Destaques e Decepções: NFC, sua linda!

13 de novembro de 2017
Tags: João Gabriel Gelli, Matéria,

Este espaço nas segundas-feiras durante a temporada traz o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana 10 será disputado por Carolina Panthers e Miami Dolphins. Então, sem maiores enrolações, vamos aos destaques e decepções:

NFC, sua linda!

A essa temporada da NFL, já é possível separar quais são os melhores times e que devem brigar pelo título. Ao montar a lista das principais equipes, a primeira observação que pode ser feita é a presença majoritária de franquias que habitam a NFC. Com um cenário caótico de briga pelos playoffs e futebol americano jogado em alto nível, a conferência será destaque no texto de hoje.

Ao comparar os times que estariam classificados para os playoffs após esta rodada com os que compuseram a última pós-temporada, a observação mais óbvia é a ausência de um campeão de divisão igual, com Eagles, Saints, Rams e Vikings ocupando os postos que foram de Cowboys, Falcons, Seahawks e Packers em 2016. Além disso, a briga pelas vagas de wildcard está intensa, juntando as quatro equipes campeãs de divisão no ano passado com Redskins, Lions e Panthers. Dessa forma, o campeonato ainda promete muitas emoções em sua metade final, com uma grande quantidade de duelos entre estas fortes equipes.

Seria o Saints o melhor time da NFL em 2017?

Depois de começar a temporada com duas derrotas nas quais sua defesa pareceu historicamente ruim, o Saints conseguiu se ajustar e enfileirou sete adversários consecutivos, em um período no qual parece ter o melhor sistema defensivo da NFL.

Foram apenas 100 pontos sofridos durante a sequência, enquanto 65 foram tomados nos dois primeiros jogos. Isto ajuda a perceber o que há de diferente com esse time em relação aos Saints do passado. A classe que veio no Draft e Free Agency nesse ano já tem colaborado muito, sobretudo com a presença de Marshon Lattimore, que já é uma estrela na liga e um dos melhores CBs da temporada. Com uma defesa que consegue segurar o resultado, o ataque não precisa atuar em ritmo insano e Drew Brees pode exercer uma função mais de gerenciamento da partida, com um jogo terrestre muito poderoso.

Falando nesse ataque terrestre, é preciso destacar seu papel fundamental. Mark Ingram e Alvin Kamara estão atuando em nível estratosférico. Desde que o time voltou do bye, o que coincidiu com a troca de Adrian Peterson, Ingram tem média de 20,4 carregadas, 100,4 jardas e 1,4 TDs por jogo, enquanto Kamara tem 9,8 carregadas, 66,8 jardas e 0,8 TD, além de 4,4 recepções para 45,2 jardas e 0,2 TD. Com uma dupla de RBs tão forte e que se complementa de maneira tão orgânica, o Saints consegue queimar o relógio, limitar o tempo que sua defesa fica em campo e controlar as partidas.

Este aspecto esteve muito presente na surra de 47 a 10 sobre o Bills em Buffalo nesse domingo. Com uma linha ofensiva muito física, que dominou as trincheiras com facilidade, o Saints teve absurdas 48 carregadas para 298 jardas e 6 touchdowns, sendo três de Ingram. Assim, com tantos desempenhos tão completos em sequência, um QB de elite, que pode tomar conta de um jogo quando for preciso, uma OL em perfeita sintonia com seus ótimos RBs e uma defesa em grande fase, o Saints deve ser levado em conta como um forte candidato ao título e como um dos melhores times da NFL no momento.

Mais um massacre para o Rams

Os feitos do Rams já foram discutidos amplamente nessa coluna. Como um dos times mais interessantes e surpreendentes da temporada, os pupilos do prodígio Sean McVay aplicaram mais uma surra para ampliar seu rastro de destruição. A vítima da vez foi o Texans, que sucumbiu por um placar de 33 a 7.

Jared Goff acumulou números incríveis mais uma vez, mesmo sem precisar de muito esforço. Isso veio de cortesia das chamadas muito bem feitas por McVay e execução igualmente eficiente do ataque. Destaque para Robert Woods, que acumula 12 recepções para 241 jardas e 4 touchdowns nas duas últimas semanas, incluindo uma explosão de 94 jardas até a end zone após uma bomba de Goff no jogo desse domingo.

Além disso, a defesa se aproveitou de um terrível Tom Savage e forçou e recuperou dois fumbles e anotou mais duas interceptações. Com isso, parece sensato dizer que a temporada do Texans está virtualmente encerrada. Por outro lado, o Rams entra em uma sequência muito intessante de seu calendário, com embates contra Vikins, Saints, Eagles e Seahawks em quatro das próximas cinco semanas, podendo modificar de forma significativa o cenário da conferência.

Vikings supera Redskins em jogo interessante

O jogo entre Vikings e Redskins já começou marcante com Teddy Bridgewater novamente ativo após a forte lesão sofrida durante o Training Camp do ano passado. Visivelmente emocionado, o jovem QB parece ter servido de inspiração para seus companheiros, que tiveram uma grande exibição ofensiva para anotar mais uma boa vitória.

Sem Sam Bradford e com Bridgewater voltando de tanto tempo afastado, Case Keenum liderou o ataque do Vikings novamente. Em um primeiro tempo magistral, ele somou 250 jardas e 4 TDs. No entanto, isto dificilmente seria possível se não fosse o trabalho da incrível e muito subestimada dupla de WRs formada por Stefon Diggs e Adam Thielen. Juntos, os dois tiveram 244 jardas e 2 touchdowns na partida, com destaque especial para Thielen, que passou das 150 jardas pela segunda vez na temporada e se apresenta como um dos melhores jogadores de sua posição, mas sem receber o devido respeito da maioria.

No segundo tempo, a defesa do Redskins reagiu, principalmente com duas interceptações de DJ Swearinger e o time voltou para o jogo. No entanto, o sistema defensivo do Vikings trabalhou bem na red zone e impediu que o adversário pudesse chegar mais perto no marcador, consolidando um placar final de 38 a 30, apesar de uma partida eficiente de Kirk Cousins, que correu para dois TDs e passou para mais um.

Dessa forma, a equipe de Minnesota chegou ao sétimo triunfo e parece ter um controle firme da NFC Norte, com um foco maior em conseguir uma folga na primeira semana de playoffs. Enquanto isso, o Redskins se mostra um time de bom nível, capaz de encarar qualquer outro de igual para igual, mas está em situação complicada, com retrospecto de 4-5 e praticamente sem chances de vencer a NFC Leste. Contudo, ainda está na disputa por uma vaga no wildcard e pode ter um papel muito importante na corrida pela pós-temporada.

Falcons segue vivo

Depois de perder para o Panthers na semana passada e ficar em situação complicada na NFC Sul, o Falcons deu uma demonstração de força ao dominar o Cowboys, em um importante confronto direto na briga por uma vaga de wildcard na NFC.

Este foi o jogo mais completo do ataque de Atlanta, que contou com desempenho eficiente de Matt Ryan, uma boa partida de Austin Hooper e um sólido trabalho de Tevin Coleman, que substituiu Devonta Freeman (concussão) como o principal RB da equipe. Dessa forma, o time saiu com a vitória por 27 a 7.

Já do lado do Cowboys, a primeira partida da suspensão de Ezekiel Elliott não poderia ter sido mais desastrosa, com um ataque que teve problemas para se mover com consistência em um jogo abaixo da média de Dak Prescott. Todavia, apesar da falta que Elliott fez, a ausência mais sentida para o time de Dallas certamente foi seu LT de elite, Tyron Smith. Seu substituto foi Chaz Green, que teve partida historicamente ruim e fez com que o DE Adrian Clayborn parecesse o melhor pass rusher dos últimos 20 anos da NFL. Clayborn teve incríveis 6 sacks e 2 fumbles forçados para matar diversas campanhas. Assim, caso queira ter alguma chance de manter a temporada nos trilhos, o Cowboys precisa sobreviver sem Smith e Zeke e ganhar alguns jogos para se colocar em posição de realizar uma corrida pelos playoffs nos últimos jogos. Com um calendário complexo pela frente, esta será um difícil missão e dependerá de um grande desempenho de Prescott.

Jaguars supera Chargers em jogo de final bizarro

O jogo entre Chargers e Jaguars já chegou ao placar de 17 a 14 a favor do primeiro com cerca de três minutos restantes no relógio em condições esquisitas. Primeiro, o Jaguars marcou um touchdown em um fake punt levado por 56 jardas até end zone em corrida de Corey Grant. Depois, o Chargers reagiu com o RB não draftado Austin Ekeler comandando a ofensiva, com 119 jardas de scrimmage e 2 TDs de recepção.

Assim, chegamos a um cenário com o Jaguars com a bola em sua linha de 47 jardas e voltando do two minute warning, além dos 3 tempos pra pedir e precisando apenas de um FG para levar o jogo para a prorrogação e com possibilidades de matar a partida com um touchdown. Eis que, nessa situação, Blake Bortles sente a pressão se aproximar e isola uma bola em direção a secundária e é interceptado por Tre Boston. A posse vai para o Chargers, que pode queimar o que restou do relógio. No entanto, na primeira jogada, Ekeler sofre um fumble, que é recuperado por Tashaun Gipson e retornado até end zone. O problema é que a arbitragem reverteu o TD após revisar.

Bola então na linha de 36 no campo de ataque, em posição na qual já era possível chutar e empatar a partida. Após uma sequência de faltas, Bortles se desespera mais uma vez e lança nova interceptação no colo de Boston, no que parecia ter selado a partida. O Chargers, de modo conservador, corre três vezes e força o Jaguars a usar seus três pedidos de tempo. Após um punt ruim, mais uma chance para Bortles, que dessa vez não comete os mesmos erros e, auxiliado por uma falta crucial de Joey Bosa, posiciona Josh Lambo para o FG que empata a partida e a leva para a prorrogação.

A primeira posse no tempo extra foi do Jaguars, que avançou até o meio do campo e teve que chutar o punt, deixando Phillip Rivers de costas para a end zone. Assim, o experiente QB tentou forçar um passe longo para Travis Benjamin e acabou interceptado por AJ Bouye, que retornou a bola para uma posição na qual já era possível chutar o FG da vitória. Assim, três jogadas depois, Lambo, que foi cortado pelo Chargers na pré-temporada, marcou os três pontos que deram a sexta vitória para o Jaguars em 2017. Mesmo esse último chute teve emoção, com a bola sendo desviada, mas ainda assim alcançando o Y.

Dessa forma, o Jaguars segue disputando acirradamente a AFC Sul com o Titans e já se colocou em ótima posição para conseguir uma vaga de wildcard na fraca AFC. Já o Chargers afunda para 3-6 em mais uma derrota dolorosa e está em situação cada vez mais complexa, mas ainda segue na disputa para chegar aos playoffs, já que nenhuma equipe parece confiável o suficiente para tomar a segunda posição no wildcard da conferência.

Outros destaques e decepções:

  • Apesar da quantidade exorbitante de lesões, o Seahawks conseguiu se recuperar do revés para o Redskins e anotou sua sexta vitória na temporada ao bater o Cardinals no Thursday Night Football. Assim, o time segue sua perseguição ao Rams na disputa pela NFC Oeste.

  • O 49ers finalmente saiu do zero. Em uma explosiva exibição ofensiva com a colaboração da indolente defesa do Giants, os comandados de Kyle Shanahan espantaram a sombria imagem de um 0-16. Agora resta esperar pela estreia de Jimmy Garoppolo pelo time.

  • O Steelers bem que tentou entregar a partida para o Colts, mas se recuperou após o intervalo e saiu com a vitória fora de casa com um FG de Chris Boswell no último lance do duelo.

  • Por mais que DeShone Kizer tenha feito sua melhor partida até agora, o Browns segue sem vencer. O algoz da vez foi o Lions, que fez sua obrigação e se manteve ativo na movimentada corrida dos playoffs da NFC.

  • A vitória foi apertada e as esperanças de avançar para a pós-temporada não são grandes, mas o Packers deixou a chama acesa ao bater o Bears.

  • Marcus Mariota não tem feito uma temporada espetacular, mas está entregando resultados quando o Titans mais precisa. Foi assim na semana passada e novamente nessa, com uma campanha de touchdown quando o time perdia a menos de dois minutos do fim do jogo contra o Bengals. Assim, segue a intensa disputa com o Jaguars pela AFC Sul.

  • No Sunday Night Football, o Patriots não teve problemas para despachar o Broncos, com uma boa dose de colaboração da unidade de especialistas do adversário. Já com 7-2, o time de Bill Belichick parece estar se encontrando, o que deixa a margem para erro da fraca AFC ainda menor.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









João Gabriel Gelli ⁠⁠⁠Apaixonado por todo tipo de esporte, conheceu o futebol americano com o retorno para a história de Tracy Porter no Super Bowl XLIV. Torcedor do Baltimore Ravens, é responsável por uma matéria semanal e pela edição de textos. Além de futebol americano, também escreve sobre lutas para o MMA Brasil. No twitter: @jggelli