Andrew Luck deveria pensar somente em 2018?

31 de outubro de 2017
Tags: colts, luck, matérias, Rafael Storone,

Andrew Luck é a estrela de uma das maiores novelas esportivas dos últimos anos. Sua recuperação de uma cirurgia no ombro está na etapa final, mas os prazos para sua volta aos gramados vêm sendo sempre adiados. O quarterback chegou a treinar levemente, mas dores no ombro operado fizeram com que os planos da franquia mudassem. É claro que o Colts aprendeu com o passado e isso impedirá (ou pelo menos espera-se que impeça) qualquer precipitação para a volta do atleta sem totais condições aos gramados. Devido a esses contratempos em sua recuperação, como pequenas dores, Luck cogitou buscar opiniões de diferentes especialistas para saber se sua recuperação não estaria progredindo como esperado. Diante da situação física do atleta e considerando a configuração atual da temporada do Colts, seria melhor pensar em 2018?

A situação física de Luck está longe da ideal. Além de não atuar em uma partida profissional desde a temporada passada, já está há 10 meses sem treinar com o time titular. Isso faz com que, como podemos observar na foto ao lado, ele esteja com menos massa que oResultado de imagem para andrew luck skinny ideal e aparentando estar fraco. Com isso, estaria mais suscetível às lesões em choques com o adversário. O fato de o ombro ainda apresentar dores deixa um alerta para o próprio quarterback, visto que se isso acontece em treinos leves, algo bem pior como uma nova lesão pode acometer o atleta em uma partida onde o esforço é muito maior. Ou seja, colocá-lo em campo nas próximas semanas é um risco. Valeria a pena!?

O Colts é o lanterna da AFC Sul com apenas duas vitórias, duas atrás do líder Titans, porém com um jogo a mais. Restam oito partidas para o fim da temporada regular, sendo difícil de imaginar que a franquia de Indianápolis conquiste o título da divisão. Como a AFC Sul é a mais fraca da conferência, é quase certo que o segundo colocado não terá vaga de Wildcard para os Playoffs. Assim, as chances de o Colts ficar de fora da pós-temporada são muito grandes; colocar Luck para jogar apenas quatro partidas sem que ele esteja totalmente recuperado não parece ser uma decisão inteligente. Seria mais interessante pensar no Draft do ano que vem e deixar que Luck tenha outra offseason para se reerguer, treinar novamente com a equipe titular e participar do Training Camp. Como fã de um futebol americano bem jogado, espero muito que o quarterback volte o mais rápido possível, mas esse erro já foi cometido várias vezes e comprometeu seu desempenho e evolução ao longo dos anos, culminando nessa novela. Nesses momentos é preciso deixar o sentimento de lado e agir com frieza, cautela e razão para que até a carreira do atleta não seja comprometida. Sabemos do que Luck é capaz e esperamos que ele volte a jogar tudo aquilo que pode, mas para isso ele precisa estar saudável.

Em suma, caso eu estivesse no posto de general manager ou head coach do Colts, deixaria de pensar em 2017 e realizaria um planejamento já para o ano que vem. Continuaria com os trabalhos de fisioterapia em Luck sem colocá-lo nos treinamentos e tudo voltaria ao normal com a chegada da offseason de 2018. É doloroso, mas infelizmente é o menos arriscado a ser feito, visto que a temporada de 2017 do Colts já está virtualmente perdida.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Rafael Purcini Storone é redator da Liga dos 32 e escreve uma matéria de tema livre às terças-feiras, além do Bizarro Mundo Oval às quartas. No Twitter: @Rafastorone