Analisando as polêmicas trocas do Buffalo Bills

18 de agosto de 2017
Tags: bills, carlos massari, Notícias do Dia,

Na semana passada, o Buffalo Bills chocou a NFL ao fazer duas polêmicas trocas: enviou o wide receiver Sammy Watkins e uma escolha de sexta rodada para o Los Angeles Rams pelo CB EJ Gaines e uma escolha de segunda rodada, e mandou o CB Ronald Darby para o Philadelphia Eagles pelo WR Jordan Matthews e uma escolha de terceira rodada. A princípio, a reação a tudo isso foi bastante negativa.

Em uma análise mais profunda, as coisas não ficam muito melhores. A primeira troca até que faz mais sentido: Sammy Watkins estava em seu último ano de contrato e é um atleta que tem sofrido muito com lesões. O valor pago pelo Rams foi satisfatório: a escolha na segunda rodada do draft é projetada como sendo ainda dentro das 40 primeiras e Gaines é um jogador que já provou ser competente na campanha de 2015, apesar de ter caído bastante na última temporada. O maior problema é que o recebedor provavelmente seria parte muito fundamental no ataque do Bills em 2016.

É na segunda, porém, que tudo fica muito difícil de ser entendido. Ronald Darby fez uma temporada sensacional de calouro e também teve uma queda em 2016, mas é um jogador jovem e cheio de potencial, com capacidade para se tornar um grande cornerback na NFL. Ele ainda tinha dois anos em seu contrato de calouro e a troca não trouxe grandes benefícios: Jordan Matthews é um recebedor de qualidade no máximo mediana e a terceira rodada é exatamente onde o Bills tinha achado Darby. Só que eu faço a seguinte pergunta: quantos jogadores melhores que ele são escolhidos nessa parte do recrutamento a cada ano? Pouquíssimos é a resposta.

No segundo jogo de pré-temporada do Bills em 2017, os primeiros maus sinais já apareceram: enquanto Jordan Matthews esteve fora por uma lesão, Darby interceptou Tyrod Taylor e conseguiu um retorno de 42 jardas.

Gaines também teve uma interceptação nessa partida, mas vem de uma temporada muito ruim. Cedeu um rating altíssimo de 139,1 para os quarterbacks que lançaram em sua direção, sendo responsável por oito touchdowns sem conseguir nenhuma pick. Os números de jardas por snaps na cobertura (1,77) e snaps na cobertura por recepção cedida (6,8) estiveram entre os piores da liga. A título de comparação, nas três estatísticas citadas acima Darby teve 104,8, 1,63 e 9,7.

Resumindo: o Buffalo Bills teve uma queda de qualidade em duas posições importantes em troca de escolhas no próximo draft. Isso pode significar que a equipe está tentando ter munição para buscar um franchise quarterback em 2018, já que a pré-temporada de Tyrod Taylor vem sendo tenebrosa, ou simplesmente que há a intenção de conseguir uma reconstrução do lado ofensivo da bola em breve. Só que é difícil entender que algo assim seja feito se desfazendo de talento jovem de qualidade.

Gaines deve fazer dupla com o calouro Tre’Davious White, o que pode dar certo se um voltar à forma de 2015 e o outro já atuar bem em seu primeiro ano, mas as chances disso acontecer são baixas. Matthews deve dividir com Zay Jones a responsabilidade de ser o principal alvo de Taylor (pelo tempo que ele mantiver a posição, e depois de quem substituí-lo), mas novamente surge o problema de um não ser muito confiável e o outro estar apenas começando a sua carreira na NFL.

A impressão é que o Buffalo Bills é uma franquia que conhece seus principais pontos fortes – o jogo terrestre ofensivo e o pass rush – e que tentará se focar nas duas para fazer uma campanha de 2017 de meio de tabela para, em seguida, se reforçar muito nas áreas deficientes no próximo draft (a equipe já possui também a escolha de primeira rodada do Kansas City Chiefs). Pode ser um plano eficiente no longo prazo, mas ainda fica a dúvida se era realmente necessário perder alguém como Ronald Darby.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Postagens Relacionadas









Carlos Massari é o setorista da AFC LESTE. Analisa Patriots, Jets, Bills e Dolphins às quartas e sextas aqui no site. No projeto setoristas, falamos dos 32 times a cada duas semanas! Siga-o no Twitter para acompanhar mais da cobertura dessa divisão e debater sobre as matérias: @massaricarlos