Destaques e Decepções: Russell Wilson, que homem!

30 de outubro de 2017
Tags: João Gabriel Gelli, Matéria,

Este espaço nas segundas-feiras durante a temporada traz o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana 8 será disputado por Kansas City Chiefs e Denver Broncos. Então, sem maiores enrolações, vamos aos destaques e decepções:

Russell Wilson, que homem!

Em uma rodada um tanto parada, um dos melhores jogos – talvez o melhor – da temporada. O embate entre Texans e Seahawks foi altamente explosivo, com grandes jogadas ofensivas, defensivas, cinco trocas de liderança no placar. Entre as alternâncias de marcados está incluído o drive que Russell Wilson comandou ao atravessar 80 jardas em três passes e sem tempos para pedir e que foi concluído com o TD para Jimmy Graham com pouco mais de 20 segundos restando para virar o embate por uma última vez. Assim, o time de Seattle avançou para 5-2 e derrubou os adversários para 3-4.

Os dois quarterbacks tiveram partidas sensacionais. Wilson fez de tudo e terminou o jogo com 482 jardas totais e passou para 4 TDs e uma interceptação, com pouca ajuda da linha ofensiva e do jogo corrido. Por isso, contou com o apoio de uma boa partida do seu grupo de recebedores, que fizeram bons improvisos e diversas recepções difíceis e importantes.

Já Deshaun Watson foi elétrico mais uma vez, com conexões em profundidade com Will Fuller, ótimo trabalho para manter jogadas vivas, bons avanços como corredor ao se tornar o primeiro QB da história a passar para mais de 400 jardas e 4TDs e correr para mais de 50 jardas. Sem se abalar com erros, ele tem sido o responsável por tornar o Texans um time muito interessante de assistir e capaz de brigar por uma vaga nos playoffs mesmo com todas as lesões na defesa.

Cowboys prevalece sobre o Redskins

Após um início de temporada turbulento, o Cowboys parece estar encontrando o ritmo. Na semana passada, uma surra contra o 49ers e dessa vez um triunfo sem maiores sustos contra o Redskins.

A partida começou favorável ao time de Washington, que tinha a oportunidade de se distanciar no marcador, mas teve um field goal bloqueado. Orlando Scandrick então recuperou a bola e retornou até a linha de 5 do campo de ataque, onde Ezekiel Elliott correu duas vezes para entrar na end zone pela segunda vez no jogo e deu a liderança que o Cowboys não perderia mais. Zeke teve uma ótima partida e liderou a ofensiva de Dallas com 33 carregadas para 150 jardas. Dak Prescott também mostrou segurança, apesar de ter feito uma partida sem grandes destaques. Agora, com um novo julgamento para Elliott no horizonte, o time se prepara para uma difícil sequência no calendário com a necessidade de reduzir a vantagem do Eagles na NFC Leste.

Do outro lado, o ataque do Redskins não conseguiu muito, com a linha ofensiva sem seus dois jogadores de elite – Trent Williams e Brandon Scherff -, Kirk Cousins teve dificuldades para encontrar um ritmo. Sem um ataque terrestre consistente, Chris Thompson e Jamison Crowder foram as únicas armas que contribuíram positivamente para a noite do QB. O time chegou a ter a bola para tentar empatar o jogo com menos de um minuto no relógio, mas Cousins lançou uma pick six que definiu o placar e a terceira derrota da equipe de Washington dentro da divisão.

De zero de novo

O Thursday Night Football da semana desfez a tendência de jogos interessantes e competitiv0s no horário. Em uma surra homérica, o Ravens superou o Dolphins por 40 a 0, na segunda vitória de zero do time na temporada.

Esta foi de longe a melhor atuação do Ravens na temporada, com Joe Flacco acertando alguns bons passes, incluindo o TD para Jeremy Maclin, até sair com uma concussão em violenta e desnecessária pancada de Kiko Alonso quando já ia para um slide. No entanto, o grande destaque do ataque foi o RB Alex Collins, que mostrou ser o melhor jogador da unidade e teve diversas ótimas jogadas, correndo com força, decisão e explosão para 113 jardas e somando mais 30 em duas recepções. Além disso, a defesa estava muito mais ligada que nos outros jogos, com 3 sacks e diversas pressões, duas interceptações retornadas para touchdown e limitando Jay Ajayi a 23 jardas em 13 carregadas após ele levar a primeira por 21. A vitória dá moral para o time de Baltimore, mas resta saber se este tipo de desempenho pode se repetir ou se foi apenas um caso do confronto de estilos de jogo casar favoravelmente.

Enquanto isso, o Dolphins mostrou que não é um time dos mais fortes, com uma defesa que pode ser explorada e um ataque mediano. Assim, por mais que ainda tenha um retrospecto de 4-3 na temporada, ainda precisa de diversos ajustes para que possa sonhar com um retorno para os playoffs por um segundo ano seguido.

Falcons sai da sequência de derrotas

Depois da terceira derrota seguida em uma apresentação tenebrosa no último Sunday Night Football, o Falcons parecia que deixaria o Jets disparar e levar a sequência negativa para um quarto jogo. No entanto, o time se encontrou no último quarto e conseguiu a importante virada.

Mesmo com a vitória, o Falcons não teve grande exibição, com Matt Ryan errando alguns passes simples e sofrendo três fumbles, dos quais dois foram recuperados pelo Jets. A defesa teve problemas no primeiro tempo, mas conseguiu se arrumar a limitar o adversário a apenas um field goal na segunda etapa. Dessa forma, o time recupera um pouco de confiança para o fundamental duelo de divisão contra o Panthers no próximo Monday Night Football.

Do outro lado, mesmo sem grandes pretensões para a temporada, o Jets amarga mais uma derrota com a impressão de que o resultado poderia ser diferente. Como já foi o caso nos confrontos contra Jaguars, Browns e o segundo contra o Dolphins, o time fez um bom primeiro tempo e abriu vantagem para no segundo cometer um festival de erros e sofrer turnovers nos piores momentos possíveis. Assim, o time merece crédito por estar superando expectativas, mas também críticas por este péssimo gerenciamento da liderança no placar, que poderia render uma campanha ainda mais surpreendente.

Steelers se consolida como a força da AFC – por enquanto…

Em uma temporada na qual nenhum time parece mostrar a consistência necessária para ser apontado como o favorito na AFC, o Steelers chegou a um retrospecto de 6-2 com a vitória fora de casa sobre o Lions no Sunday Night Football e se colocou como a força da AFC. No entanto, com Chiefs e Patriots ainda na perseguição, muito ainda há para rolar.

A defesa que tinha os melhores números contra o passe sofreu contra Matthew Stafford, mas conseguiu evitar que o Lions anotasse touchdowns, mesmo com cinco campanhas atingindo a red zone. Assim, Detroit foi forçado a chutar diversos field goals, o que limitou as chances de vitória. Já no ataque, em noite contida de Le’Veon Bell, o Steelers contou com uma atuação de estrela do calouro JuJu Smith-Schuster, que recebeu 7 passes para 193 jardas, incluindo uma espetacular recepção de 97 jardas para touchdown logo após a defesa ter impedido que o Lions entrasse na end zone em quatro tentativas no drive anterior. Com isso, quem sofre é Martavis Bryant, que estava inativo por conta de comentários nas redes sociais nos quais se mostrava insatisfeito com seu papel no ataque e que tinha pedido para ser trocado.

Já o Lions teve uma partida sólida, com boa apresentação da defesa, que se mostrou oportunista, e um ataque que conseguiu mover a bola durante todo o jogo. No entanto, a ausência de corridas eficientes limitou o ataque na red zone e fez com que o time fosse ridículo na região, o que foi chave para a derrota. Mesmo assim, fica a sensação de que a equipe pode reverter a situação e ainda brigar por uma vaga na pós-temporada.

Outros destaques e decepções:

  • Mais uma vez a defesa do Saints teve boa atuação e ajudou o time a garantir a quinta vitória seguida e a liderança da NFC Sul. O calouro CB Marshon Lattimore merece o destaque mais uma vez e já mostra potencial para ser um dos melhores da posição em pouco tempo.

  • Não foi o jogo mais bonito, mas o Patriots evitou uma recuperação do Chargers e saiu com a vitória. Apesar de ceder uma corrida de 87 jardas para TD de Melvin Gordon, a defesa do atual campeão parece estar se encontrando aos poucos.

  • A cada semana que passa o Bills mostra ainda mais sua força. Sua vítima da vez foi o Raiders, que sucumbiu por 34 a 14 em uma apresentação completa do time de Sean McDermott, que merece séria consideração para o prêmio de técnico do ano em uma totalmente inesperada campanha de 5-2 de um time que trocou diversas peças renomadas antes da temporada.

  • Foi mais complicado que o esperado, mas o Vikings superou o Browns na última partida disputada em Londres na temporada. Com isso, o time vai para sua semana de folga com firme controle da NFC Norte e uma boa expectativa para o restante do campeonato.

  • Quando todos esperavam que esta fosse a temporada do Buccaneers dar um salto e alcançar grandes resultados, o ataque recheado de peças para de render e o QB Jameis Winston mostra sinais de regressão, com dificuldades para manter a consistência e com decisões terríveis que levam a turnovers, como as duas interceptações e o fumble perdido na derrota por 17 a 3 em casa para o Panthers. Agora, o Bucs luta contra o tempo para salvar o ano e precisa começar a vencer em sequência, o que não parece muito provável.

  • Em um jogo parelho e de grande atuação do TE Jack Doyle pelo Colts, o Bengals saiu vitorioso por 24 a 23 graças a uma pick six do DE Carlos Dunlap que virou o placar e manteve o time de Cincinnati com esperanças para a temporada.

  • O Eagles segue recheado de destaques e com a melhor campanha da NFL até o momento. Neste domingo, o time aplicou uma surra sobre o 49ers, em partida dominante da defesa.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









João Gabriel Gelli ⁠⁠⁠Apaixonado por todo tipo de esporte, conheceu o futebol americano com o retorno para a história de Tracy Porter no Super Bowl XLIV. Torcedor do Baltimore Ravens, é responsável por uma matéria semanal e pela edição de textos. Além de futebol americano, também escreve sobre lutas para o MMA Brasil. No twitter: @jggelli