Rice, Joe Montana, Steve Young, Fred Dean, Charles Haley e Ronnie Lott
  • Cinco jogadores com número aposentado: #16 Joe Montana, #80 Jerry Rice, #8 Steve Young, #42 Ronnie Lott e #87 Dwight Clark

Postagens Relacionadas









Marcos Filho é co-criador da Liga dos 32 e acompanha a NFL desde 2006. Escreve uma coluna por semana no site, a “Guia da Rodada”, disponível às sextas para mostrar o que tem de bom e de ruim nas partidas da rodada. Na offseason, aborda temas gerais. Twitter: @marcosfilho_20