Dinastias – New England Patriots (Década 2000)

26 de junho de 2017
Tags: a liga e a historia, dinastias, marcos filho, patriots,

patriots dinastias

Já falamos sobre os Green Bay Packers (1960), Pittsburgh Steelers (1970), San Francisco 49ers (1980) e Dallas Cowboys (1990). Agora, fechando a série “Dinastias” em nosso site, vamos reverenciar o New England Patriots como maior dominante da década de 2000 e que revelou ao mundo uma das maiores duplas QB-Técnico da história da NFL: Tom Brady e Bill Belichick. A década foi bem parecida com a de 1990 e mostra a tendência do que é o futebol americano até os dias atuais. Claro que teve uma franquia que foi muito bem e podemos dizer que dominou a liga, no entanto, o domínio não foi tão grande como em décadas passadas.

LEIA MAIS: Dinastias – Dallas Cowboys (década 1990)

COMO FORAM AS TEMPORADAS?

A franquia fundada em 1959 não teve muito sucesso em seus primeiros anos, alternando boas e más campanhas. O primeiro grande time do Patriots veio em 1985, quando chegou ao Super Bowl XX para encarar a defesa fortíssima do Chicago Bears e acabou perdendo facilmente por 46 a 10. Em 1997, uma nova ida ao Super Bowl, com repetida derrota, desta vez para o Green Bay Packers, pelo placar de 35 a 21.

Após ficar em último na AFC Leste, o dono Robert Kraft demitiu o então técnico Pete Carroll e foi atrás de um assistente técnico chamado Bill Belichick. A história foi a maior confusão, pois o Jets dizia que Belichick estava sob contrato e a situação só foi definida quando o comissário da NFL na época decidiu que o Patriots tinha que compensar o New York Jets para poder contratar seu técnico. A equipe de New England, então, deu uma escolha de primeira rodada no Draft 2000, uma de quarta e sétima rodada de 2001. Na sua primeira temporada como técnico principal, Bill Belichick teve todo o controle para organizar o novo time, apostou no jovem QB Tom Brady na sexta rodada do Draft, mas terminou com uma campanha 5-11 naquele ano, o que seria a sua única temporada negativa até hoje.

LEIA TAMBÉM: Dinastias – San Francisco 49ers (década 1980)

brady

A temporada seguinte não começou com muita empolgação no lado de Boston. O lendário OT Bruce Armstrong se aposentou e o WR Terry Glenn acabou suspenso por quatro partidas por violar a política de substâncias ilegais da NFL. Na segunda rodada da temporada uma fatalidade acabou mudando para sempre a história do New England Patriots: Drew Bledsoe, que havia recebido uma extensão contratual, sofreu uma grave lesão e, em seu lugar, quem assumiu foi o então desconhecido Tom Brady que nunca havia atuado em uma partida oficial da NFL. Ele surpreendeu a todos de forma incrível, liderando o time em uma ótima campanha 11-5 e título de divisão. No segundo confronto da pós-temporada, o Patriots derrotou o Oakland Raiders por 16 a 13, foi para a final da conferência encarar o Pittsburgh Steelers e após triunfo  por 24 a 17 carimbou sua ida ao Super Bowl XXXVI contra o St. Louis Rams. Em um jogo emocionante, o K Adam Vinatieri acertou o Field Goal no último segundo e deu a vitória ao Patriots por 20 a 17, com o jovem Tom Brady eleito o MVP da grande final.

Um ano depois da inauguração do Gillette Stadium e uma campanha decepcionante para o atual campeão, a história foi completamente diferente. Apesar de alguns jornais divulgarem que os jogadores odiavam o técnico Bill Belichick, o Patriots entrou voando na temporada: totalizou 14 triunfos e, pela primeira vez na história, conseguiu a melhor campanha da NFL. Nos Playoffs, venceu o Tennessee Titans por 17 a 14, encarou o Indianapolis Colts de Peyton Manning e, pela segunda vez em três anos, a disputa do Super Bowl estava garantida após o triunfo de 24 a 14. No Super Bowl XXXVIII, em mais uma partida muito apertada, o Patriots se sagrou campeão vencendo o Carolina Panthers por 32 a 29, com mais um Field Goal decisivo do K Adam Vinatieri. Além do bicampeonato, Tom Brady venceu também seu segundo prêmio de MVP da final.

patriots 2004

No ano de 2004, a franquia de New England não queria decepcionar seus torcedores como fez em 2002. Sendo assim, entrou com tudo e venceu 14 jogos novamente, terminando a temporada como uma das duas melhores equipes da AFC. Na primeira rodada da pós-temporada, mais uma vez, o Indianapolis Colts estava no caminho, mas sem muitos problemas a equipe venceu por 20 a 3. Na final da conferência, um grande adversário: o Pittsburgh Steelers, que havia perdido apenas uma vez ao longo da temporada regular. Contudo, Tom Brady e companhia não se intimidaram e anotaram espetaculares 41 pontos no Heinz Field, o que confirmou a quinta final da NFL na história da franquia. No Super Bowl XXXIX, novamente um jogo bastante apertado, mas o Patriots se sagrou campeão diante do Philadelphia Eagles por 24 a 21, dessa vez com o WR Deion Branch sendo o MVP da partida.

Na temporada 2005, a equipe sofreu com algumas lesões no início, principalmente na secundária, o que acabou minando um pouco a equipe, tanto que 45 jogadores diferentes começaram os jogos para o time de New England, um recorde para um campeão de divisão até hoje. A campanha continuou boa (10-6), mas em contrapartida, logo na primeira rodada da pós-temporada o time fora derrotado pelo Denver Broncos, o que encerrou o sonho do tricampeonato. Em 2006, mais uma excelente campanha e, como era de praxe, título de divisão. Com uma campanha de 12-4, novamente parecia que o Patriots tinha a força para chegar ao Super Bowl e após bater o San Diego Chargers por 24 a 21, novamente enfrentou o Indianapolis Colts, adversário corriqueiro naquela década. Dessa vez, o time de New England foi alvo da redenção de Peyton Manning, que eliminou Tom Brady pela primeira vez na carreira após o triunfo de 38 a 34.

Um ano mais tarde, o Patriots foi o grande protagonista desde o primeiro jogo, positivamente e negativamente. A temporada começou com uma grande confusão: a equipe foi acusada de espionar os treinos dos adversários, o famoso “Spygate”. A NFL julgou a franquia como culpada, definiu uma multa de US$250.000 à franquia e de US$ 500.000 ao técnico Bill Belichick. Porém, toda essa confusão não abalou em nada a equipe de New England ao longo das partidas e o Patriots se tornou apenas o quinto time profissional a conseguir uma campanha perfeita na temporada regular do futebol americano (16-0), feito que coroou Tom Brady como MVP da temporada regular. A equipe parecia uma máquina e teve o WR Randy Moss com o recorde de TDs recebidos em uma temporada (23). Brady também bateu o recorde de TDs lançados em uma temporada (50) – até ser superado por Peyton Manning em 2013. Na pós-temporada, passou pelo Jacksonville Jaguars com um placar de 31 a 20, logo depois eliminou o San Diego Chargers e se garantiu no Super Bowl XLVII, buscando se tornar apenas o segundo time da história a ser campeão de forma invicta. Todavia, em um dos jogos mais surpreendentes da história e considerado por muitos como o melhor Super Bowl de todos os tempos, o New York Giants chocou o mundo e derrotou o Patriots por 17 a 14, frustrando a temporada perfeita de Brady.

No ano de 2008, após a “tragédia” do Super Bowl, a equipe perdeu Tom Brady por toda a temporada com uma lesão no joelho e, mesmo com Matt Cassel fazendo um bom trabalho e ajudando o time a terminar com  11-5, a franquia não venceu a divisão e acabou ficando fora da pós-temporada, tornando-se o primeiro time desde o Denver Broncos de 1985 a não se classificar com um recorde 11-5. Em 2009, o Patriots teve a volta de Tom Brady, mas foi um ano de muitas mudanças, tanto de jogadores como nas partes organizacionais da franquia. Mais uma vez, o primeiro lugar na AFC Leste garantiu o time nos Playoffs, mas logo na primeira partida a equipe acabou sendo derrotada pelo Baltimore Ravens, terminando assim a sua grande década.

JOGOS MARCANTES

New England Patriots 3 x 10 New York Jets (Semana 2 da temporada regular 2001)

Mesmo sendo uma derrota, esse jogo é lembrado de modo especial pelos fãs do Patriots. Foi nesse dia que Drew Bledsoe se machucou e Tom Brady, naquela época desconhecido, estreou na NFL. Não foi um bom jogo do Patriots nem de Brady, que saiu com aproveitamento de 50% para 46 jardas. Porém, o atleta mostrou todo o seu potencial durante esses anos e calou todos que o desprezaram por ter saído da sexta rodada (199ª escolha) do Draft de 2000.

New England Patriots 20 x 17 St. Louis Rams (Super Bowl XXXVI)

O primeiro Super Bowl vencido pela equipe de New England. Um jogo equilibrado que tinha de um lado um jovem QB e do outro um Kurt Warner já campeão e com a grande ajuda do RB Marshall Faulk. Brady jogou muito bem, cuidou da bola sem lançar nenhuma INT, enquanto Warner lançou duas. A defesa do Patriots atuou num alto nível e ainda teve o brilho de Adam Vinatieri para acertar um Field Goal de 48 jardas com o relógio zerado. Esse jogo foi o começo da dinastia do Patriots na NFL.

New England Patriots 32 x 29 Carolina Panthers (Super Bowl XXXVIII)

Depois de uma temporada conturbada, o Patriots veio com tudo para vencer seu segundo título. Mais uma vez, foi em um jogo bem apertado e decidido com um Field Goal de Adam Vinatieri nos segundos finais. Brady fez um jogo excelente com 354 jardas, 3 TDs e apenas uma INT, o que lhe rendeu seu segundo prêmio de MVP da grande partida.

New England Patriots 14 x 17 New York Giants (Super Bowl XLII)

Mesmo sendo um dia muito triste para os fãs do Patriots, não tem como retirar esse jogo da lista dos mais marcantes dessa dinastia. A franquia de New England fez a campanha perfeita na temporada regular, tinha Brady como MVP e amassava todos os adversários enfrentava. Com muita emoção, qualidade e dois times querendo muito vencer, a partida reservou uma das maiores “zebras” de todos os tempos, quando o New York Giants sagrou-se campeão.

DESTAQUES DA DINASTIA

Tom Brady (2000-presente)

Tom Brady

É o maior QB da história da franquia e um dos maiores da história da NFL. Foi selecionado na sexta rodada (199ª escolha) do Draft de 2000, chamado para o Pro Bowl 11 vezes (2001, 2004, 2005, 2007, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016), selecionado para o All-Pro Team duas vezes (2007 e 2010) e campeão do Super Bowl cinco vezes (XXXVI, XXXVIII, XXXIX e XLIX e LI). Além disso, foi MVP do Super Bowl quatro vezes (XXXVI, XXXVIII, XLIX e LI) e da temporada regular em dois momentos (2007 e 2010). Na carreira, jogou 225 partidas, com 61.582 jardas aéreas, 456 TDs e 152 INTs, é dono do recorde de mais vitórias consecutivas em casa (31), é o jogador com mais jogos disputados na pós-temporada, o QB que mais venceu partidas, mais lançou TDs e que mais venceu finais de conferência. No Super Bowl, recorde de passes para TDs, passes completos e de participações.

Vince Wilfork (2004-2014)

vince wilfork

Jogador de muita força e peso na linha defensiva com grande identidade com a franquia e os fãs. Foi selecionado na primeira rodada (21ª escolha) do Draft de 2004, chamado para o Pro Bowl cinco vezes (2007, 2009, 2010, 2011 e 2012) e escolhido cinco vezes para o All-Pro Team (2007, 2009, 2010, 2011 e 2012). Venceu o Super Bowl em duas ocasiões (XXXIX e XLIX) e ganhou a AFC quatro vezes (2004, 2007, 2011 e 2014). Na carreira com o Patriots, jogou 142 partidas, somou 16 Sacks, 516 Tackles, quatro Fumbles forçados, 3 INTs e 25 passes desviados. Depois do último título, acabou saindo do Patriots e está atualmente no Houston Texans.

Tedy Bruschi (1996-2008)

tedy-bruschi

Um dos grandes líderes da defesa, excelente na pressão e uma máquina de tackles. Foi selecionado na terceira rodada (86ª escolha) do Draft 1996, chamado para o Pro Bowl uma vez (2004), selecionado para o All-Pro Team duas vezes (2003 e 2004), venceu o Super Bowl três vezes (XXXVI, XXXVIII, XXXIX) e a AFC cinco vezes (1996, 2001, 2003, 2004 e 2007). Na carreira, jogou 189 partidas, somou 1.110 Tackles, 30,5 Sacks, 12 INTs e 11 Fumbles forçados. Atualmente, trabalha como comentarista televisivo falando de futebol americano.

Matt Light (2001-2011)

matt light

O jogador que dava sustentação a linha ofensiva e ajudava a proteger Tom Brady. Foi selecionado na segunda rodada (48ª escolha) do Draft de 2001, chamado para o Pro Bowl três vezes (2006, 2007 e 2010), esteve no All-Pro Team uma vez (2007), venceu o Super Bowl três vezes (XXXVI, XXXVIII, XXXIX) e foi campeão da AFC cinco vezes (1996, 2001, 2003, 2004 e 2007). Era um dos pilares de uma linha ofensiva muito boa que, além de proteger bem o seu QB, abria muitos espaços para os RBs. Jogou pelo Patriots a carreira inteira e se aposentou em 2011.

Bill Belichick (2000-presente)

chick

Sem dúvidas, um dos três maiores técnicos da história da NFL. Antes de ser técnico principal do Patriots foi assistente em alguns times e técnico principal no Cleveland Browns (1991-1995). Chegou à New England depois de passar três temporadas como assistente no New York Jets, venceu o Super Bowl cinco vezes (XXXVI, XXXVIII, XXXIX, XLIX e LI) e foi eleito o técnico do ano três vezes (2003, 2007 e 2010). Sempre foi um gênio, usando jogadores em posições diferentes e selecionado calouros produtivos. Tem uma relação de respeito com seu QB e eles são a dupla que mais venceu partidas na história com 1183 triunfos. Futuramente, já tem seu lugar garantido no Hall da Fama do esporte.

ESTATÍSTICAS DA DINASTIA

  • 126 vitórias e 54 derrotas
  • 3 títulos de Super Bowl (XXXVI, XXXVIII e XXXIX)
  • 7 títulos da AFC Leste (2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2009)
  • 4 títulos da AFC (2001, 2003, 2004 e 2007)
  • Um nome no Hall da Fama: Junior Seau

*Nota: É importante lembrar que a maioria dos jogadores dessa equipe se aposentaram há pouco tempo ou ainda nem se aposentaram, por isso ainda não estão no Hall da Fama.

Postagens Relacionadas









Marcos Filho é co-criador da Liga dos 32 e acompanha a NFL desde 2006. Escreve uma coluna por semana no site, a “Guia da Rodada”, disponível às sextas para mostrar o que tem de bom e de ruim nas partidas da rodada. Na offseason, aborda temas gerais. Twitter: @marcosfilho_20