4 times com recorde negativo que ainda podem sonhar com playoffs em 2016

17 de outubro de 2016
Tags: Arthur Murta, bengals, cardinals, jaguars, matérias, saints,

gyi0062004204

Amigos e amigas, mais um domingo de NFL passou e agora só restam 11 até o fim da temporada regular. O tempo voa e cada semana que passa alguns timesse afastam mais e mais da tão sonhada classificação para os playoffs da NFL. Verdade seja dita que sonhar é de graça e nenhum time está matematicamente eliminado da pós-temporada, mas alguns já cavaram um poço bem fundo: o Cleveland Browns por exemplo, caso chegue aos playoffs será o primeiro time a conseguir tal feito após começar o campeonato com 6 derrotas. Como forma de consolo o Bengals de 1970 conseguiu alcançar a pós-temporada após começar o ano com 1 vitória e 6 derrotas.

Os times que estão com o recorde de 1-5 conseguem encontrar um exemplo de superação mais recente: o Kansas City Chiefs do ano passado. Mas de tão raro que é, é o único time além do Bengals de 70 a avançar para os playoffs depois de começar 1-5. Quais as chances do Panthers, Bears e 49ers conseguirem repetir esse feito? Talvez os atuais campeões da NFC tenham talento para isso, mas com uma agenda complicada e um time desfuncional precisarão de muito mais que talento.

Em uma liga que tanta coisa pode mudar de uma semana para a outra, hoje veremos os 4 times que têm mais chances de se recuperar e avançar para os playoffs, mesmo tendo mais derrotas do que vitórias no momento:

ARIZONA CARDINALS (2-3)
Derrota (D) vs Patriots, Vitória (V) vs Buccaneers, (D) @ Bills, (D) vs Rams e (V) @ 49ers.

skysports-david-johnson-cardinals_3801740

Motivos para acreditar: Entre os quatro times listados, Cardinals é o que tem a chance de abandonar o recorde negativo mais rápido. Na noite da segunda em que essa matéria é publicada o time recebe o New York Jets no MNF e poderá sair com o recorde 3-3. No último TNF a equipe conseguiu superar o San Francisco 49ers mesmo tendo Drew Stanton como seu QB, hoje Carson Palmer volta de lesão.

A defesa que foi um ponto forte no ano passado está sendo bem vulnerável nesse ano, especialmente segurando a corrida. Como ponto positivo é que o time está empatado na liderança da NFL em turnovers forçados (12) e não cede muitas jardas pelo ar.

Antes da temporada começar o Arizona Cardinals era considerado um dos times mais talentosos da NFL nas duas fases, e ainda é. David Johnson já é um dos melhores RBs da NFL e vem carregando o ataque nas costas, o bom e velho Larry Fitzgerald já anotou 5 dos 8 TDs do time e John Brown vinha crescendo nos últimos jogos com Palmer no comando. O time precisa reduzir a quantidade de turnovers no ataque, mas o confronto contra o Jets pode ser importante para que Palmer retome a confiança contra uma secundária que vem falhando muito ao longo do ano. Na sequência o time recebe o Seahawks, que lidera a divisão com 4 vitórias, em um jogo que pode mudar os rumos do Cardinals e da NFC Oeste no decorrer da competição.

NEW ORLEANS SAINTS (2-3)
(D) vs Raiders, (D) @ Giants, (D) vs Falcons, (V) @ Chargers, (V) vs Panthers.

93ae359614162c02bd83c545b4ffd6ff

Motivos para acreditar: Ahhhh… Mas o Saints não tem defesa. Verdade, só o Oakland Raiders cedeu mais jardas que o Saints até aqui – e na semana passada aprendemos que o Raiders está querendo fazer história negativamente na defesaTendo concordado com isso eu te pergunto, quando que o Saints teve defesa? O time tem Drew Brees e se isso não basta, ajuda bastante.

Não sei se há alguém que discorde que Drew Brees é um robô, desde 2006 ele passou para ao menos 4300 jardas em TODOS os anos e boa parte disso graças ao seu desempenho jogando no Superdome. Não que Brees seja ruim fora de casa, mas dentro dos seus domínios ele é apelativo demais. Tentando quantificar: nos últimos 5 jogos em casa ele passou para 2017 jardas, 17 TDs e 2 interceptações. Se o Saints jogasse todas as partidas em New Orleans, Brees passaria das 6000 jardas em apenas 15 jogos.

Cercado de boas armas e uma linha ofensiva sólida, Brees é o tipo de jogador que consegue bater de frente com qualquer equipe da NFL. Mas ele precisará que sua defesa suba de nível. Se não for possível parar os adversários, ao menos eles precisarão ajudar com alguns turnovers cruciais. Saints só interceptou 2 passes esse ano. A sequência de duas vitórias é boa e não parece que o Falcons vai ter um colapso como teve no ano passado (vai saber…), mas ainda assim a briga pelo Wild Card da NFC não pode ser descartada.

JACKSONVILLE JAGUARS (2-3)
(D) vs Packers, (D) @ Chargers, (D) vs Ravens, (V) vs Colts e (V) @ Bears

usa-today-9020860-0

Motivos para acreditar: Desde 2010 que o Jaguars não consegue mais de 5 vitórias em uma temporada, é até difícil acreditar em um time que foi tão consistentemente ruim por tanto tempo. Mas essa não era a tônica da offseason quando Jaguars era considerado um dos times na crescente para esse ano. E depois de um começo com 3 derrotas consecutivas, Jaguars parece estar finalmente entrando nos trilhos.

É esperado um período de adaptação para uma defesa com tantas peças novas: Prince Amukamara, Malik Jackson, Tashaun Gipson, Jalen Ramsey, Yannick Ngakoue e – a peça semi-nova – Dante Fowler Jr. A tendência é que esse grupo suba de produção na medida que vão ficando mais à vontade para jogar juntos.

O ataque também precisa retomar a forma que surpreendeu a liga no ano passado, Bortles começou o ano devagar e o maior reforço para o ataque só jogou nas duas últimas partidas até agora: Chris Ivory. Um dos melhores RBs da NFL em 2015 pelo Jets, Ivory foi trazido para conseguir as jardas difíceis que Yeldon não consegue e tirar o peso de Blake Bortles na red zone. Essa semana parece ter funcionado, já que ele marcou o seu primeiro TD na vitória contra o Bears em Chicago.

Em suma, um time em formação que está crescendo ao longo da competição e tendo o bônus de jogar em divisão que está sendo tomada pelo menos impressionante Houston Texans.

CINCINNATI BENGALS (2-4)
(V) @ Jets, (D) @ Steelers, (D) @ Broncos (V) vs Dolphins, (D) @ Cowboys e (D) @ Patriots

andy_dalton_aj_green_touchdown_catch_preseason_video_swagger

Motivos para acreditar: Atuais campeões da AFC Norte, o Bengals começou o ano em uma situação delicada. Ainda não respira por aparelhos, mas está em estado grave. O ponto positivo é que todas as 4 derrotas do time vieram contra adversários que tem ao menos 4 vitórias na temporada. Isso é um álibi até certo ponto, porque se o time de Cinci quiser voltar aos playoffs pelo sexto ano consecutivo, precisará derrubar alguns dos melhores times.

Mesmo tendo sido por um motivo trágico, a lesão de Big Ben pode dar alguma esperança para a franquia, especialmente se ele perder mais tempo do que as semanas previstas. Marvin Jones e Mohamed Sanu – que saíram no período de Free Agency – fazem falta, mas o lesionado Tyler Eifert também faz muita falta, especialmente na red zone onde o time vem encontrando dificuldades de pontuar.

O time tem bastante talento nas duas fases do campo, mas precisará subir o seu nível de jogo. O ataque corrido vem sendo extremamente frustrante esse ano, especialmente da parte de Jeremy Hill que só teve um bom desempenho contra o Broncos até aqui.

E como vocês já sabem, semanalmente faço uma coletânea das jogadas mais marcantes do final de semana. Sempre com uma ofensiva, uma defensiva e o Momento Buttfumble que celebra as trapalhadas que custaram mais caro na NFL essa semana. Você pode assistir esses lances e todas as partidas da NFL por esse link aqui. 

Jogada ofensiva da semana:

Essa é a síntese de uma jogada clutch que busco para cá semanalmente: 4ª para 1 com o relógio estourando? Sem problema quando se tem Odell Beckham Jr. inspirado.  Esse TD ainda consagrou a relação entre Odell e a redinha de treinar chutes, que foi pedida em casamento na comemoração. Cá entre nós, uma história de amor mais bonita que “Crepúsculo”.

Jogada defensiva da semana:

A Legion of Boom sofreu a maior parte do jogo nas mãos do melhor ataque da NFL esse ano, mas no final do jogo conseguiram fazer essa jogada com a cara da defesa de Seattle. Um passe desviado por Sherman e Earl Thomas não perdoa.
Tudo bem que os árbitros também aliviaram a barra da defesa de Seattle ao não dar falta em Sherman naquela pass interference que matou o drive seguinte do Falcons, mas deixo as zebras para outra hora, Thomas foi decisivo demais aqui.

Momento buttfumble:

Por um lado festejo a oportunidade de não colocar o Chargers aqui. Tava ficando triste fazer isso toda semana. Por outro lado a defesa do Colts entregou à altura (dizem as más línguas que o Colts Charjeou na partida). Tinham 14 pontos de vantagem com 3 minutos no relógio e começaram entregando aí. Se você contar direitinho, 10 dos defensores do Colts tiveram próximos o suficiente para fazer o tackle em Lamar Miller, mas assim como no final do jogo contra o Jaguars, fazer um tackle em momentos decisivos não é tarefa das mais fáceis para o Colts. A reação do Texans começou aí e terminou com mais um TD e um FG na prorrogação.

E quais foram os melhores – e piores – momentos da semana para vocês?

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook.

Postagens Relacionadas









Arthur Murta conheceu a NFL em 2005 e, desde que pisou no Ralph Wilson Stadium, nunca mais foi o mesmo. Além de uma matéria semanal, também é responsável pela coluna Dicas de Fantasy e co-apresenta o Podcast Liga dos 32. Arthur gosta de fantasy football mais do que gosta de sorvete. Twitter: @murtaarthur