Destaques e Decepções: É treta!

6 de novembro de 2017
Tags: João Gabriel Gelli, Matéria,

Este espaço nas segundas-feiras durante a temporada traz o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana 9 será disputado por Detroit Lions e Green Bay Packers. Então, sem maiores enrolações, vamos aos destaques e decepções:

É treta!

Os ânimos estavam à flor da pele durante a nona rodada da temporada de 2017 da NFL. Tudo começou com o duelo entre Bengals e Jaguars, no qual AJ Green e Jalen Ramsey foram ejetados após o CB do Jaguars provocar tanto o WR que o levou a derrubá-lo, tentar um mata-leão e ainda desferir socos contra seu capacete(!), na cena ilustrada pela foto que encabeça este texto, proporcionando cenas de briga entre os dois times.

No confronto entre Saints e Buccaneers, Marshon Lattimore zoava Jameis Winston próximo a lateral do campo quando Mike Evans surge do nada, empurra o calouro e começa a socá-lo, o que dá início a uma confusão generalizada. Inexplicavelmente, Evans não foi expulso da partida, mas pode ter certeza que uma pesada multa ainda será direcionada a ele. Por fim, mais uma briga com direito a expulsões, quando Carlos Hyde, Frostee Rucker e Haason Reddick se envolveram em uma discussão com empurrões e punhos voando e acabaram removidos do duelo entre Cardinals e 49ers.

Redskins mantém suas esperanças vivas

Um começo de temporada com boas apresentações, mas retrospecto de 3-4 com três derrotas dentro da divisão deixou o Redskins em situação complicada em uma NFC recheada de fortes times. Isto tornou o jogo contra o Seahawks ainda mais importante para a equipe, que conseguiu a virada em um final emocionante e ainda está na briga por uma vaga nos playoffs da conferência.

Após um primeiro tempo no qual as defesas prevaleceram e Blair Walsh, kicker de Seattle, errou os três field goals que tentou, o Redskins saiu em vantagem por 7 a 2. No entanto, o melhor estava guardado para os minutos finais, quando o Seahawks tinha diminuído a desvantagem para 10 a 8 e tinha Russell Wilson em campo para virar o jogo com apenas 2:22 no relógio. Assim como na semana passada, o QB colocou o time nas costas e realizou um drive incrível, que terminou em um passe de 30 jardas para TD de Doug Baldwin.

Contudo, com a temporada na linha, o Redskins não desistiria com facilidade. Com 1:34 restando, Kirk Cousins precisou completar apenas dois passes, sendo o segundo deles uma pintura para uma espetacular recepção de Josh Doctson, que deslizou até ser tocado a meia jarda da end zone. Com o posicionamento favorável, bastou a Rob Kelley confirmar o TD e a virada na jogada seguinte. O Seahawks ainda teve a posse mais uma vez, com um minuto para que Wilson pudesse realizar sua mágica. A equipe chegou a avançar com novos lançamentos precisos, mas um grande esforço de Terrell McClain para forçar um sack fez com que o time de Seattle fosse forçado a tentar uma Hail Mary, que acabou falhando e confirmou a vitória do Redskins.

Com isso, por mais que um título de divisão seja quase inviável, a equipe de Washington se manteve no cenário da briga por uma vaga no Wildcard e superou um possível concorrente direto pelo posto, enquanto o Seahawks perdeu a liderança da NFC Oeste, mas mostrou que estará até o fim na disputa da conferência.

Rams e Eagles, as sensações da NFC

Quem se aproveitou da derrota do Seahawks foi o Rams, que atropelou o Giants por 51 a 14 e se tornou o líder isolado da NFC Oeste. O outro time que já deixou de ser uma surpresa e agora é visto como um favorito é o Eagles, que também anotou 51 pontos no massacre sobre o Broncos. Curiosamente, estes são os dois times com os QBs selecionados nas duas primeiras escolhas do Draft de 2016 e ambos têm técnicos com mentalidade ofensiva que fazem grandes trabalhos de chamar jogadas e estão cotados para o prêmio de melhor do ano.

O Rams contou com um grande desempenho de seu ataque, combinado a uma apresentação defensiva pífia do Giants. Isto ficou evidente em dois touchdowns seguidos da equipe. No primeiro deles, uma sequência de faltas os deixou em uma praticamente inviável terceira para 33, o que forçou um screen apenas por ser uma jogada segura e que poderia melhorar as condições para o field goal. No entanto, Robert Woods correu sem ser tocado por 52 jardas até a end zone. Já na campanha seguinte, Jared Goff encontrou Sammy Watkins completamente livre e não teve a menor dificuldade para completar um passe de 67 jardas para TD. Com tantas jogadas explosivas, Goff terminou com com 311 jardas em apenas 14 passes completos. Além disso, a defesa de Wade Phillips tem se mostrado cada vez mais encaixada, o que torna o time de Los Angeles um candidato real na NFC.

Já o Eagles segue com seu caminho de destruição, com a vítima da vez sendo o Broncos. Carson Wentz continuou sua temporada espetacular e passou para quatro touchdowns, que lhe deixaram como o líder isolado no quesito no ano, com 23. Entre os grandes lançamentos que fez no jogo, o para o primeiro TD de Alshon Jeffery e para o do TE Trey Burton foram os melhores e mostram porque o jovem QB está na briga pelo prêmio de MVP. Como se não bastasse um quarterback em alto nível, o time ainda conta com um novo RB em Jay Ajayi, que já mostrou a que veio com 77 jardas em 8 carregadas, incluindo uma de 46 que levou para a end zone, e uma defesa sufocante. Com dois confrontos com o Cowboys ainda no calendário, a divisão não está vencida, mas o Eagles já pode ser considerado o favorito da conferência a avançar ao Super Bowl e o melhor time da NFL após nove semanas em 2017.

Rodada de confrontos de divisão esclarece NFC Sul

A embolada NFC Sul ganhou um pouco de claridade após uma rodada na qual seus times se enfrentaram internamente. Nos confrontos, o Saints surrou o Buccaneers e o Panthers segurou o Falcons.

O Saints seguiu jogando o mesmo futebol americano que levou o time a esta sequência de vitórias e a melhor fase da franquia em tempos. Um ataque que controla a bola, liderado por uma lenda como QB e RBs em boa fase, e uma defesa que evoluiu tremendamente, com o CB calouro Marshon Lattimore como grande destaque. No massacre sobre o combalido Bucs, quem brilhou foi Alvin Kamara, que tocou 16 vezes na bola e somou 152 jardas e 2 touchdowns, colocando o Saints com campanha de 6-2 e na segunda posição na NFC até o momento. Enquanto isso, o time de Tampa Bay, que tanto prometia na pré-temporada, teve mais um dia para esquecer, caiu para 2-6 e está basicamente fora da corrida pelos playoffs em um ano tenebroso de Jameis Winston.

No outro jogo, o Panthers mostrou que, apesar de ser um time de altos e baixos, tem uma receita para vencer partidas importantes. Esta passa por uma defesa imponente e física e um ataque com Cam Newton atuando em bom nível, conseguindo corridas que abrem espaço para seus RBs desempenharem seu papel. Como o time implementou este plano no domingo, saiu com a vitória sobre o Falcons, com o calouro Christian McCaffrey tendo seu melhor jogo como corredor, com 15 carregadas para 66 jardas e um touchdown. Do outro lado, o Falcons exibiu traços de uma equipe de meio de tabela, com mais uma partida sólida, mas sem momentos espetaculares de Matt Ryan e todo o ataque. Dessa forma, o time cai para 4-4 e aparenta precisar de ajustes para competir pela divisão e por uma vaga nos playoffs.

O que será da AFC Sul sem Deshaun Watson?

Na quinta-feira, a temporada do Texans sofreu mais um baque. Após perder JJ Watt e Whitney Mercilus para lesões que os mandaram para a IR, o time perdeu o QB calouro Deshaun Watson para uma ruptura no ligamento cruzado anterior, que encerrou seu ano. Com isso, Tom Savage assumiu a posição para a franquia e a sensação que fica é de que o ideal seria pensar em 2018 e nas possibilidades para o time com uma oferta completa de jogadores.

Com Savage em campo, o Texans não conseguiu caminhar com consistência. Um dos QBs mais estáticos da liga, ele não tem a habilidade para sobreviver atrás de uma linha ofensiva porosa, que requer mobilidade de seu passador. Assim, apesar dos esforços no fim do jogo, o time saiu derrotado pelo Colts por 20 a 14.

A lesão de Watson tirou o Texans da briga e tornou a AFC Sul uma corrida entre Tennesse Titans e Jacksonville Jaguars. Ambos os times venceram concorrência da AFC Norte no domingo. Enquanto o Titans superou o Ravens em jogo sólido de Marcus Mariota e tarde pouco inspirada de seus RBs, o Jaguars dominou o Bengals defensivamente e fez o suficiente no ataque para sair com um triunfo tranquilo. Assim, esta disputa deve se alongar até o fim da temporada e, em um cenário pobre em candidatos ao wildcard na AFC, o time que acabar com a segunda posição na divisão ainda terá boas chances de alcançar os playoffs.

Outros destaques e decepções:

  • No duelo que abriu a rodada no Thursday Night Football, o Jets teve grande desempenho defensivo para sufocar o Bills e vencer sem dificuldades. Assim, o time que muitos esperavam que pudesse terminar sem vitórias em 2017 alcançou o quarto triunfo da temporada.

  • Naquele que pode ter sido o último jogo de Ezekiel Elliott antes de cumprir sua suspensão, o Cowboys mostrou o poder de seu ataque e bateu o Chiefs em casa, com ótimas apresentações de Dak Prescott e Terrance Williams. Além disso, o S Jeff Heath foi o primeiro a interceptar Alex Smith na temporada.

  • Em partida de 37 carregadas para 159 jardas de Adrian Peterson, o Cardinals superou o 49ers e se manteve com um retrospecto que deixa alguma esperança na temporada ainda viva.

  • Apesar do placar de 23 a 20 fazer parecer que o duelo foi muito parelho, o Ravens segue com problemas ofensivos, mas continua relevante em uma AFC nivelada por baixo por conta de seu calendário recheado de confrontos vencíveis..

  • No Sunday Night Football, Raiders e Dolphins fizeram um confronto que superou expectativas. Com grande partida de Jared Cook, o time de Oakland saiu vitorioso por 27 a 24 e deixou o cenário de wildcard da conferência ainda mais embolado.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









João Gabriel Gelli ⁠⁠⁠Apaixonado por todo tipo de esporte, conheceu o futebol americano com o retorno para a história de Tracy Porter no Super Bowl XLIV. Torcedor do Baltimore Ravens, é responsável por uma matéria semanal e pela edição de textos. Além de futebol americano, também escreve sobre lutas para o MMA Brasil. No twitter: @jggelli