Chargers entrega mais uma vez e se complica de vez na temporada

13 de novembro de 2017
Tags: Giovani Natal, noticas do dia,

Sabe aquele famoso meme da internet “Se vocês soubessem o que aconteceu, ficariam enjoados…”, escrito pelo célebre Gunter Schweitzer? Pois bem, ele se encaixaria muito bem para tentar explicar o que foi o final do jogo de ontem entre Jacksonville Jaguars e Los Angeles Chargers, em Jacksonville.

Os dois últimos minutos do jogo de ontem foi uma sucessão de erros de ambas as partes. Um verdadeiro show horrores. Nenhuma das duas equipes queriam vencer e o Chargers, como lhe é de costume, conseguiu entregar mais um jogo. Podemos até dizer que o Chargers “chargeou”.

Mas o por quê disso? Por que mesmo com a derrota estando nas mãos, a franquia inventa um novo jeito de perder. São faltas desnecessárias e que repetidamente ocorrem quando não deviam, turnovers não aproveitados, péssimas chamadas ofensivas que não conseguem fazer o ataque avançar em campo, dentre outras.

Está arrebatando a derrota dos maxilares da vitória de maneiras novas e inventivas. Está atirando-se no pé enquanto toca balanços com força. Está fazendo penalidades desnecessárias e incomodáveis. Ainda está sendo bom o suficiente para estar em posição de ganhar – mas de alguma forma tropeçando.

“Nós perdemos alguns jogos decididos com placares próximos este ano. Mas essa é a primeira vez que perdemos um jogo como esse”, disse o treinador Anthony Lynn. “Para mim, isso é imperdoável. Tivemos oportunidades de ganhar esse jogo fora de casa. E, não conseguimos finalizar as jogadas. E algum dos nossos, fizeram coisas tremendamente estúpidas”.

Liderando o jogo por 3 pontos com menos de minutos para o fim do jogo, o Chargers interceptou Blake Bortles 2 vezes nesse período. Se estivéssemos tratando de uma franquia normal, ele jogo já estaria liquidado e mais uma vitória na conta. Entretanto, uma sucessão de erros, chamadas ruins e graças a uma combinação de má execução e julgamentos ruins, fizeram com o que se desenhava impossível se tornasse real. O Chargers entregou o jogo.

Após a primeira INT de Bortles, o Chargers tomou de imediato um delay of game, que já matou as chances de um drive que encerraria de vez o jogo. Para agravar a situação, o novato Austin Ekeler, que vinha fazendo o sue melhor jogo na carreira, sofreu um fumble forçado por Malik Jackson e devolveu a bola para o Jaguars em uma ótima posição.

Dois snaps depois, Bortles sofreu uma nova INT em um passe em profundidade numa 3rd&25. Até que então, eu vi uma das jogadas mais estúpidas da minha vida. Ao invés de correr com a bola nas mãos e ganhar algumas boas jardas, ele comemorou a INT e saiu de campo com a bola nas mãos.

“Eu pensei que tivéssemos ganhado”, disse Boston.

Posicionado lá atrás, o Chargers correu com a bola 3 vezes e teve que ir para um punt, dando nova chance ao Jaguars de levar o jogo para a prorrogação. Com um punt ruim de Kaser e um roughing the passer desnecessário de Joey Bosa, o Jaguars conseguiu posicionar Lambo para que ele pudesse levar o jogo para prorrogação.

Na prorrogação, a defesa do Chargers conseguiu para o ataque do Jaguars e recebeu a bola num drive que poderia finalmente lhe levar a vitória. Até que Rivers lançou um passe em profundidade para Travis Benjamin e foi INT por A.J. Bouye, que retornou até próximo a linha de gol.

E como o mundo é cruel, o responsável por jogar a pá de cal na franquia foi o Kicker Josh Lambo. Para quem não se recorda, Lambo era o K da franquia até o ano passado, quando foi cortado durante o Training Camp. Lambo acertou o FG de 30yd que deu a vitória para o Jaguars, que chegou a ser desviado pelo ST do Chargers, mas não o suficiente para bloquear o chute. Desse lance, vale apenas destacar, um raríssimo delay of game da defesa, que tentou forçar um false start do ataque. Essas 5 yd ganhas na penalidade deram ao Jaguars o range necessário para o chute da vitória.

“Nós sabemos o quanto esse jogo era importante”, disse Rivers logo após o jogo. “Realmente sentimos que estávamos no controle o dia todo, e estávamos até os momentos finais do jogo. Estes são os jogos que falamos sobre ganhar, fechar jogos, e nós encontramos um a forma de perde-lo. Tivemos a bola duas vezes – menos de dois minutos com uma vantagem – e não acabou. Essa é a parte que mais machuca. “

Sim Rivers, essa é a parte que mais machuca. O ataque da franquia hoje simplesmente não consegue mais responder em campo, mesmo com as ótimas peças a disposição. A defesa, por sua vez, tem feito um excelente trabalho em todos os jogos. Enfrentou o bom ataque do Jaguars de igual para igual e forçou Bortles a passar 51 vezes no jogo. Leonard Fournette, que vinha sendo decisivo, foi limitado a 33 jardas terrestres em 17 tentativas.

Agora, a vida do Chargers nessa temporada está por um fio. Com um recorde de 3-6 até agora, a franquia terá que entrar no modo “erro zero” caso queira ter alguma chance de playoffs ainda. Caso tivesse ganho jogos “vencíveis” contra Miami Dolphins e Jacksonville Jaguars, ela estaria com o um recorde de 5-4 e boníssimas chances de jogar em janeiro. Entretanto, como já vimos, a equipe insiste em erros que não podem ser permitidos em uma franquia profissional. Para ter mínimas chances, poderá perder 1 jogo no máximo para ficar na briga pelo Wild Card.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Giovani Natal é o setorista da AFC OESTE. Analisa Chiefs, Chargers, Raiders e Broncos às quartas e quintas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @giovani_natal