Calouros que devem causar mais impacto em 2016

16 de julho de 2016
Tags: 49ers, andre oliveira, bills, colts, cowboys, draft, giants, jaguars, raiders,

A transição do futebol americano universitário para o profissional não é nada fácil. Os calouros são inseridos em ambientes totalmente desconhecidos e ainda tem que enfrentar uma enorme curva de aprendizagem que na maioria dos casos leva tempo para ser superada. Felizmente, existem vários fatores que podem de certa forma “ajudar” na adaptação desses jogadores à NFL. Alto desenvolvimento técnico, poucas diferenças de filosofias de jogo entre o seu antigo time e o novo, jogar com companheiros talentosos e etc.

Geralmente, a expectativa é que esses jogadores só venham a justificar seus respectivos potenciais a partir do terceiro ano de liga. Obviamente nem todo mundo obedece a essa regra e muitos jovens talentos já fazem um impacto imediato a partir do primeiro momento em que pisam no gramado. O RB Todd Gurley (LA) no ano passado e WR Odell Beckham Jr. (NYG) em 2014 são bons exemplos disso. Na próxima temporada não será diferente e, com isso em mente, listei quem são os favoritos para causar o maior impacto logo em seu primeiro ano de NFL.

Ezekiel Elliott (Running Back) – Dallas Cowboys

O primeiro nome da lista não poderia ser outro senão Ezekiel Elliott. Jerry Jones não resistiu à tentação de ver o talentoso running back correr atrás de uma das mais talentosas linhas ofensivas de toda a NFL. Em um ataque que valoriza muito o jogo corrido, Elliott deve receber bastante oportunidades logo em seu primeiro ano. Contanto que Tony Romo fique saudável, a presença do veterano só trará benefícios ao jovem RB por tirar a atenção adversária de cima do jogo corrido de Dallas.

DeForest Buckner (Defensive Tackle/Defensive End) – San Francisco 49ers

Ao ser selecionado pelo 49ers, Buckner acabou reencontrando rostos bastante familiares na nova equipe: HC Chip Kelly, DL Coach Jerry Azzinaro e DL Arik Armstead. Todos foram membros do Oregon Ducks durante a sua passagem pelo College Football. Agora reunidos novamente em San Francisco, a antiga parceria só deve trazer benefícios ao talentosíssimo jogador. Isso porque a defesa do 49ers continuará na sua formação 3-4 e com conceitos bastante similares aos que Buckner aprendeu durante sua carreira universitária.

Karl Joseph (Safety) – Oakland Raiders

Com a chegada de Reggie Nelson para a posição deixada por Charles Woodson como Free Safety, Karl Joseph atuará como Strong Safety em seu primeiro ano de liga, e a situação não poderia ser melhor. O jovem jogador fará parte de uma defesa que vem se recheando de talento nos últimos anos e o permitirá atuar em sua posição mais natural. Joseph foi extremamente produtivo durante sua carreira universitária e deve continuar sendo bastante efetivo também na NFL.

Ryan Kelly (Center) – Indianapolis Colts

O Colts aprendeu da pior forma possível que se quiser ir longe na temporada, é necessário proteger melhor Andrew Luck. Foi com esse objetivo que o time entrou na offseason de 2016 e acabou utilizando sua primeira escolha do Draft em um jogador de linha ofensiva. Geralmente os jovens do setor não causam muito impacto logo de início, mas Ryan Kelly possui boas chances de ser mais uma exceção. Não só pelo próprio jogador, que sai bastante desenvolvido tecnicamente do College, mas também pelo nível baixíssimo das atuações dos últimos titulares da posição. Mesmo em seu primeiro ano, Kelly deve fornecer uma melhora imediata no “miolo” da linha ofensiva de Indianapolis e aliviar bastante a pressão interior em cima de Luck.

Myles Jack (Linebacker) – Jacksonville Jaguars

Como se não bastasse escolher um dos 5 melhores jogadores da classe no primeiro dia, novamente o Jaguars viu outro talento de Top 5 cair no seu “colo” na segunda rodada. O “problemático” joelho causou a queda de Jack, mas até agora não tem privado o jovem linebacker de chamar a atenção nos treinos. Ao lado de Telvin Smith, Jack formará uma das duplas de OLBs mais atléticas de toda a NFL, além de ser bastante jovem e jogar atrás de uma ótima linha defensiva. Caso continue saudável, certamente Myles Jack será um dos fortes candidatos ao prêmio de calouro defensivo do ano

Sterling Shepard (Wide Receiver) – New York Giants

O encaixe entre as características de Shepard e a filosofia ofensiva do Giants tem tudo para dar certo. Em um ataque comandado por Eli Manning e caracterizado por utilizar passes curtos e rápidos, a precisão de Shepard na execução de rotas e suas mãos seguras o transformam em mais uma excelente “arma” para o ataque de New York. O jogador ainda contará com a presença de Odell Beckham Jr. e – talvez – Victor Cruz como companheiros de posição e que certamente desviarão a atenção adversária.

Reggie Ragland (Linebacker) – Buffalo Bills

Não é difícil notar o porquê do Buffalo Bills ter feito a troca na segunda rodada para escolher Reggie Ragland. O jogador tem as características defensivas que Rex Ryan tanto preza em seus linebackers. Apesar de não possuir capacidades atléticas de elite, Ragland é ótimo contra o jogo corrido e um defensor bastante inteligente. O fato de vir de um programa universitário que possuía conceitos defensivos similares ao profissional também deve ajudar bastante na sua adaptação. O jogador já vem treinando com o primeiro time, atuando como WLB, e deve ser um dos pilares defensivos do Bills a partir da próxima temporada.

Postagens Relacionadas









André Oliveira acompanha NFL desde 2007 e NCAA Football desde 2012. É fã da estratégia e rivalidade envolvida no esporte. Responsável pela cobertura do College Football na coluna Mundo College, todo sábado. No twitter: @AndreO_NFL