segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Compartilhe

Este espaço nas segundas-feiras durante a temporada traz o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana 14 será disputado por New England Patriots e Miami Dolphins. Então, sem maiores enrolações, vamos aos destaques e decepções:

A lesão que pode mudar tudo para o Eagles

O duelo entre Eagles e Rams colocou dois dos melhores times da NFL em 2017 frente a frente. Conforme o esperado, o confronto foi de extremo equilíbrio, com viradas e boas exibições dos quarterbacks e emoção até o fim. Contudo, o que ficará na memória é a lesão de Carson Wentz.

O segundanista mostrou enorme evolução em relação ao seu ano de calouro e era um dos jogadores mais divertidos de acompanhar na temporada, tendo lançado para 33 TDs e 7 interceptações, posicionando-se claramente na disputa pelo prêmio de MVP. No entanto, uma das características que demonstrou foi a inconsequência na hora de expor seu corpo para pancadas desnecessárias e foi nessa situação que acabou, supostamente sofrendo uma lesão no ligamento cruzado anterior. Sem ele, o ataque do Eagles perde muito de sua explosão, mas tem um reserva decente em Nick Foles.

Foles contou com a ajuda da defesa e do K Jake Elliott para fazer o suficiente no comando da equipe rumo a uma apertada vitória, que consolidou o título da NFC Leste. O triunfo também abriu uma vantagem considerável na briga pela folga na primeira rodada dos playoffs. Assim, o técnico Doug Pedersen terá tempo para realizar os ajustes ofensivos necessários e tentar levar o time o mais longe possível.

Já do lado do Rams, um embate com o Seahawks na semana que vem terá papel fundamental para definir o vencedor da NFC Oeste. Apesar da derrota nessa rodada, a expectativa ainda é das melhores para a equipe, com grande atuação de Todd Gurley e do ataque como um todo, que mostrou que o time de Los Angeles pode competir de igual para igual com qualquer um na liga.

A briga na AFC Oeste

Com a derrocada do Chiefs, a ascensão do Chargers e o Raiders comendo pelas beiradas, a AFC Oeste chegou para a semana 14 com os três empatados na liderança com retrospecto de 6-6 e confrontos entre si no horizonte.

O primeiro destes duelos se deu nesse domingo, com Raiders e Chiefs. O time de Kansas City conseguiu interromper a sequência de derrotas que o acometia e dominou os rivais, que tiveram péssima atuação. O desenvolvimento mais importante foi o retorno de Kareem Hunt ao ritmo, com 28 toques na bola para 138 jardas e um touchdown para liderar o ataque da equipe, como fez na primeira metade do ano.

No horário seguinte, o Chargers mostrou que é o time a ser batido na divisão e uma ameaça em potencial caso avance para os playoffs. A equipe fez sua quarta vítima seguida ao dominar o Redskins e escapou do buraco no qual começou a temporada, com 0-4 e depois 3-6. Isto passa pela ascensão de Keenan Allen como um dos melhores recebedores da NFL e um crescimento no desempenho de Phillip Rivers, que tem sido incrível nas últimas rodadas, usando muito bem todo o grupo de WRs e também o talentoso TE Hunter Henry, além de se aproveitar de um Melvin Gordon que tem tido menos destaque. Por fim, a dupla formada por Joey Bosa e Melvin Ingram segue impondo o caos para as OLs adversárias, com pressões constantes e que facilitam a vida de uma boa secundária.

Agora, a semana 15 hospedará um confronto entre Chiefs e Chargers, que terá contornos de final antecipada para a divisão. Caso o vencedor consiga cumprir seu papel nas duas últimas rodadas, nas quais terão duelos mais favoráveis, a expectativa é que o campeão da divisão saia do ganhador do embate da próxima rodada. Fiquemos de olho.

A toda poderosa NFC Sul

O jogo que abriu a rodada na quinta-feira teve a importante vitória do Falcons sobre o Saints, que deixou a NFC Sul ainda aberta e posicionou o time de Atlanta de forma favorável para pelo menos conseguir uma vaga no Wildcard. Já no domingo, o Panthers teve grande exibição para interromper a sequência de oito vitórias do Vikings e se deixar muito próximo dos playoffs.

A combinação de resultados deixou Saints e Panthers empatados na liderança da divisão com 9-4, com vantagem para New Orleans no confronto direto, e o Falcons logo atrás com 8-5. A melhor parte é que ainda restaram duelos entre eles, com Atlanta encarando os rivais nas duas últimas semanas. Dessa forma, caso vença todos os seus compromissos, o Falcons sairá com o título. Já o Panthers precisa contar com uma vitória a mais que o Saints e tem um calendário desafiador, enquanto New Orleans possui dos duelos mais acessíveis contra Jets e Bucs, além do importante embate contra Atlanta.

De qualquer forma, já pode ser afirmado com todas as letras que a NFC Sul foi a melhor divisão da temporada de 2017 e possui grandes chances de mandar três fortes equipes para os playoffs em uma conferência disputada no mais alto nível, um feito incrível.

Lions, Packers e Cowboys seguem vivos

Apesar da acachapante derrota para o Ravens na semana passada e de uma lesão na mão de Matthew Stafford, o Lions se recuperou com o QB atuando mesmo machucado e superou o Buccanneers por 24 a 21, com um chute de Matt Prater para selar a vitória. Continuando na divisão, o Packers teve muitos problemas, mas conseguiu ganhar do Browns no segundo triunfo seguido na prorrogação. Brett Hundley lançou para 3 TDs e a defesa apareceu nos momentos de definição para evitar que o Browns conseguisse tirar o zero da coluna de vitórias. Passando para NFC Leste, 0 Cowboys superou o Giants no quinto jogo sem Ezekiel Elliott e agora vê um sopro de esperança na temporada.

Resolvi juntar estes três jogos em uma única seção por conta do envolvimento dos três times vitoriosos na corrida pelo Wildcard da NFC. A verdade é que com 7-6, todos eles precisam de uma boa dose de acontecimentos a seu favor para se classificarem, mas continuam vivos e possuem algum motivo para otimismo.

O Packers deve receber Aaron Rodgers de volta na próxima semana, o que pode liderar uma sequência de vitórias para fechar a temporada em uma série de confrontos complexos com Panthers, Vikings e Lions. A equipe de Detroit tem jogos gerenciáveis contra Bears e Bengals antes de jogar pela vida contra Green Bay. Já o Cowboys precisa vencer todas os seus compromissos, com o retorno de Zeke na semana 16, e ainda torcer para que o Lions e o Packers percam ao menos uma e o Falcons seja derrotado em 2 das 3. Assim, por mais improvável que possa parecer, é sempre bom ver equipes relevantes em uma intensa briga para avançar até os playoffs, em disputa que deve seguir até o final do ano.

A maior rivalidade da NFL atual entrega novamente

O Sunday Night Football encerrou um ótimo domingo de futebol americano com chave de ouro. A maior rivalidade da NFL em sua história recente entregou mais um grande jogo no horário nobre, com a espetacular virada do Steelers sobre o Ravens.

O jogo começou parecendo que seria um atropelo do Steelers, que avançou ofensivamente sem problemas e ainda forçou um punt e uma interceptação nas duas primeiras campanhas. No entanto, diferente de tudo o que se viu na temporada até aqui, o ataque do Ravens colocou o time nas costas e carregou uma defesa que sofreu durante toda a noite

Alex Collins foi espetacular e Joe Flacco mostrou maior disposição para fazer passes longos e intermediários e teve uma de suas melhores exibições no ano. Assim, o time chegou no último quarto com vantagem de 31 a 20. Entretanto, Ben Roethlisberger e Antonio Brown não estavam dispostos a sair derrotados e montaram uma grande virada, que foi encerrada com um chute de 46 jardas de Chris Boswell a 46 segundos do fim para levar o placar para 39 a 38.

Big Ben terminou o jogo com 506 jardas e 2 TDs em obscenos 66 passes tentados, destruindo as blitzes pessimamente chamadas pelo Ravens, enquanto Brown abusou de Brandon Carr para terminar com 11 recepções e incríveis 213 jardas. Assim, o Steelers garantiu o título da AFC Norte e chega com seu ataque finalmente se encontrando para o importante duelo contra o Patriots, que deve definir quem terá a vantagem de jogar em casa ao longo dos playoffs da AFC

Já do lado do Ravens, a derrota para o rival pode ser dolorida pela forma como aconteceu, mas o torcedor tem motivos para sair otimista. Primeiramente, a divisão não era um alvo realista a essa altura do campeonato e a derrota já era um tanto esperada, então não afeta tanto as expectativas de playoffs do time. Basta a Baltimore cumprir o seu papel e vencer Browns, Colts e Bengals para garantir uma das vagas no Wildcard. Assim, o esperado é que a equipe varra seus próximos oponentes e garanta o lugar na pós-temporada.

No entanto, a causa para otimismo vem do desempenho crescente de um ataque que era pavoroso de se assistir ao longo do ano e que mostrou grandes evoluções nas duas últimas rodadas, com Joe Flacco tendo boas exibições e Alex Collins trazendo um elemento de explosão pelo chão. Dessa forma, caso a defesa retome a forma das semanas anteriores, o que é aguardado, e o sistema ofensivo mantenha este padrão o Ravens pode acabar se tornando um adversário enjoado nos playoffs.

Outros destaques e decepções:

  • Em um jogo interessante, o Jaguars superou o Seahawks com um desempenho sufocante de sua defesa ao longo de três quartos. No último período, Russell Wilson quase operou mais um milagre, mas não foi capaz de reverter a desvantagem. Assim, a situação de Seattle se tornou complexa para alcançar os playoffs e o time de Jacksonville voltou para a liderança da AFC Sul.

  • O Titans teve mais um desempenho abaixo da média e foi derrotado para o Cardinals. Por mais que ainda esteja em boa posição para avançar para a pós-temporada, o time não está jogando bem e, caso siga nesse viés de queda, ainda pode se complicar.

  • Sem Tyrod Taylor e com uma lesão de Nathan Peterman durante o jogo, o Bills terminou o confronto contra o Colts com Joe Webb como QB. Em um jogo sem muitas emoções, LeSean McCoy carregou o time de Buffalo para a sétima vitória, dessa vez na prorrogação, e manteve a equipe na perseguição por uma vaga de Wildcard.

  • O torcedor do 49ers deve estar feliz. O time já está longe do temido 0-16, está bem posicionado para ter uma escolha no top 5 do Draft e parece ter encontrado seu QB do futuro. Jimmy Garoppolo teve mais um bom jogo ao liderar San Francisco para sua segunda vitória seguida, com mais de 10 jardas por passe tentado.

  • Os apoiadores do Bears também devem ter ficado contentes ao assistirem Mitchell Trubisky completar mais de 75% de seus passes, com um lançamento para TD e outra corrida até a end zone em sua melhor exibição até agora na surra sobre o Bengals.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.