Destaques e Decepções: A louca semana 3 da NFL

25 de setembro de 2017
Tags: falcons, jaguars, João Gabriel Gelli, lions, Matéria, panthers, patriots, rams, redskins,

Com novo nome, este espaço nas segundas-feiras durante a temporada trará o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana será disputado por Dallas Cowboys e Arizona Cardinals.

Em uma rodada marcada pela onda de protestos dos jogadores após declarações do presidente americano Donald Trump, dentro de campo o que mais chamou a atenção na semana 3 foi a quantidade de placares inesperados e jogos disputados até os últimos minutos. Partidas como Texans vs. Patriots, Rams vs. 49ers, Packers vs. Bengals, Steelers vs. Bears, Falcons vs. Lions e Giants vs. Eagles foram definidas por margens mínimas em campanhas decisivas, com algumas delas inclusive indo para a prorrogação.

LEIA MAIS: Onda de protestos durante o Hino norte-americano toma conta da NFL

Depois de uma semana com jogos de baixo nível técnico e de emoção, a NFL voltou a entregar partidas de alto valor de entretenimento, com grandes exibições e finais insanos. Assim, passemos para mais alguns destaques e decepções dos 15 confrontos disputados até agora.

O massacre de Londres

O primeiro jogo disputado em Londres em 2017 colocou o Jacksonville Jaguars frente a frente com o Baltimore Ravens, em um duelo que muitos esperavam que fosse uma batalha defensiva de poucos pontos. Contudo, o que se viu foi um massacre do Jaguars, que contou com a melhor atuação da carreira de Blake Bortles (4 TDs e 0 interceptações) e uma defesa absurdamente dominante para triunfar por 44 a 7, contra uma equipe que havia cedido apenas 10 pontos até então. Para se ter noção do tamanho da surra, pode-se apontar para as estatísticas de Joe Flacco, que teve um total de míseras 28 jardas em 18 tentativas e duas interceptações, em uma exibição para esquecer.

Com uma segunda vitória dessa magnitude e uma derrota por margem igualmente humilhante, o Jaguars mostrou que tem tudo para sair vitorioso quando o jogo corrido funciona e o time consegue uma margem no começo da partida, abrindo espaço para o play action e para que o relógio seja obliterado por Leonard Fournette e Chris Ivory, sem que Bortles tenha muita responsabilidade de carregar o time. Dessa maneira, a defesa pode descansar e fazer uso ótimo de seu grande talento, que pode deixar a equipe como um adversário complicado no calendário dos concorrentes de meio de tabela da NFL. Enquanto isso, o Ravens precisa digerir rapidamente a derrota, uma vez que voltará para casa para um confronto de extrema importância contra Steelers no próximo domingo.

Cam Newton está quebrado

Com um ataque anêmico, o Panthers recebeu a frágil defesa do Saints e esperava entrar nos trilhos. Todavia, o plano não poderia ter dado mais errado.

Por mais que o jogo tenha sido uma explosão de Christian McCaffrey, que teve mais de 100 jardas de recepção, Cam Newton teve uma das piores partidas de sua carreira, com um desempenho pífio na derrota de Carolina. Foram 3 interceptações, dois fumbles sofridos e diversos passes muito mal posicionados, que fizeram a defesa do Saints parecer uma unidade de alto nível até ir para o banco no último quarto.

Cam nunca mais foi o mesmo desde a mágica temporada de 2015 e perdeu o seu grande trunfo como corredor sem evoluir como passador, o que lhe deixou um jogador abaixo da média. Ainda há tempo e muito potencial atlético para acreditar em uma recuperação, mas no momento não há outra avaliação a fazer diferente de dizer que Newton está quebrado e precisa de reparos imediatos.

Tom Brady ainda é muito elite

Lidando com uma desvantagem de cinco pontos, com apenas um tempo para pedir e pouco mais de dois minutos restando, Tom Brady mostrou porque é um dos melhores da história. Ele completou 5 de 7 passes para 93 jardas, incluindo o TD de 25 para Brandin Cooks, que selou a vitória suada do Patriots, em uma tarde na qual Brady esteve sob pressão constantemente e sofreu inclusive um fumble retornado para TD por Jadeveon Clowney. No entanto, lançou 5 passes para touchdown e carregou o time para o segundo triunfo na temporada.

Em sua temporada de 40 anos, Brady está com um início espetacular e segue desafiando a lógica para render em uma idade tão avançada. Ele já acumula 1092 jardas e 8 TD, sem interceptações em três semanas, números quase idênticos aos do ano passado tido como um dos melhores de sua carreira, e não dá nenhum sinal de que diminuirá o ritmo.

Também vale destacar a boa atuação de Deshaun Watson, que esteve muito perto de se tornar o primeiro QB calouro a vencer o Patriots de Bill Belichick.

A evolução de Jared Goff

Com um ótimo início de temporada, Jared Goff está mostrando porque não se deve colocar o rótulo de bust em um jogador após apenas sete jogos, por piores que eles sejam, ainda mais quando este se trata de uma primeira escolha de Draft. Em um jogo épico no Thursday Night Football, Goff comandou o ataque do Rams a 41 pontos, passando da marca de 40 pela segunda vez em três semanas. No processo, lançou para 292 jardas e 3 TDs, com mais de 70% de passes completos.

No entanto, a análise da evolução de Goff deve passar muito pela chegada do novo treinador Sean McVay. Antes preso em um esquema engessado e retrógrado, o QB agora tem uma das mentes mais criativas da NFL como comandante. McVay tem adotado planos de jogo muito eficientes, com leituras rápidas, uso intensivo de Todd Gurley tanto como corredor, quanto como recebedor ou até para abrir espaços para o play action, que está sendo muito mais utilizado pelo Rams, com alto índice de sucesso. Além disso, é preciso citar o bom trabalho da linha ofensiva, que tem deixado Goff tranquilo para realizar as progressões e acertar recebedores com belos passes em distâncias intermediárias e também em profundidade. Resta agora esperar por um confronto contra uma defesa mais robusta para avaliar melhor se estes avanços são definitivos ou apenas um reflexo de um calendário frágil e um efeito surpresa da potência ofensiva do time de Los Angeles.

As zebras passeiam pelos gramados da NFL

Esta rodada foi perfeita para derrubar diversos jogadores nos survivals mundo afora.

Sem considerar o susto do Patriots vencer o Texans no sufoco e do Packers também precisar correr atrás do marcador para levar o duelo contra o Bengals para a prorrogação e eventualmente triunfar, a rodada trouxe as surpreendentes vitórias do Jets sobre o Dolphins e do Bears sobre o Steelers. Outro triunfo que merece destaque é o do Bills diante do Broncos, com grande atuação de Tyrod Taylor e da defesa de Sean McDermott, que se mostra um adversário de respeito, sobretudo em casa.

Com sofrimento, Falcons segue invicto

Foi complicado e tenso, mas o Falcons se manteve invicto ao evitar a última investida de Matthew Stafford e segurar o placar de 30 a 26 contra o Lions. A vitória veio mesmo com Matt Ryan lançando três interceptações, incluindo uma retornada para touchdown. Apesar dos turnovers, Ryan teve um bom jogo e contou com a ajuda de um ataque terrestre em alto nível sob o comando de Devonta Freeman, que ultrapassou as 100 jardas e conseguiu dois TDs.

O Lions chegou a ter a bola para tentar a virada e avançou pelo campo até a linha de 1 jarda do ataque, com 19 segundos restando. Após dois passes incompletos, sobravam 12 segundos e Stafford acertou Golden Tate para aquele que parecia o TD salvador, mas após a revisão a decisão foi alterada ao se perceber que Tate não havia alcançado a end zone antes do término da jogada. Como a chamada de campo mudou, a regra diz que deve acontecer uma dedução de 10 segundos no relógio e restavam apenas 8, o que decretou o fim da partida e o sofrido triunfo do Falcons.

O passeio defensivo do Redskins

O Sunday Night Football trouxe uma grande surpresa, com a marcante vitória do Redskins sobre o Raiders. A tônica da partida foi definida pela atuação magnífica da defesa dos vencedores, que cedeu apenas 128 jardas, sendo a maior parte delas com o jogo já sob controle. Foram duas interceptações e nenhuma conversão de terceira descida permitida, além de quatro sacks e um intenso controle nas trincheiras. Do outro lado da bola, o Redskins teve uma ótima partida de Kirk Cousins e correu bem com a bola para dominar o tempo de posse e consolidar a grande vitória.

Outros destaques e decepções

  • O chute de 61 jardas do calouro Jake Elliott com o tempo expirando para dar a vitória para o Eagles contra o Giants foi um momento impressionante e raro.
  • O Titans conseguiu mostrar sua força ao dominar a temida defesa do Seahawks.
  • Com 0-3 na temporada, as chances de avançar na temporada para Bengals, Browns, Chargers, 49ers e Giants estão severamente prejudicadas.
  • O Colts parece ter encontrado um bom reserva para Andrew Luck em Jacoby Brissett, que tem feito o ataque andar. Também pode-se chamar atenção para o desempenho da defesa contra a corrida e do calouro S Malik Hooker, que já tem duas interceptações.
  • Case Keenum soltou bombas em profundidade para a subestimada dupla formada por Adam Thielen e Stefon Diggs liderando um explosivo ataque do Vikings à vitória sobre o Buccaneers.
  • O Chiefs manteve sua invencibilidade nas costas de uma defesa que forçou três interceptações de Philip Rivers e de mais uma partida segura de Alex Smith e explosiva de Kareem Hunt.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









João Gabriel Gelli ⁠⁠⁠Apaixonado por todo tipo de esporte, conheceu o futebol americano com o retorno para a história de Tracy Porter no Super Bowl XLIV. Torcedor do Baltimore Ravens, é responsável por uma matéria semanal e pela edição de textos. Além de futebol americano, também escreve sobre lutas para o MMA Brasil. No twitter: @jggelli