Destaques e Decepções: A pavorosa semana 7

23 de outubro de 2017
Tags: João Gabriel Gelli, Matéria,

Este espaço nas segundas-feiras durante a temporada traz o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana 7 será disputado por Philadelphia Eagles e Washington Redskins. Então, sem maiores enrolações, vamos aos destaques e decepções:

A pavorosa semana 7

Após uma série de semanas incríveis e um Thursday Night Football sensacional para abrir a rodada, a sétima leva de jogos da NFL em 2017 trouxe poucos destaques. A verdade é que ela ficou marcada por partidas de nível muito baixo, com poucas exceções.

Foram três times que não conseguiram nenhuma pontuação, algo que não acontecia desde dezembro de 2012. Caso Eagles ou Redskins passe em branco, terá sido a primeira vez desde novembro de 1983 com quatro shutouts em uma mesma rodada. Colts, Cardinals e Broncos saíram todos com zeros no placar e foram derrotados por larga margem em jogos nada competitivos contra Jaguars, Rams e Chargers.

Além disso, tanto o Vikings quanto o Titans superaram Ravens e Browns respectivamente em jogos que foram verdadeiros festivais de field goals. O Cowboys aplicou uma surra monstruosa no 49ers, o Bears superou o Panthers em uma partida sem nenhum touchdown de ataque e Steelers, Patriots e Seahawks passaram sem dramas por Bengals, Falcons e Giants. Assim, pode-se perceber que poucas vezes a end zone foi alcançada na rodada em uma semana que logo cairá no esquecimento por conta de raras partidas que trouxeram emoção.

A AFC Oeste está embolada de novo

Antes da temporada começar, a AFC Oeste era apontada pela maioria dos especialistas como a melhor divisão da NFL. Após um começo estranho, com Chiefs disparando, Broncos mostrando muita força e Chargers e Raiders no fundo do poço, tudo parece ter se equilibrado e a semana 7 foi uma prova disso.

Com dois confrontos divisionais, a AFC Oeste viu o Raiders superar o Chiefs no Thursday Night Football em um dos melhores jogos da temporada. Foi uma grande virada comandada por Derek Carr em um final insano e que contou com a explosão de Amari Cooper em 2017 para tirar o time de uma sequência de 4 derrotas e levar o segundo revés seguido para o Chiefs.

Já no domingo, como foi citado no tópico anterior, o Chargers não permitiu nenhuma pontuação ao Broncos e saiu com um triunfo por 21 a 0 mesmo em uma partida na qual Melvin Gordon foi contido e o ataque não produziu tanto. Após começar o ano com retrospecto de 0-4, o Chargers lutará pela quarta vitória seguida na próxima semana ao encarar o Patriots, enquanto o Broncos cai para 3-3 e parece ter voltado ao normal após um ótimo começo. Assim, apenas duas vitórias separam o líder Chiefs do último colocado Raiders em uma divisão que promete muito até o fim do ano.

O interessante Bills

Em um dos poucos jogos que merece entrar nos destaques da rodada, o Bills superou o Buccaneers em uma disputa muito acirrada e definida com um field goal de Stephen Hauschka a 14 segundos do fim. Depois de um primeiro quarto sem grandes movimentações no placar, o time de Buffalo esteve em vantagem durante a maior parte da partida, mas deixou o Bucs encostar e virar no último período. No entanto, um drive encerrado com uma corrida para TD de LeSean McCoy empatou o jogo a 2:38 do fim. Na posse seguinte, o CB calouro Tre’Davious White forçou e recuperou um fumble e já deixou o Bills em posição para que anotasse o chute que levaria a equipe para um inesperado 4-2 na temporada

O Bills é uma das boas surpresas de 2017. Depois de trocar alguns de seus principais nomes na offseason e deixar outros saírem na Free Agency, o que se esperava era que a equipe passasse por um intenso processo de reconstrução. Entretanto, o que se vê até agora é um time muito bem treinado, que comete poucos erros bobos, avança de forma sólida no ataque, tem uma defesa encaixada e que parece ter comprado o sistema de Sean McDermott. Assim, o Bills se encontra na corrida pelos playoffs até o momento, um desempenho muito superior ao que era previsto anteriormente e já ultrapassou as expectativas para a temporada.

Já do lado do Bucs, mais uma derrota decepcionante em uma temporada recheada de decepções. No entanto, vale destacar a boa participação do calouro OJ Howard, que teve 6 recepções para 98 jardas e 2 touchdowns, finalmente com um uso mais forte como arma no ataque aéreo. O WR Mike Evans continuou com sua boa temporada ao somar mais 88 jardas e 1 TD em um bom desempenho ofensivo do time de Tampa Bay, mas que foi novamente traído por uma defesa que não consegue gerar pressão.

Ezekiel Elliott está de volta

Ezekiel Elliott não está tendo a temporada mais tranquila. Suspenso por seis jogos antes do início do campeonato, conseguiu ordem restritiva que o permitia jogar enquanto não fosse julgado em justiça comum. Contudo, a NFL derrubou esta liminar após a semana 5 e ele voltou a estar suspenso. Em mais uma reviravolta no caso,  entrou com uma pedido de anulação da suspensão na corte de Nova York e conseguiu ser liberado até o fim do mês, quando passará por mais um julgamento.

Por isso, participou do atropelo do Cowboys sobre o 49ers e teve uma atuação gigantesca, com 142 jardas terrestres e dois touchdowns, além de uma recepção para 72 jardas que alcançou a end zone. Assim, parece ter colocado sua temporada novamente nos trilhos, após um início abaixo das expectativas. Resta saber se poderá estar presente nas partidas após a semana 8.

Também vale destacar o desempenho de Dak Prescott, que lançou para 3 TDs e correu para mais um e tem mostrado que seu ano de calouro não foi obra do acaso ao assumir uma responsabilidade maior no plano estratégico do Cowboys em 2017. Outro momento curioso da partida se deu quando o kicker do Cowboys, Dan Bailey, precisou sair do jogo lesionado e acabou substituído pelo S Jeff Heath, que se tornou o primeiro jogador que não é kicker nem punter a converter pelo menos dois PATs em um jogo desde 1980, quando o atual GM do Packers, Ted Thompson, conseguiu o feito.

Patriots passeia em revanche do Super Bowl

Quando o calendário da temporada foi lançado, todo fã marcou o Sunday Night Football da semana 7 como um confronto que não poderia perder. Este se tratava da revanche do último Super Bowl com o embate entre o Patriots e o Falcons. No entanto, toda a expectativa apenas provocou uma decepção maior, com um domínio completo dos atuais campeões.

O Falcons apenas pontuou no último quarto e Matt Ryan foi o primeiro QB da temporada a não ultrapassar as 300 jardas contra a defesa de New England. Com isso, o time chegou a terceira derrota seguida e voltou para o bolo da NFC que briga por uma vaga nos playoffs. Enquanto isso, o Patriots supera um início de temporada conturbado e já se coloca na disputa por uma folga na primeira rodada dos playoffs na AFC.

Outros destaques e decepções:

  • Pela segunda vez na temporada, o Jaguars anotou 10 sacks em uma partida e fez jus ao apelido de Sacksonville. Mais uma atuação dominante da defesa e o time segue na briga pelos playoffs, mesmo com um ataque que não inspira confiança.

  • Como dito anteriormente, o Bears superou o Panthers em um jogo sem nenhum TD ofensivo. As duas vezes que o time de Chicago alcançou a end zone vieram em jogadas do S calouro Eddie Jackson. Na primeira ele recuperou um fumble e retornou por 75 jardas para o touchdown e na segunda anotou uma pick six de 76 jardas. Enquanto isso, Mitchell Trubisky conquistou a vitória completando apenas 4 passes de míseros 7 tentados.

  • Mesmo com uma partida abaixo da média de Drew Brees, o Saints chegou à quarta vitória consecutiva e assumiu a liderança da NFC Sul, com uma defesa que está jogando muito melhor do que nos últimos anos. Enquanto isso, o Packers sai com a sensação de que teria vencido se Aaron Rodgers fosse o QB, uma vez que Brett Hundley cometeu alguns erros simples e a defesa fez um bom trabalho.

  • O esquema de passes curtos do Ravens ficou extremamente prejudicado com Jeremy Maclin inativo e Mike Wallace sofrendo uma concussão na segunda campanha do time. Sem seus principais recebedores e contra uma defesa voraz e extremamente atlética como a do Vikings, o time de Baltimore se tornou presa fácil.

  • Em um dos melhores jogos da rodada, Dolphins e Jets batalharam até os últimos segundos. No fim das contas, o time de Miami saiu vitorioso depois de uma interceptação de Josh McCown colocá-lo em posição de chutar o field goal definitivo. No mesmo jogo, Jay Cutler saiu com uma lesão no peitoral e foi substituído por Matt Moore, que comandou a virada da equipe

  • Para a surpresa de ninguém, Vontaze Burfict segue sujo. Ele deu um chute em Roosevelt Nix, FB do Steelers, após o término de uma jogada.

  • Quem também se machucou na rodada foi Carson Palmer. O QB do Cardinals fraturou o braço e deve perder 2 meses da temporada, o que essencialmente elimina as possibilidades de playoffs da franquia e deve significar o fim da carreira do passador.

  • Duas notas tristes para o Browns. Mais uma vez o técnico Hue Jackson optou por tirar DeShone Kizer no meio de uma partida. Dessa vez, o substituto foi Cody Kessler, que pouco fez. Para piorar, a lenda Joe Thomas sofreu uma ruptura no tríceps, viu sua histórica sequência de mais de 10,000 snaps consecutivos cair e provavelmente não joga mais em 2017.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









João Gabriel Gelli ⁠⁠⁠Apaixonado por todo tipo de esporte, conheceu o futebol americano com o retorno para a história de Tracy Porter no Super Bowl XLIV. Torcedor do Baltimore Ravens, é responsável por uma matéria semanal e pela edição de textos. Além de futebol americano, também escreve sobre lutas para o MMA Brasil. No twitter: @jggelli