Ataque do Jets mostra muitos problemas na pré-temporada

23 de agosto de 2017
Tags: carlos massari, jets, Notícias do Dia,

Que a defesa do New York Jets é muito superior ao ataque, todo mundo já sabia. E que o nível dessa unidade ofensiva é possivelmente o mais baixo de toda a NFL em 2017, também. Não chega a ser surpreendente a confirmação disso que os jogos de pré-temporada tem trazido, mas sim que a incapacidade do alviverde nova-iorquino de marcar pontos é ainda maior do que se imaginava.

No segundo jogo da pré-temporada, na última sexta-feira diante do Detroit Lions, o head coach Todd Bowles decidiu dar uma chance de comadar o ataque a Christian Hackenberg. Muita coisa se falou sobre a performance do segundo anista no training camp, com a maioria das informações sendo bastante negativas. Ao entrar em campo em um jogo de verdade, com os holofotes todos sobre si, a performance do ex-Penn State foi trágica.

Quando Hackenberg foi substituído na partida, o Jets tinha um total de -3 jardas aéreas. Não, você não leu errado. Ele completou dois de seis passes para 14 jardas (média de 2,3), e sofreu dois sacks que custaram 17. Ou seja, saldo negativo. O quarterback fez sua equipe andar mais para trás do que para frente. E desculpas não podem ser dadas quando um dos passes é feito apenas alguns centímetros para frente da linha de scrimmage e acerta o pé de um companheiro.

As chances de que Hackenberg ganhe a posição de titular vão ficando cada vez menores a cada nova exibição pública de seus passes. Com Bryce Petty também longe de convencer (15-24, 160 jardas, interceptação diante dos reservas do Lions), Josh McCown tem amplo favoritismo para comandar o ataque do Jets na semana 1. E isso não é nada bom.

Só que tudo estaria até que dentro de limites aceitáveis de mediocridade se fossem apenas na posição de quarterback os problemas. A linha ofensiva também pareceu composta por bonecos de posto na partida contra o Lions. Vejam no vídeo abaixo a facilidade com que a defesa adversária chega em Hackenberg:

É uma linha muito problemática e quase sem atletas com calibre de titular na liga – exceto James Carpenter, todos ou são inexperientes, ou vem de temporadas muito ruins. Se não houver uma melhora, qualquer um que seja o signal caller titular não terá qualquer chance.

O jogo terrestre também não tem ajudado muito. Bilal Powell teve até que uma exibição razoável, com 3,6 jardas por carregada, enquanto Matt Forte está na fase final de recuperação de uma lesão. Todos os demais running backs do elenco, porém, tem uma média de 2,2 na pré-temporada, um número inaceitável.

Com um corpo de recebedores que não inspira nenhuma confiança, cheio de calouros e outros nomes inexperientes, a cada dia que passa se torna mais aparente que será um trabalho hercúleo para o ataque do New York Jets marcar pontos em 2017. E que mesmo que a equipe selecione um quarterback com sua escolha de primeira rodada no próximo draft, muito mais trabalho precisará ser feito para que ele tenha condições mínimas de jogar.

Tudo isso é triste principalmente porque a defesa vem demonstrando que pode ser poderosa nessa temporada – e os nomes fortes no elenco vem correspondendo ao que deles se espera. Com tanta inaptidão ofensiva, infelizmente, a stop unit deve ficar muito tempo dentro de campo, o que gera cansaço e falhas e pode estragar, pelo menos para esse ano, o que seria bonito de se ver.

A temporada bate na porta e não há tempo nem talento disponível para consertar esse ataque. A cada posse de bola do Jets, veremos uma nova comédia de erros. Quem sofre é o torcedor.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Carlos Massari é o setorista da AFC LESTE. Analisa Patriots, Jets, Bills e Dolphins às quartas e sextas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @massaricarlos